sexta-feira, 28 de abril de 2017

Greve Geral


Bom dia investidor!

A greve geral em todo o Brasil contra as reformas trabalhista e da Previdência concentra as atenções dos mercados domésticos nesta sexta-feira, 28 de abril.

A paralisação e o fim de semana prolongado, com o feriado do Dia do Trabalhador na segunda-feira, tendem a diminuir o volume de negócios. A greve tem adesão de metroviários e motoristas de ônibus de São Paulo, bancários, professores, petroleiros e servidores públicos de diversas cidades do País. Várias manifestações já são registradas na capital paulista e em outras, com bloqueio de vias e rodovias em vários Estados.

Analistas têm dito nos últimos dias que uma grande adesão à paralisação pode aumentar os temores de que deputados não votem pela reforma da Previdência. Por enquanto, os votos contrários ao projeto só aumentam. A atualização do Placar da Previdência do Grupo Estado mostra que o número de deputados contrários à reforma subiu para 218, enquanto o dos que são a favor continua em 76.

O Planalto tenta diminuir o movimento, já avisou que vai cortar ponto de servidores que aderirem à greve e que não terá a postura tolerante em relação às manifestações dos 13 anos de governo petista.

A mesma postura vai ser adotada contra os deputados da base aliada que votaram contra a reforma trabalhista e que devem ser contra a reforma previdenciária.

Ontem o mercado teve uma sessão levemente negativa, mas conseguiu fechar acima das médias, nada que comprometa o movimento altista recente.

O movimento mais provável para hoje seria um abertura levemente positiva, seguida de compras graduais capazes de elevar o benchmark acima de 65.300 ao longo da sessão.

O próximo passo seria romper a máxima da semana em 65.436, onde terá dificuldade em razão do feriado e greve geral.


A expectativa é por uma sessão positiva, seguindo as commodities e bolsas internacionais.

IBOVESPA às 10:12 - clique para ampliar

Os preços do cobre operam sem direção única nesta sexta-feira, ora apoiados pela ameaça de uma greve de trabalhadores em uma mina na Indonésia, ora pressionados pelo excesso de estoque em Londres.

Por volta das 9h25 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) subia 0,06%, a US$ 5.718,50 por tonelada. Já na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o cobre para julho tinha leve alta de 0,04%, a US$ 2,5940 por libra-peso.

Após seis sessões seguidas de queda devido ao aumento dos estoques nos armazéns da LME, os preços do metal exibem tentativa de recuperação ajudados pela possível greve de trabalhadores na mina Grasberg da Freeport-McMoRan a partir do dia 1º de maio para protestar contra cortes de empregos planejados, de acordo com Alastair Munro, da Marex Spectron.

Entre os demais metais negociados na LME, o alumínio operava estável a US$ 1.926,00 uma tonelada métrica, o chumbo avançava 0,54%, a US$ 2.225,00 a tonelada métrica, e o zinco ganhava 0,71%, a US$ 2.638,00 a tonelada métrica. O níquel avançava 1,12%, para US$ 9.450,00 a tonelada métrica e o estanho recuava 0,03%, a US$ 19.990,00 a tonelada métrica. 

Os 24 países da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e grandes produtores de fora do cartel que concordaram em reduzir a produção no ano passado alcançaram um nível de conformidade de 98% das margens de saída em março, de acordo com um relatório do comitê de monitoramento do grupo.

Os preços do petróleo operam em alta nesta sexta-feira, em um movimento de recuperação das recentes perdas, apoiado por um dólar mais enfraquecido ante as principais moedas.

Às 9h30 (de Brasília), o petróleo tipo Brent para julho subia 1,16% na IntercontinentalExchange (ICE), a US$ 52,42 por barril, enquanto o WTI para junho avançava 1,18% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 49,55 por barril.

O dólar mais fraco torna as commodities denominadas em dólares, como o petróleo, mais acessível para detentores de outras moedas. O índice do dólar de Wall Street Journal, que avalia a moeda americana contra uma cesta de outras 16 moedas, caía 0,18%. O dólar índex, que mede o dólar contra seis moedas fortes, recuava 0,28%.

O aumento nos preços nesta manhã tem sido impulsionado também pelas recentes quedas que levaram o petróleo bruto para mínima em um mês, uma vez que os investidores continuam preocupados com o excesso de oferta no mercado.

O mercado aguarda agora pelo número de poços e de plataformas em atividade nos EUA, que será divulgado pela Baker Hughes às 14h.


Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@TopTraders.Com.BR

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Política e China em destaque


Bom dia investidor!

O lucro do setor industrial da China subiu 23,8% em março ante o mesmo mês do ano passado, desacelerando na comparação com o crescimento anual de 31,5% nos primeiros dois meses, de acordo com dados do governo divulgados hoje.

O crescimento de matérias-primas ultrapassou o aumento de produtos com valor agregado em março, levando a uma desaceleração do crescimento do lucro de grandes empresas.

No período de janeiro a março, o lucro industrial subiu 28,3% ante o mesmo período do ano passado, após crescer 8,5% em 2016, ainda de acordo com o governo.

Os lucros das companhias privadas subiu 70,5% no primeiro trimestre ante o mesmo período do ano passado, enquanto os ganhos das empresas privadas subiu 15,9%. 

Os futuros de cobre operam em baixa nesta manhã, revertendo ganhos da sessão anterior, após o governo Trump anunciar ontem uma proposta de reforma tributária que não trouxe detalhes suficientes, segundo operadores. Surgiram dúvidas também sobre a aprovação do plano no Congresso norte-americano.

Por volta das 9h09 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) recuava 0,37%, a US$ 5.713,00 por tonelada.

Já na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o cobre para julho tinha leve queda de 0,12%, a US$ 2,5975 por libra-peso.

Outros metais básicos na LME não tinham direção única: o alumínio tinha alta marginal de 0,03% no horário acima, a US$ 1.970,00 por tonelada; o chumbo subia 0,09%, a US$ 2.194,00 por tonelada; o estanho mostrava leve ganho de 0,05%, a US$ 19.920,00 por tonelada; o zinco recuava 0,25%, a US$ 2.624,00 por tonelada; e o níquel apresentava baixa de 0,32%, a US$ 9.255,00 por tonelada.

Os preços do petróleo recuam com força nesta quinta-feira em meio a dados mistos dos estoques norte-americanos divulgados ontem e as crescentes preocupações de que uma ação de suprimento por parte dos grandes produtores pode não ser suficiente para compensar um superávit global. Além disso, há dúvidas sobre se a Rússia irá prorrogar esforços de cortar sua produção da commodity.

Às 9h15 (de Brasília), o Brent para julho caía 1,30% na ICE, a US$ 51,73 por barril, enquanto o WTI para junho recuava 1,13% na Nymex, a US$ 49,06 por barril.

Os preços chegaram a subir durante a noite com dados do Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) mostrando que os estoques de petróleo dos EUA caíram 3,6 milhões de barris na semana passada. Mas o sentimento positivo do mercado reverteu diante das preocupações de um excesso de oferta de produtos petrolíferos.

Os estoques de gasolina cresceram 3,4 milhões de barris na semana passada. Além disso, os estoques de diesel também aumentaram inesperadamente, com avanço de 2,7 milhões de barris, uma vez que a demanda dos consumidores não conseguiu absorver um fluxo constante de produtos petrolíferos bombeados pelas refinarias que trabalham em níveis de eficiência quase superiores.

O Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês) decidiu hoje manter sua política monetária inalterada, após reunião de dois dias, uma vez que a inflação tem se mantido abaixo do previsto. O BC japonês, no entanto, reduziu sua projeção de inflação para o atual ano fiscal e se mostrou mais otimista em relação ao crescimento da economia.

Por sete votos a dois, os dirigentes do BoJ decidiram manter a meta para o juro do bônus do governo japonês (JGB) de 10 anos em zero e a taxa para certos depósitos bancários em -0,1%.

Além disso, o BC do Japão reiterou que continuará adquirindo JGBs num ritmo anual de 80 trilhões de ienes.

O índice de confiança do consumidor da Alemanha subiu para 10,2 na pesquisa de maio do instituto GfK, de 9,8 na leitura de abril. O dado superou as expectativas de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam leve avanço do índice, a 9,9, e sugere que a confiança vai se fortalecer no próximo mês.

O GfK atribui a esperada melhora do índice a uma recente desaceleração da inflação alemã.

O instituto de pesquisa alemão utiliza dados do mês atual para estimar a confiança do mês seguinte.

Após grande esforço do governo nas últimas horas, o texto da reforma trabalhista foi aprovado no plenário da Câmara na noite desta quarta-feira. Em votação nominal, o texto recebeu 296 votos a favor e 177 votos contrários. Em seguida, acontecerá a votação dos destaques que podem alterar o texto aprovado.

Entre os partidos, o PSB acabou seguindo a determinação da direção do partido e orientou votação contra a proposta. O Solidariedade, partido da base governista, também orientou voto contra o projeto da reforma. PHS liberou a bancada.

No mercado financeiro, analistas citavam o parâmetro próximo de 300 votos a favor da reforma trabalhista como um parâmetro para avaliar a capacidade do governo de conquistar votos no Congresso. A preocupação é a reforma da Previdência. Enquanto a reforma trabalhista precisava maioria simples (metade mais um dos presentes), a reforma previdenciária - considerada essencial para o equilíbrio das contas públicas - exige 308 votos em duas votações.

Durante o dia, governistas mantiveram o discurso de que a matéria passaria "com folga" na Câmara. Apesar do tom, a base aliada trabalhou em ritmo frenético para garantir número de votos próximo aos 300 exigidos para aprovar a reforma da Previdência. Nesse esforço de última hora, houve ajuste do texto em vários pontos reclamados pela bancada feminina para tenta atrair 54 votos das deputadas.

Destaques. Após aprovar o texto, parlamentares têm 17 destaques de bancada apresentados ao projeto e que deverão ser avaliados pelos parlamentares. Governistas rejeitaram todos os 24 destaques simples que sugeriam mudança no texto da reforma trabalhista.


Clique para ampliar

O gráfico diário do Ibovespa mostra um candle de variação limitada no pregão de ontem, porém com mínima e máxima mais altas que a sessão anterior.

Podemos notar que esse movimento ocorre nos últimos cinco dias, indicando domínio comprador no curtíssimo prazo.

As médias estão em ponto de cruzamento para compra.

Se o benchmark romper e fechar acima da máxima de ontem (65.436), terá caminho livre rumo a 66.211, divisor de águas, que poderá indicar se os negócios atuais são repique ou reversão.

O caminho mais provável para essa quinta-feira é uma abertura em alta moderada, mantida por toda a sessão.


Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders


contato@TopTraders.Com.BR

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Ibovespa rompe importante resistência


Bom dia investidor!

O governo da Alemanha elevou ligeiramente sua projeção de crescimento econômico para este ano, afirmando que a maior economia da Europa está crescendo com firmeza.

A economia alemã deverá expandir 1,5% este ano e 1,6% em 2018, segundo a ministra da Economia, Brigitte Zypries. Em janeiro, o governo projetou crescimento de 1,4% em 2017.

Segundo a ministra, a economia alemã está mantendo uma sólida trajetória de crescimento apesar das incertezas globais, com criação de empregos saudáveis que apoiam a demanda doméstica.

Os futuros do petróleo operam em queda nesta quarta-feira em meio a temores de que o aumento dos estoques de petróleo dos EUA e a produção de xisto estão anulando os esforços dos principais produtores para controlar a oferta global.

Às 9h02 (de Brasília), o petróleo tipo Brent para julho, que já é o mais líquido, caía 0,76% na IntercontinentalExchange (ICE), a US$ 52,17 por barril, enquanto o WTI para junho tinha baixa de 0,65% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 49,24 por barril. O Brent para junho recuava 0,73%, a US$ 51,72.

O American Petroleum Institute (API, uma associação de refinarias) divulgou ontem estimativa de que os estoques de petróleo dos Estados Unidos avançaram 900 mil barris na semana passada. Os estoques de gasolina tiveram crescimento de 4,4 milhões de barris. Agora, o mercado aguarda pelos dados oficiais do Departamento de Energia dos EUA (DoE, na sigla em inglês), que serão conhecidos às 11h30 (de Brasília).

Os futuros de cobre operam em leve baixa nesta manhã, num aparente movimento de realização de lucros, após acumularem ganhos nas últimas quatro sessões graças à recente diminuição dos estoques do metal básico em Londres.

Por volta das 9h05 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) recuava 0,23%, a US$ 5.701,00 por tonelada.

Já na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o cobre para maio tinha declínio de 0,14%, a US$ 2,5750 por libra-peso.

Recentemente, o cobre foi beneficiado por quatro quedas consecutivas nos estoques de cobre da LME, que ajudaram o metal a se recuperar de mínimas em três meses atingidas em 19 de abril.

O governo aposta na divisão do PSB para garantir a maioria dos votos do partido nas votações das reformas trabalhista e da Previdência. O fato de ter conseguido 16 dos 35 votos do partido na aprovação da urgência da reforma trabalhista animou o governo, que quer aproveitar a revolta de parte dos deputados do PSB contra a decisão de fechar questão contra as reformas para conseguir apoio em outras bancadas. A estimativa é de que já tenham hoje 20 votos da bancada.

O Planalto comemorava ainda a decisão do PSD, liderado pelo ministro da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, Gilberto Kassab, ter fechado questão a favor dos textos e quer tentar usar estes dois exemplos para influenciar em outros partidos. Mas o fato é que, nem no caso do PMDB, seu partido, tem garantia de fechamento de questão.

O presidente Michel Temer vai continuar investindo em almoços, cafés, jantares e concessão de audiências a bancadas e parlamentares, isoladamente, para angariar mais e mais votos para as reformas. "Qualquer voto é fundamental", tem repetido o presidente, que comemorou o quórum na reunião de governadores nesta terça-feira e o discurso que considerou positivo, a favor dos textos.

Clique para ampliar

Ontem o Ibovespa rompeu uma importante região de resistência, formada pela média móvel exponencial de 21 períodos e acionando um pivô de alta ao deixar 64.590 para trás.

O histórico recente é de rompimentos falsos para cima e para baixo, portanto o desafio será efetuar uma consolidação e não devolver a alta recente.

A abertura de hoje deverá ser negativa, seguida de recuperação intradiária e fechamento em alta moderada.

Suporte imediato 64.770, o qual terá provável teste no período da manhã, logo após a abertura.


Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@TopTraders.Com.BR

terça-feira, 25 de abril de 2017

Reforma Trabalhista em destaque


Bom dia investidor!

A Bolsa de Tóquio fechou com ganho superior a 1% pelo terceiro pregão consecutivo nesta terça-feira, o que não acontecia desde junho do ano passado, uma vez que o iene manteve-se fraco ante o dólar na esteira do resultado do primeiro turno da eleição presidencial francesa, no fim de semana, e após novos rumores sobre incentivos tributários nos EUA.

O índice Nikkei subiu 1,08%, encerrando os negócios a 19.079,33 pontos, seu maior nível em três semanas.

Os empréstimos inadimplentes pararam de avançar na China e a pressão de saída de capitais diminuiu, afirmou Yi Gang, vice-presidente do banco central chinês (PBoC, na sigla em inglês), acrescentando, porém, que é preciso "ficar de olho no fenômeno e identificar o motivo por trás dele", segundo a agência de notícias estatal Xinhua.

Yi também apontou o progresso que Pequim tem feito ao abrir seu mercado de bônus para investidores estrangeiros. "No fim do ano passado, havia mais de 400 instituições estrangeiras investindo no mercado interbancário de bônus da China, com um montante total de mais de 800 bilhões de yuans", declarou ele à Xinhua.

Os preços do petróleo operam ligeiramente mais altos nesta terça-feira, mas tem oscilado um pouco acima do seu nível mais baixo neste mês, em meio a contínuas dúvidas de que o excesso de petróleo bruto global está sendo drenado.

O petróleo Brent caiu cerca de 5% na semana. Isso reflete a recente preocupação dos investidores com a força da recuperação da produção de petróleo dos EUA e dúvidas na crença de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) pode efetivamente levar o mercado de volta ao equilíbrio após vários anos de excesso de oferta.

Às 9h02 (de Brasília), o petróleo tipo Brent para junho subia 0,33% na IntercontinentalExchange (ICE), a US$ 51,77 por barril, enquanto o WTI para o mesmo mês tinha alta de 0,33% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 49,39 por barril

Os futuros de cobre operam em alta nesta manhã, ainda sustentados por reduções nos estoques do metal básico em Londres.

Por volta das 9h05 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) subia 0,65%, a US$ 5.691,50 por tonelada.

Já na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o cobre para maio tinha alta de 0,80%, a US$ 2,5730 por libra-peso.

Segundo Alastair Munro, da Marex Spectron, os estoques de cobre na LME caíram hoje pela quarta sessão consecutiva, a 134 mil toneladas, estimulando a demanda pelo metal.

Outros metais básicos na LME não tinham direção única: o alumínio mostrava leve alta de 0,13%, a US$ 1.952,50 por tonelada; o estanho caía 0,13%, a US$ 19.610,00 por tonelada; o zinco ganhava 0,90%, a US$ 2.621,00 por tonelada; o chumbo exibia valorização de 0,23%, a US$ 2.163,50 por tonelada; e o níquel recuava 0,16% a US$ 9.255,00 por tonelada.

A reforma trabalhista deve ser aprovada ainda esta semana pela Câmara, segundo a Eurasia. Com a probabilidade crescente de o recesso parlamentar de julho ser cancelado, a consultoria acredita que o projeto pode ser aprovado pelo Senado no final de julho. "O projeto, que busca introduzir mais flexibilidade no mercado de trabalho, terá um efeito significativo no ambiente de negócios e é o item mais importante na agenda de reformas depois da Previdência", dizem os analistas em relatório.

A Eurasia lembra que há uma greve geral marcada para esta semana, mas afirma que uma esquerda enfraquecida e o fato de o governo já ter negociado as mudanças com sindicatos significam que as condições para a aprovação do projeto "são predominantemente favoráveis".

A consultoria lembra que o ideal é que a reforma seja analisada rapidamente pelo Senado, para não se confundir com o andamento das mudanças na Previdência. Além disso, a votação da reforma trabalhista servirá de termômetro para as mudanças previdenciárias. "Embora a reforma trabalhista seja possivelmente tão polêmica quanto a da Previdência, é necessário um número mínimo de votos menor votos", lembra a Eurasia.

Clique para ampliar

O Ibovespa parece ter desenhado um fundo duplo entre março e abril e segue marcando máximas e mínimas mais altas que a sessão anterior no curtíssimo prazo.


IBOV curto prazo - clique para ampliar

Se romper 64.590 teremos um pivot de alta e a média móvel exponencial de 21 períodos seria automaticamente vencida.

Em caso de correção, o suporte imediato é 63.740.

O movimento mais provável para hoje é um abertura em terreno negativo, com recuperação ao longo do dia e fechamento em campo positivo de forma moderada.

Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@TopTraders.Com.BR

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Mundo Verde


Bom dia investidor!

A Bolsa de Tóquio fechou com o maior ganho em seis semanas nesta segunda-feira, à medida que a fraqueza do iene ante o dólar impulsionou ações japonesas na esteira do primeiro turno da eleição presidencial francesa.

O índice Nikkei teve alta de 1,37% hoje, encerrando o pregão a 18.875,88 pontos.

O índice de sentimento das empresas da Alemanha subiu para 112,9 em abril, de 112,4 em março, atingindo o maior nível desde julho de 2011, segundo o instituto alemão Ifo.

Para o presidente do Ifo, Clemens Fuest, o resultado é um sinal de que a economia alemã "está crescendo com força".

Apenas o subíndice de condições atuais avançou para 121,1 em abril, de 119,5 em março. Por outro lado, o subíndice sobre as expectativas das empresas para os próximos seis meses recuou neste mês a 105,2, de 105,7 em março.

O Ifo entrevista cerca de 7.000 empresas dos setores de manufatura, construção, atacado e varejo para sua pesquisa mensal.

As bolsas europeias sobem com vigor na manhã desta segunda-feira, aliviadas pelo resultado do primeiro turno da eleição presidencial francesa.

A Bolsa de Paris, por exemplo, avança além de 4% e o índice pan-europeu Stoxx-600 sobe mais de 1,5%, com todos os setores no terreno positivo. Os mercados da região comemoram a diminuição dos temores na União Europeia (UE) com a possibilidade de o populismo vencer o pleito na França, como ocorreu nos Estados Unidos e depois do Brexit (processo de saída do Reino Unido da UE).

As moedas locais também operam em alta, com o euro chegando a saltar ao maior nível desde novembro do ano passado.



Ontem, o ex-ministro da economia Emmanuel Macron venceu o primeiro turno das eleições francesas. No dia 7 de maio, ele disputará a segunda rodada com a candidata de extrema-direita, Marine Le Pen. A segunda maior economia da região verá um confronto direto entre o recém-criado movimento "Em Marche!", do social-liberal, com a eurocética do partido nacionalista Frente Nacional, considerada a favorita durante parte da campanha. O quadro eleitoral encerra o bipartidarismo de socialistas e republicanos que se alternaram no Palácio do Eliseu por 36 anos.

Os futuros de petróleo operam em alta nesta manhã, após registrarem perdas de cerca de 7% na semana passada, mas alguns analistas duvidam que os preços avancem muito além de US$ 50 por barril, uma vez que o aumento na produção dos EUA limita ganhos.

Às 9h05 (de Brasília), o petróleo tipo Brent para junho subia 0,87% na IntercontinentalExchange (ICE), a US$ 52,41 por barril, enquanto o WTI para o mesmo mês tinha alta de 0,89% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 50,06 por barril.

A commodity se recupera após tocar os menores níveis em três semanas, pressionada por dados mostrando que a produção dos EUA continua em expansão, que os estoques de gasolina cresceram mais e que o número de plataformas em operação no país também está aumentando.

Os futuros de cobre operam em alta nesta manhã, após uma nova redução nos estoques do metal básico em Londres.

Por volta das 9h10 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) subia 0,47%, a US$ 5.664,00 por tonelada.

Já na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o cobre para maio tinha alta de 0,73%, a US$ 2,5560 por libra-peso.

Segundo Alastair Munro, da Marex Spectron, os estoques de cobre na LME caíram hoje pela terceira sessão consecutiva, favorecendo a demanda pelo metal.

Outros metais básicos na LME operavam sem direção única: o alumínio tinha alta marginal de 0,03%, a US$ 1.936,00 por tonelada; o estanho recuava 0,18%, a US$ 19.720,00 por tonelada; o zinco ganhava 0,39%, a US$ 2.596,00 por tonelada; o chumbo exibia valorização de 0,30%, a US$ 2.148,00 por tonelada; e o níquel caía 0,37% a US$ 9.345,00 por tonelada. 

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que "não serão uma ou duas semanas que farão diferença para a aprovação da reforma da Previdência", pelo Congresso, pois o "importante é que seja aprovada." O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) disse hoje em Foz do Iguaçu se não for possível a votação no plenário da Casa no dia 8 de maio, poderá ocorrer no dia 15 de maio.

O ministro da Fazenda ressaltou que a proposta da reforma da Previdência Social "está bem encaminhada" no Congresso, onde espera que será aprovada até o final de junho. Contudo, o ministro manifestou em Washington que caso ocorra algum adiamento e fosse aceita de forma definitiva pelos parlamentares em agosto, não seriam gerados problemas para a correção das contas públicas no longo prazo. Para ele, no entanto, o impacto maior poderia ocorrer sobre expectativas de investidores, com efeito em preços de ativos financeiros.

Os economistas do mercado financeiro voltaram a reduzir suas projeções para o IPCA neste e no próximo ano. O Relatório de Mercado Focus, divulgado há pouco pelo BC, mostra que a mediana para o IPCA - o índice oficial de inflação - em 2017 foi de 4,06% para 4,04%. Há um mês, estava em 4,12%. Já a projeção para o IPCA de 2018 foi de 4,39% para 4,32%, ante 4,50% de quatro semanas atrás.

Na prática, as projeções de mercado divulgadas hoje no Focus indicam que a expectativa é que a inflação fique abaixo do centro da meta, de 4,5%, em 2017 e 2018. A margem de tolerância para estes anos é de 1,5 ponto porcentual (inflação entre 3,0% e 6,0%).

O gráfico diário do Ibovespa mostra um fechamento colado no suporte 63.740.

Isso deverá impulsionar uma abertura positiva, amparada pelo cenário externo otimista.

Deverá testar ao longo do dia, quem sabe logo após o início dos negócios, a máxima da semana passada em 64.590.

Se conseguir trabalhar e fechar acima desse patamar teremos um pivô de alta e expectativa de alta para os próximos dias, com boas chances de bater em 65.300 até sexta-feira.

Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da Top Traders
contato@TopTraders.Com.BR



quinta-feira, 20 de abril de 2017

Pregão deverá ser movimentado antes do feriado


Bom dia investidor!

A Bolsa de Tóquio fechou praticamente estável nesta quinta-feira, após exibir leves ganhos nos três pregões anteriores, em meio ao ambiente de cautela inspirado pelas tensões entre EUA e Coreia do Norte e a aproximação da eleição presidencial na França.

O índice Nikkei registrou hoje baixa marginal de 0,01% na capital japonesa, a 18.430,49 pontos.

Ao longo da semana, o apetite por risco em Tóquio tem sido prejudicado pela troca recente de ameaças entre Washington e o regime norte-coreano. Ontem, o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, disse que seu país responderia de forma "devastadora" ao eventual uso de armas pela Coreia do Norte, nucleares ou não.

Além disso, preocupa o futuro da França, que realiza o primeiro turno de sua eleição presidencial no domingo (23). O maior temor é uma eventual vitória de Marine Le Pen, candidata de extrema direita que defende a retirada da França da zona do euro.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) fechou um acordo preliminar para estender cortes na produção do grupo, informou hoje o ministro de Energia da Arábia Saudita, Khalid al-Falid.

Pelo pacto atual, anunciado em novembro, a Opep vem buscando reduzir sua produção em cerca de 1,2 milhão de barris por dia ao longo do primeiro semestre do ano.

Segundo Falid, a extensão é necessária, mas talvez não dure outros seis meses, e o acordo preliminar não foi ratificado por todos os integrantes da Opep.

O apoio da Arábia Saudita é fundamental para que a Opep prorrogue os cortes na produção em reunião que fará em Viena no dia 25 de maio.

Falid também comentou que os esforços de conter a oferta de petróleo têm como principal objetivo reduzir os estoques da commodity para a média de cinco anos, meta que ainda não foi alcançada.

A Arábia Saudita já sinalizou a autoridades da Opep que deseja aprovar a extensão do acordo por mais seis meses quando o grupo se reunir no próximo mês, segundo fontes com conhecimento do assunto.

Ontem, os preços do petróleo despencaram mais de 3,5% e atingiram os menores níveis em quase três semanas após dados mostrarem que a produção dos EUA atingiu o maior nível em 20 meses na semana passada.

Às 9h15 (de Brasília), o petróleo tipo Brent para junho subia 0,94% na IntercontinentalExchange (ICE), a US$ 53,43 por barril, enquanto o WTI para o mesmo mês avançava 0,90% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 51,31 por barril. O WTI de maio, que vence no fim dos negócios de hoje, tinha alta de 0,89%, a US$ 50,8 por barril.

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil "deve crescer 3%" em 2018, porque a base de comparação é muito baixa, dada a previsão dele de que o País deve avançar 0,5% em 2017. Além disso, Meirelles apontou que o processo de retomada da expansão da atividade pode permitir um aumento da contratação de mão de obra, o que colaborará para gerar emprego e renda.

"O PIB de 2018 começará a um ritmo de 3% em termos anualizados. Isto porque o Brasil no quarto trimestre deste ano, na margem, deve avançar perto de 3% numa base anualizada", ponderou Meirelles. O ministro ressaltou que o PIB no quarto trimestre de 2017, ante o mesmo período de 2016, deve subir ao redor de 2,7%.

O PIB deve crescer aproximadamente 0,7% no primeiro trimestre deste ano ante o quarto trimestre de 2016. O ministro fez os comentários em entrevista coletiva para jornalistas brasileiros no dia de sua chegada à capital dos Estados Unidos para participar da reunião da Primavera do Fundo Monetário Internacional.

Vinte e quatro horas após sofrer uma derrota em plenário, a base aliada na Câmara conseguiu aprovar o requerimento de urgência que dá celeridade à apreciação do projeto da reforma trabalhista. Embora os aliados afirmem que manterão a votação do texto na comissão especial na próxima semana, o requerimento aprovado abre brecha para que a votação seja feita diretamente no plenário.

Ontem, o requerimento teve o apoio de apenas 230 deputados, 163 votaram contra e apenas um parlamentar se absteve. Sem os 257 votos necessários, o requerimento foi rejeitado na noite anterior. Hoje foram 287 votos a favor e 144 contra. Os partidos de oposição e o Solidariedade, que integra a base governista, orientaram voto contra o requerimento. O PSB, também da base aliada, liberou a bancada a votar livremente.

Os futuros de cobre mantêm o tom positivo da última sessão nesta manhã, estendendo a recuperação das mínimas desde janeiro que atingiu recentemente, em meio ao enfraquecimento do dólar e o bom desempenho comercial do Japão e China.

Por volta das 9h20 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) subia 1,01%, a US$ 5.651,00 por tonelada.

Já na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o cobre para maio tinha alta de 0,49%, a US$ 2,5470 por libra-peso.

Entre outros metais básicos na LME, os ganhos eram generalizados: o alumínio subia 1,44%, a US$ 1.940,00 por tonelada; o estanho avançava 0,76%, a US$ 20.000,00 por tonelada; o zinco ganhava 1,95%, a US$ 2.619,50 por tonelada; o chumbo tinha valorização de 1,11%, a US$ 2.184,50 por tonelada; e o níquel mostrava alta de 0,85% a US$ 9.470,00.

Clique para ampliar

Pelo segundo pregão seguido, o Ibovespa tocou a média móvel exponencial de 21 períodos e cedeu.

Para a sessão dessa quinta-feira o caminho mais provável seria o rompimento de 63.740 com possível teste da máxima da semana em 65.590.

Talvez falte fôlego pela cautela em razão do feriado e conflitos geopolíticos.

Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da Top Traders
contato@TopTraders.Com.BR


quarta-feira, 19 de abril de 2017

Congresso em destaque


Bom dia investidor!

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em baixa nesta quarta-feira, com o apetite por risco prejudicado por fatores geopolíticos.

A recente escalada das tensões entre EUA e os regimes da Coreia do Norte e da Síria continua pesando nos negócios da Ásia. Em discurso feito em um porta-aviões estacionado em mar japonês, o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, voltou a alertar a Coreia do Norte a não testar a determinação dos militares americanos, prometendo uma "resposta devastadora e efetiva" a qualquer uso de armas convencionais ou nucleares.

Na Europa, a primeira-ministra britânica, Theresa May, anunciou ontem que pretende antecipar as eleições gerais para 8 de junho, numa tentativa de fortalecer sua posição para as discussões sobre o chamado "Brexit" - processo pelo qual o Reino Unido deixará a União Europeia -, e a França realiza o primeiro turno de sua eleição presidencial no domingo. O maior temor na votação francesa é uma eventual vitória de Marine Le Pen, candidata de extrema-direita que defende a retirada da França da zona do euro.

Nos mercados chineses, o mau humor é também influenciado por temores de que Pequim seja mais rigoroso contra negócios especulativos. Ampliando perdas recentes, o índice Xangai Composto recuou 0,81% hoje, a 3.170,69 pontos, após chegar a atingir o menor nível em dez semanas durante o pregão, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto teve queda de 0,72%, a 1.932,46 pontos.

Em um mau sinal para a reforma da Previdência, a base governista perdeu ontem uma votação importante na Câmara. Em uma manobra para tentar acelerar a aprovação de mudanças na legislação trabalhista, o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), costurou com os líderes partidários um pedido de regime de urgência para o projeto. Entretanto, a proposta não alcançou o número de votos necessário para ser aprovada pelo plenário. Foram 230 votos a favor, 163 contrários e uma abstenção.

O resultado foi comemorado pela oposição, que se organizou e aproveitou que menos de 400 deputados estavam presentes na sessão. "Com a Previdência também será assim", avisou o deputado Paulo Pimenta (PT-RS). "O governo Temer registrou uma grande derrota", celebrou Afonso Florence (PT-BA). O próprio presidente da Casa assumiu o erro na condução dos trabalhos. "Informo ao plenário que a votação aconteceu com quórum baixo, eu encerrei a votação em momento equivocado. O erro foi meu, tinham 50 deputados na Casa que não tiveram o direito de votar".

Em contrapartida, o governo conseguiu uma vitória na noite desta terça-feira com a aprovação pelo plenário da Câmara do texto-base do Regime de Recuperação Fiscal (RFF) dos Estados.

Enquanto isso, as negociações para a reforma da Previdência seguem em ritmo forte. Após reunião com representantes dos policiais, o relator da proposta, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), afirmou na noite desta terça-feira que está tentando fazer um "desenho" para que a idade inicial de transição da categoria seja de 55 anos e a definitiva, "algo próximo" a que será estabelecida para os militares posteriormente. Já a bancada feminina, após conseguir reduzir a idade mínima para as mulheres, agora diz que o objetivo é flexibilizar a situação das trabalhadoras rurais.

Clique para ampliar

Após o forte candle de alta desenhado no pregão de segunda-feira, que pode ser uma barra de ignição, o movimento de ontem seguiu o protocolo, apresentando uma movimentação lateral e com menor amplitude que a véspera.

Com a recuperação dos metais e petróleo nessa quarta-feira, a sessão poderá ser altista, com desafios na média móvel exponencial de 21 períodos, 64.770 e logo acima 65.300.

Por outro lado, a perda da mínima de ontem em 63.716 seria uma ducha de água fria para os touros.

Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da Top Traders
contato@TopTraders.Com.BR

terça-feira, 18 de abril de 2017

Ata do Copom e metais no radar


Bom dia investidor!

O Escritório Nacional de Estatísticas da China divulgou hoje que os preços de moradias do país subiram em 68 de 70 cidades em março na comparação anual. Em fevereiro, havia sido registrada alta em 67 cidades, na mesma base. Já na comparação mensal, houve um avanço nos preços de moradias chinesas em 62 de 70 cidades em março; em fevereiro, a alta foi vista em 56 cidades.

O preço médio das casas novas na China subiu 10,3% na comparação com o mesmo período do ano passado e avançou 0,7% na comparação mensal. Em fevereiro, o avanço na comparação anual havia sido de 10,6%, enquanto a alta na comparação mensal foi de 0,33%. 

Os investimentos externos diretos da China fora do setor financeiro tiveram queda anual de 48,8% no primeiro trimestre, a U$ 20,54 bilhões, num momento em que Pequim intensificou a monitoração de recursos financeiros que saem do país, segundo dados publicados hoje pelo Ministério do Comércio chinês.

Apenas em março, o volume de investimentos chineses no exterior caiu 30,1% na comparação anual, a US$ 7,11 bilhões, informou o ministério. 

Bolsa de Tóquio fechou em alta moderada nesta terça-feira, mostrando falta de ímpeto para se valorizar com mais força diante da aproximação da temporada de balanços.

O índice Nikkei subiu 0,35%, a 18.418,59 pontos, após registrar ganho marginal de 0,11% no pregão anterior.

Segundo analistas, o avanço recente do iene ante o dólar deverá levar muitas empresas japonesas a ser conservadoras nas projeções de lucros para o ano fiscal iniciado neste mês. A temporada de resultados corporativos do Japão começa na próxima semana.

Supondo que a Coreia do Norte não demonstre que adquiriu a capacidade de atingir os Estados Unidos com mísseis balísticos, o que seria a "linha vermelha" efetiva para o governo de Donald Trump, uma ação militar americana para combater a ameaça norte-coreana permanece distante em um ano, na avaliação dos analistas Meredith Sumpter, Scott Seaman e Michael Hirson, do Eurasia Group. Para eles, funcionários do governo dos EUA já assinalaram que a opção militar estava em segundo plano e, em Seul, o vice-presidente Mike Pence afirmou que Washington buscaria, em primeiro lugar, a segurança por "meios pacíficos e por negociações".

De acordo com o Eurasia Group, o cenário mais provável para 2017 é o de que Trump aumente a pressão econômica, diplomática e de defesa e segurança sobre a Coreia do Norte por conta própria e, também, em colaboração com a China e com outros países "para aumentar drasticamente os custos do regime de Kim Jong Un de continuar a agir provocativamente".

Os preços do cobre caíram nesta terça-feira, com a queda nos preços do minério de ferro superando os dados positivos da China e levando os preços do cobre para baixo.

Por volta das 9h30 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) caía 0,40%, a US$ 5.658,00 por tonelada. Já na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o cobre para maio tinha queda de 1,54%, a US$ 2,5560 por libra-peso.

Os ganhos do cobre foram apagados durante a abertura dos negócios em Londres, refletindo uma baixa nos preços do minério de ferro, que caíram 6,5% desde que a Bolsa de Metais de Londres fechou antes do feriado prolongado de Páscoa, de acordo com Matt France, da Marex Spectron.

Nos últimos dias, os preços de futuros de aço e de minério de ferro caíram, pressionados por uma combinação da forte produção e da demanda em queda por parte da China. Os preços do minério de ferro perderam mais de um terço de seu valor em relação à alta de quatro anos de março, com o aço recuando mais de 20%.

Entre outros metais básicos negociados na LME, os resultados eram mistos.

Por volta das 9h30, o alumínio subia 0,70%, a US$ 1.932,00 por tonelada; o estanho avançava 0,87%, para US$ 19.800,00 por tonelada. Já o zinco caía 1,11%, para US$ 2.593,00 por tonelada; o chumbo recuava 1,45%, a US$ 2,207,50 por tonelada; e o níquel baixava 1,13%, para US$ 9.595,00 por tonelada.

O Comitê de Política Monetária (Copom) volta a ressaltar que o ritmo de flexibilização monetária está diretamente relacionado à extensão e eventual antecipação do ciclo de queda do juro. "O Copom ressalta que o ritmo de flexibilização monetária dependerá da extensão do ciclo pretendido e do grau de sua antecipação", citam os diretores no parágrafo 28 da ata divulgada há pouco.

Esse debate sobre a velocidade da queda do juro também é influenciado, argumentaram os diretores do BC, pela "evolução da atividade econômica, dos demais fatores de risco e das projeções e expectativas de inflação".

Diante dessa avaliação, os diretores afirmam que "o atual ritmo é adequado". "Entretanto, a atual conjuntura econômica recomenda monitorar a evolução dos determinantes do grau de antecipação do ciclo", completa o documento.


Clique para ampliar

O Ibovespa montou fundo na região de suporte formada por 62.935 e fundo de março (62.496), buscando um ponto intermediário entre ambos como mínima (62.826).

A impressão que passa é de uma pinça de fundo, que ontem foi capaz de impulsionar o mercado até a região da MME de 21 períodos.

Hoje a abertura deverá ser negativa, devolvendo parte dos ganhos.

O desafio será segurar em 63.740 como suporte.

Se o fizer a compra vai dominar a sessão, caso contrário vai mirar 62.935 novamente.


Bons negócios!

Wagner Caetano, da TopTraders, para o Cartezyan



contato@TopTraders.Com.BR



segunda-feira, 17 de abril de 2017

Mais uma semana curta e volátil


Bom dia investidor!

A economia chinesa cresceu 6,9% no primeiro trimestre de 2017 em relação ao mesmo período do ano passado, informou nesta segunda-feira (17) o Bureau Nacional de Estatísticas do país. 

O resultado é superior à meta anual de crescimento, de 6,5%, e à expansão registrada no último trimestre de 2016, de 6,8%. Também é o ritmo mais acelerado de crescimento registrado desde o terceiro trimestre de 2015.

Desde então, o governo chinês adotou políticas para estimular a economia, que parecem estar funcionando. Pequim tornou o crédito mais fácil e acelerou os gastos públicos. 

A produção industrial da China avançou em ritmo mais forte em março, segundo dados do Escritório Nacional de Estatísticas, em mais uma sinalização da recente firmeza na segunda maior economia do mundo.

No mês passado, a indústria chinesa produziu 7,6% mais do que em março de 2016. No primeiro bimestre, a produção havia crescido 6,3% na comparação anual.

Os dados de janeiro e fevereiro foram divulgados juntamente para evitar distorções sazonais relacionadas ao feriado de uma semana do ano novo lunar.

No confronto mensal, a produção industrial chinesa subiu 0,83% em março, após aumentar 0,60% em fevereiro.

Já as vendas no varejo da China tiveram expansão anual de 10,9% em março, também mostrando aceleração ante o ganho de 9,5% do primeiro bimestre e superando a projeção do mercado, de alta de 9,7%. Na comparação mensal, as vendas do setor varejista avançaram 0,84% em março, depois de crescerem 0,95% em fevereiro.

Também foram publicados dados sobre investimentos em ativos fixos em áreas não rurais da China, que tiveram alta de 9,2% no primeiro trimestre ante igual período do ano passado. No primeiro bimestre, o ganho anual havia sido um pouco menor, de 8,9%. O resultado trimestral do indicador, que serve de barômetro para o ritmo da atividade no setor de construção, também veio acima da previsão de analistas, que era de aumento de 8,7%. 

A Bolsa de Tóquio fechou em alta marginal nesta segunda-feira, interrompendo uma sequência de quatro pregões negativos, impulsionada por ações chamadas "defensivas", que se beneficiam da demanda no Japão.

O índice Nikkei subiu 0,11%, encerrando a sessão a 18.355,26 pontos.

O vice-ministro das Relações Exteriores da Coreia do Norte, Han Song Ryol, afirmou na sexta-feira que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, é culpado por construir um "círculo vicioso" de tensões na Península Coreana, ao dizer que seus tuítes "agressivos" estão "causando problemas". Em entrevista exclusiva à Associated Press, a autoridade também advertiu para que os EUA não provoquem militarmente o regime norte-coreano. "Nós iremos para a guerra se eles escolherem isso", afirmou.

A Rússia, a Síria e o Irã advertiram os Estados Unidos contra qualquer novo ataque na Síria. O governo do presidente americano, Donald Trump, lançou um ataque com mísseis contra uma base militar do país, após o suposto uso de armas químicas pelo regime do líder sírio, Bashar al-Assad.

Os futuros de petróleo operam em baixa nesta manhã, novamente pressionados pelos últimos sinais de avanço na produção dos EUA.

Às 9h15 (de Brasília), o petróleo tipo Brent para junho caía 0,84% na IntercontinentalExchange (ICE), a US$ 55,42 por barril, enquanto o WTI para maio recuava 0,83% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 52,74 por barril.

Segundo Edward Bell, analista do banco Emirates NBD em Dubai, a recente revisão para cima nas projeções de produção dos EUA por grandes entidades, como a Agência Internacional de Energia (AIE), a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e o Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) norte-americano, deve "estar pesando nos mercados".

O relator da reforma da Previdência, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), afirmou há pouco que a idade mínima de 65 anos para homens e mulheres "continua sendo o ponto mais alto da PEC". "Nós pretendemos que assim permaneça, como está na PEC", disse Oliveira Maia após reunir-se com o presidente Michel Temer e ministros no Palácio do Alvorada para apresentar pontos já modificados em seu relatório.

O presidente da comissão especial da reforma na Câmara, deputado Carlos Marun (PMDB-MS), também disse ser muito difícil alterar esse ponto. "Não vejo essa possibilidade, mulher luta por uma igualdade", afirmou. Apesar disso, interlocutores do Palácio do Planalto reconhecem que, se houver necessidade de flexibilizar a idade mínima das mulheres para vencer resistências (principalmente da bancada feminina), essa cartada será lançada diretamente no plenário.

Clique para ampliar

O Ibovespa fechou a semana anterior quase na mínima, com as médias inclinadas para a venda.

O movimento mais provável para hoje será uma abertura em campo positivo, com entrada de pressão vendedora ao longo do dia.

Abaixo de 62.935 terá suporte em 62.496.

Se perder esse patamar vai mirar a região destacada em verde na imagem.



Bons negócios!

Wagner Caetano, da TopTraders, para o Cartezyan

contato@TopTraders.Com.BR

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Ibovespa começa a apontar para a LTA


Bom dia investidor!

A China voltou a garantir superávit em sua balança comercial em março, graças a uma recuperação das exportações, depois de apresentar um inesperado déficit em fevereiro.

No mês passado, a segunda maior economia do mundo registrou superávit comercial de US$ 23,93 bilhões, revertendo o déficit de US$ 9,15 bilhões observado em fevereiro, segundo dados da Administração Geral de Alfândega do país. 

As exportações chinesas medidas em dólares subiram 16,4% na comparação anual de março, após mostrarem queda de 1,3% em fevereiro. O resultado superou de longe a projeção do mercado, que era de acréscimo de 4,9%.

Já as importações da China tiveram expansão anual de 20,3% em março, após saltarem 38,1% no mês anterior. Neste caso, a previsão dos analistas era de alta de 18,4% nas importações. 

A Bolsa de Tóquio fechou em baixa nesta quinta-feira, mantendo a tendência negativa pelo terceiro dia seguido, após comentários do presidente dos EUA, Donald Trump, contribuírem para a recente valorização do iene frente ao dólar.

O Nikkei encerrou o pregão em queda de 0,68% na capital japonesa, a 18.426,84 pontos, após recuar 1,04% ontem.

Em entrevista divulgada ontem pelo Wall Street Journal, Trump disse que o dólar "está ficando muito forte", o que ajudou a manter a força do iene durante a maior parte da madrugada.

Nos negócios de hoje, o Nikkei chegou a recuar 1,3%, num momento em que o iene atingia máximas em cinco meses frente ao dólar.

O iene fortalecido tende a pressionar ações de exportadoras negociadas em Tóquio. No setor automotivo, Toyota foi destaque negativo, com queda de 1,16% em seus papéis.

O governo da Coreia do Norte pediu para jornalistas estrangeiros que estão em Pyongyang se preparem para um "grande e importante evento", que ocorrerá na manhã desta quinta-feira, no horário local. As informações foram dadas pela rede de TV americana CNN.

Segundo informações ainda não confirmadas que circulam na mídia local, a Coreia do Norte teria colocado um dispositivo nuclear em um túnel e poderia detoná-lo na manhã do próximo sábado, no horário local.

Os preços do petróleo operam em leve alta nesta quinta-feira, com o mercado digerindo o relatório da Agência Internacional de Energia (AIE) que disse que o mercado está próximo do equilíbrio e o enfraquecimento do dólar, após comentários do presidente dos EUA, Donald Trump. A alta, porém, é limitada em meio a preocupações com o aumento na produção dos EUA.

Às 9h35 (de Brasília), o petróleo tipo Brent para junho subia 0,20% na IntercontinentalExchange (ICE), a US$ 55,97 por barril, enquanto o WTI para maio avançava 0,24% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 53,23 por barril.

O Banco Central confirmou a expectativa dos economistas e acelerou o ritmo de corte do juro. Diante da inflação menos intensa e da fraqueza da atividade econômica, a taxa básica foi reduzida ontem, 12, em 1 ponto porcentual, para 11,25% ao ano. Essa foi a quinta redução consecutiva e o BC avalia que o novo ritmo é “adequado no momento”. O presidente Michel Temer comemorou. “Vai ajudar a acelerar o crescimento econômico e a gerar empregos”.

A decisão unânime do Comitê de Política Monetária (Copom) mostra que o BC está confortável com a desaceleração dos preços e a percepção majoritária no mercado financeiro de que a inflação deverá ficar abaixo do centro da meta em 2017 (ou seja, abaixo de 4,5%) e em torno dessa referência em 2018.


Clique para ampliar

O Ibovespa teve uma sessão baixista na véspera, quando tivemos o vencimento do índice futuro.

As médias móveis exponenciais estão ambas apontando para baixo.

O caminho mais provável para os negócios nessa quinta-feira seria de desvalorização, com perda de 63.740 e teste da mínima da semana em 63.351.

Um teste da LTA pontilhada em azul no gráfico diário é algo factível para a próxima semana.

Bons negócios!

Wagner Caetano, da TopTraders, para o Cartezyan
contato@TopTraders.Com.BR

quarta-feira, 12 de abril de 2017

A lista de Fachin


Bom dia investidor!

Bolsa de Tóquio fechou em baixa nesta quarta-feira, ampliando perdas do pregão anterior, em meio a preocupações geopolíticas, que mantiveram o iene forte em relação ao dólar.

O Nikkei teve queda de 1,04% na capital japonesa, a 18.552,61 pontos, após recuar 0,27% nos negócios de ontem.

Temores geopolíticos ligados à Coreia do Norte e à Síria vêm prejudicando a demanda por ativos considerados mais arriscados - como ações - em Tóquio e em outras partes da Ásia.

Entre os mercados chineses, o Xangai Composto terminou a sessão com queda de 0,46%, a 3.273,83 pontos, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto recuou 0,76%, a 2.007,00 pontos.

Pesaram também nos mercados da China rumores de que fundos apoiados pelo governo estariam vendendo ações relacionadas à futura zona econômica de Xiongan.

O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da China, avançou 0,9% em março na comparação com o mesmo mês do ano passado, segundo o Escritório Nacional de Estatísticas.

O número representa uma leve recuperação do índice depois da pior leitura em mais de dois anos em fevereiro, quando o CPI havia subido 0,8%.

Pequim espera manter a inflação abaixo dos 3% este ano.

O índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) da China subiu pelo sétimo mês consecutivo e avançou 7,6% em março ante o mesmo período do ano passado.

Na comparação mensal, o PPI avançou 0,3% em março. Em fevereiro, o dado havia avançado 0,6% na comparação com o mês anterior. 

O secretário de Estado americano, Rex Tillerson, chegou ontem, 11, à Rússia para a primeira visita de um integrante do governo Trump ao país em meio a uma escalada verbal entre os dois governos.

A Casa Branca acusou Moscou de tentar encobrir o ataque químico que matou quase 90 pessoas na Síria há uma semana, enquanto Vladimir Putin disse que a ação foi fabricada para justificar o bombardeio dos EUA a uma base aérea.

Antes de embarcar, Tillerson disse que a Rússia deve decidir se quer ficar ao lado dos EUA ou de Síria, Irã e Hezbollah.

A declaração final do encontro do G-7 censurou Assad e manifestou apoio à ação militar dos EUA, descrita como uma resposta “calibrada” e “limitada” a um “crime de guerra”.

Dólar e bolsa, dois indicadores da temperatura do mercado diante de fatos controversos, mal se mexeram nesta terça-feira, após a divulgação da lista de políticos que serão investigados a pedido do ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF).


Lista tem ministros, senadores, deputados e governadores
(Foto: Editoria de foto/G1)
Clique para ampliar

A explicação geral é que os nomes dos suspeitos eram conhecidos. No entanto, a leitura dos economistas é que a “incerteza” política aumentou. Será preciso monitorar a capacidade de articulação do governo e do Congresso para aprovar as reformas, em especial a da Previdência.“

Nas próximas semanas, a prioridade entre os analistas e consultores econômicos é monitorar a reação dos políticos na negociação das reformas, dado que os oficialmente investigados são peças-chave para o andamento dos projetos.

Na lista de Fachin estão 42 deputados, entre eles o presidente da Casa, Rodrigo Maia, principal defensor da agenda de alterações nas leis da Previdência, trabalhista e tributária.

No Senado, há 29 investigados - mais de um terço da casa. Entre nove ministros está Eliseu Padilha, um dos principais porta-vozes do governo na discussão das reformas.

O gráfico diário do Ibovespa tem uma leitura embaralhada e complexa.

Pesam do lado da venda o fato de não conseguir romper a barreira formada pelas médias móveis e por 64.770, uma vez que no intraday testa essa região e sente a pressão vendedora.

Além disso tivemos ontem máxima e mínima mais baixas que na sessão anterior.

Pelo lado da compra um possível rompimento falso de 63.740 e a longa sombra inferior chama a atenção.

Com o vencimento do mercado futuro nessa quarta-feira, o pregão será decisivo.


Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
diretor da TopTraders

contato@TopTraders.Com.BR