quinta-feira, 30 de março de 2017

Pregão de agenda cheia


Bom dia investidor!

As bolsas asiáticas fecharam em baixa nesta quinta-feira, em parte influenciadas pelo fraco desempenho dos mercados chineses, que acumularam perdas pelo quarto pregão consecutivo em meio a preocupações com um recente aperto da liquidez financeira.

O Xangai Composto, principal índice acionário da China, recuou 0,96%, a 3.210,24 pontos. A queda do Xangai foi a maior em duas semanas e mais de 1.000 ações terminaram o dia no vermelho. Já o Shenzhen Composto, que é menos abrangente, sofreu um tombo de 1,97%, a 1.979,58 pontos.

Os futuros de petróleo operam em baixa moderada nesta manhã, apagando parte dos ganhos de mais de 2% que exibiram na última sessão em reação à ultima pesquisa do Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) sobre estoques nos EUA.

Às 9h22 (de Brasília), o petróleo tipo Brent para junho, que já é o mais líquido na IntercontinentalExchange (ICE), caía 0,34%, a US$ 52,36 por barril, enquanto o WTI para maio recuava 0,10% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 49,46 por barril. O Brent para maio, que vence amanhã, tinha queda de 0,48%, a US$ 52,17 por barril.

Ontem, o DoE apontou reduções mais acentuadas do que se previa nos estoques de gasolina e de destilados dos EUA da semana passada e um avanço menor do que o esperado no volume de petróleo bruto estocado no país.

O petróleo manteve o tom positivo de ontem durante parte da madrugada, mas acabou virando para baixo em meio à ligeira tendência de valorização do índice do dólar e também possivelmente pressionado por realização de lucros.

O minério de ferro cotado no Porto de Tianjin com pureza de 62% caiu 0,4% no mercado à vista chinês para US$ 81,6 a tonelada seca, de acordo com dados do The Steel Index. Já o insumo com teor de concentração de 62% de ferro e com 2% de alumínio, negociado no Porto de Qingdao, recuou 0,4% para US$ 81,9 a tonelada seca. 

Os futuros de cobre operam em baixa nesta manhã, em meio a indicações de que um impasse na Indonésia que compromete a oferta do metal está aparentemente próximo de ser superado.

Por volta das 9h25 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) caía 0,66%, a US$ 5.866,00 por tonelada.

Já na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para maio recuava 0,50%, a US$ 2,6640 por libra-peso.

Relatos indicam que a Freeport-McMoRan e o governo indonésio estão no estágio final de negociações que podem permitir à mineradora retomar exportações de cobre.

O governo do presidente Donald Trump está preparando uma revisão do "status de economia de mercado da China", sob a luz da Organização Mundial do Comércio (OMC), segundo documentos oficiais no site do Departamento do Comércio. Esse passo pode garantir que os produtos chineses enfrentem tarifas mais altas no futuro, ao entrarem em território americano.

A revisão deve ser anunciada ainda nesta semana, poucos dias antes de uma reunião entre Trump e o presidente chinês, Xi Jinping, no início de abril. Em dezembro de 2016, Pequim disse que os membros da OMC deveriam começar a tratá-la como uma economia de mercado. No entanto, o governo Obama se recusou a tomar medidas para conceder esse status à China, continuando a tratar um dos maiores parceiros comerciais americanos como uma economia de não-mercado. Em dezembro, Trump disse que a China não era uma economia de mercado.

Marcado para começar na próxima terça-feira, o julgamento da ação que pode levar à cassação do presidente Michel Temer (PMDB) deve ser interrompido por um pedido de vista. Segundo o Estado apurou, o ministro Napoleão Nunes, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), já sinalizou que deve pedir mais tempo de análise para se debruçar sobre o caso.

Com o pedido de vista, aumentam as chances de o julgamento ser concluído com uma composição diferente da atual. Os ministros Henrique Neves e Luciana Lóssio deixarão a Corte Eleitoral em abril e maio, respectivamente. Serão substituídos por Admar Gonzaga e Tarcísio Vieira - dentro do Planalto, a expectativa é a de que os novos ministros votem contra a cassação.

Nesta quarta-feira, o Estado revelou que o Ministério Público Eleitoral (MPE) pediu ao TSE a cassação de Temer e a inelegibilidade da presidente cassada Dilma Rousseff (PT). O processo é considerado por ministros do TSE o mais importante da história do tribunal, de grande complexidade e com impacto direto na estabilidade política do País, o que aumenta as chances de algum integrante da Corte Eleitoral pedir mais tempo para análise.

Depois de dois adiamentos, numa semana de intensas negociações, o anúncio do Orçamento deste ano foi feito ontem à noite, prevendo um corte de R$ 42,1 bilhões nas despesas da União. Para chegar a esse cálculo, que a equipe econômica acredita contribuirá para garantir o déficit de R$ 139 bilhões fixado para 2017, o governo vai contar com receitas extras de mais de R$ 10,1 bilhões com a venda de quatro hidrelétricas que pertenciam à Cemig e foram reintegradas ao patrimônio da União, além da suspensão de benefícios fiscais na folha de pagamentos que renderá mais R$ 4,8 bilhões.

O gráfico diário do Ibovespa rompeu uma importante LTB no pregão de ontem.

Clique para ampliar

Como já vem de uma sequência de 6 altas, poderemos ter alguma correção, um movimento de pull back para atrair novos compradores.

Nesse cenário haveria suporte em 65.300, seguido por pela forte região formada por 64.770, média móvel exponencial de 21 períodos, pela própria LTB rompida e logo abaixo a média móvel exponencial de 5 períodos.

Caso a máxima de hoje seja vencida como barreira, abre espaço para testar 66.550 dentro de alguns dias.

Bons negócios!

Wagner Caetano, diretor da Top Traders, para o Cartezyan
contato@toptraders.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário