quarta-feira, 19 de abril de 2017

Congresso em destaque


Bom dia investidor!

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em baixa nesta quarta-feira, com o apetite por risco prejudicado por fatores geopolíticos.

A recente escalada das tensões entre EUA e os regimes da Coreia do Norte e da Síria continua pesando nos negócios da Ásia. Em discurso feito em um porta-aviões estacionado em mar japonês, o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, voltou a alertar a Coreia do Norte a não testar a determinação dos militares americanos, prometendo uma "resposta devastadora e efetiva" a qualquer uso de armas convencionais ou nucleares.

Na Europa, a primeira-ministra britânica, Theresa May, anunciou ontem que pretende antecipar as eleições gerais para 8 de junho, numa tentativa de fortalecer sua posição para as discussões sobre o chamado "Brexit" - processo pelo qual o Reino Unido deixará a União Europeia -, e a França realiza o primeiro turno de sua eleição presidencial no domingo. O maior temor na votação francesa é uma eventual vitória de Marine Le Pen, candidata de extrema-direita que defende a retirada da França da zona do euro.

Nos mercados chineses, o mau humor é também influenciado por temores de que Pequim seja mais rigoroso contra negócios especulativos. Ampliando perdas recentes, o índice Xangai Composto recuou 0,81% hoje, a 3.170,69 pontos, após chegar a atingir o menor nível em dez semanas durante o pregão, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto teve queda de 0,72%, a 1.932,46 pontos.

Em um mau sinal para a reforma da Previdência, a base governista perdeu ontem uma votação importante na Câmara. Em uma manobra para tentar acelerar a aprovação de mudanças na legislação trabalhista, o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), costurou com os líderes partidários um pedido de regime de urgência para o projeto. Entretanto, a proposta não alcançou o número de votos necessário para ser aprovada pelo plenário. Foram 230 votos a favor, 163 contrários e uma abstenção.

O resultado foi comemorado pela oposição, que se organizou e aproveitou que menos de 400 deputados estavam presentes na sessão. "Com a Previdência também será assim", avisou o deputado Paulo Pimenta (PT-RS). "O governo Temer registrou uma grande derrota", celebrou Afonso Florence (PT-BA). O próprio presidente da Casa assumiu o erro na condução dos trabalhos. "Informo ao plenário que a votação aconteceu com quórum baixo, eu encerrei a votação em momento equivocado. O erro foi meu, tinham 50 deputados na Casa que não tiveram o direito de votar".

Em contrapartida, o governo conseguiu uma vitória na noite desta terça-feira com a aprovação pelo plenário da Câmara do texto-base do Regime de Recuperação Fiscal (RFF) dos Estados.

Enquanto isso, as negociações para a reforma da Previdência seguem em ritmo forte. Após reunião com representantes dos policiais, o relator da proposta, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), afirmou na noite desta terça-feira que está tentando fazer um "desenho" para que a idade inicial de transição da categoria seja de 55 anos e a definitiva, "algo próximo" a que será estabelecida para os militares posteriormente. Já a bancada feminina, após conseguir reduzir a idade mínima para as mulheres, agora diz que o objetivo é flexibilizar a situação das trabalhadoras rurais.

Clique para ampliar

Após o forte candle de alta desenhado no pregão de segunda-feira, que pode ser uma barra de ignição, o movimento de ontem seguiu o protocolo, apresentando uma movimentação lateral e com menor amplitude que a véspera.

Com a recuperação dos metais e petróleo nessa quarta-feira, a sessão poderá ser altista, com desafios na média móvel exponencial de 21 períodos, 64.770 e logo acima 65.300.

Por outro lado, a perda da mínima de ontem em 63.716 seria uma ducha de água fria para os touros.

Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da Top Traders
contato@TopTraders.Com.BR

Nenhum comentário:

Postar um comentário