sexta-feira, 7 de abril de 2017

EUA bombardeiam a Síria


Bom dia investidor!

As bolsas asiáticas fecharam sem direção única e com variações modestas nesta sexta-feira, em meio a um sentimento de cautela gerado por um bombardeiro dos EUA a um alvo na Síria.


Foto Al Masdar News / Damasco / Síria

Além disso, investidores da região acompanham desdobramentos da reunião de dois dias do presidente americano, Donald Trump, com o presidente da China, Xi Jinping, e aguardam novos dados do mercado de trabalho dos EUA.

Na China, o índice Xangai Composto teve leve alta de 0,17% hoje, a 3.286,62 pontos, mantendo o tom positivo exibido na semana, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto registrou baixa marginal de 0,04%, a 2.028,33 pontos.

Já em Tóquio, o Nikkei subiu 0,36%, a 18.664,63 pontos, após encerrar o pregão anterior no menor nível em quatro meses.

Notícias de que os EUA lançaram dezenas de mísseis contra uma base aérea na Síria causaram apreensão na Ásia, mas também impulsionaram os preços do petróleo e ações de empresas ligadas ao setor. Na capital japonesa, Inpex e Japex, que atuam na indústria petrolífera, subiram mais de 4%.

Um forte rali nos preços do minério de ferro na China, para quase US$ 100 a tonelada, encorajou produtores do país a avaliar a retomada da produção em minas fechadas no ano passado. Mas a volta do preço para US$ 80 a tonelada após a imposição de regras mais estritas para financiamento de propriedades provocou uma freada nesses planos, segundo Guocheng Pan, presidente da produtora de minério China Hanking.

A companhia planeja manter planos de produção apesar de um recente declínio de preços. Mesmo com uma pequena alta na produção de aço da China no início do ano, a produção para todo o ano atual deve recuar entre 2% e 3% graças ao continuado esforço do governo para reduzir o excesso de capacidade industrial e a poluição, bem como pelas dificuldades nas exportações ante tarifas comerciais de países como Índia e EUA, acrescentou o executivo. 

Por volta das 9h (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) recuava 1,06%, a US$ 5.814,00 por tonelada. Na Comex, divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para maio caía 1,11%, a US$ 2,6285 por libra-peso.

Entre os outros metais negociados na LME, o alumínio caía 0,36%, a US$ 1.946,00 a tonelada métrica, o chumbo recuava 2,34%, a US$ 2.249,00 a tonelada métrica, o níquel perdia 1,24%, para US$ 9.990,00 a tonelada métrica, o estanho recuava 0,64%, a US$ 20.210,00 a tonelada métrica e o zinco desvalorizava 1,32%, a US$ 2.697,50 por tonelada métrica.

A equipe econômica vai rever a meta fiscal de déficit de R$ 79 bilhões das contas do governo em 2018 - último ano do mandato do presidente Michel Temer. Fonte da equipe econômica informou ao Estado que a revisão para um déficit maior será necessária para garantir credibilidade à política fiscal, já que o cenário é de previsão de receita muito menor do que a estimada quando a meta foi definida em julho do ano passado.

O governo, porém, avalia se a revisão ficará ou não para depois do envio ao Congresso Nacional do projeto Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), que tem prazo até o final da semana que vem para ser encaminhado aos parlamentares.

Como o foco do governo neste momento está totalmente voltado para a aprovação da reforma da Previdência, a preocupação é de que a discussão da meta atrapalhe as negociações. “O foco é a Previdência. Esse assunto tem que ficar para depois”, disse uma fonte, lembrando que faltam poucos dias para o prazo final de envio da LDO de 2018 ao Congresso, 15 de abril. O problema para o governo é que, se não alterar agora a meta de déficit de 2018, terá de fazer depois durante a tramitação no Congresso, com riscos maiores. Para um integrante da equipe econômica, não há motivos para adiar essa mudança.

O gráfico diário do Ibovespa as médias cruzadas para baixo após passarem seis pregões de lado.

O alvo citado ontem foi alcançado (região de 63.740) e houve repique em seguida, por se tratar de um forte suporte.

A tendência é que hoje tenhamos novo teste desse patamar.

Se ele for respeitado poderemos ter reação e continuidade do repique.

Por outro lado, o caminho mais provável seria a perda da região como piso, o que projetaria 62.935 ou mesmo a LTB pontilhada em vermelho como provável destino dos preços, entre hoje e segunda-feira.

Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@TopTraders.Com.BR







Nenhum comentário:

Postar um comentário