quarta-feira, 15 de março de 2017

FED'AY


Bom dia investidor!

Bolsas asiáticas fecharam sem direção única.

China +0,08 e Japão -0,16%.

O primeiro-ministro da China, Li Keqiang, disse nesta quarta-feira que a meta de crescimento econômico do país neste ano "não é baixa nem fácil de atingir."

Recentemente, a China estipulou sua meta de expansão do Produto Interno Bruto (PIB) em 2017 em cerca de 6,5%, menor que o objetivo de 6,5% a 7% do ano passado.

Em 2016, o PIB chinês cresceu 6,7%, seu pior resultado em 26 anos.

Segundo Li, que falou em entrevista coletiva de encerramento do Congresso Nacional do Povo, a China poderá manter um ritmo médio a alto de crescimento no futuro previsível e continuar sendo uma grande força motriz para a economia global.

O minério de ferro com teor de concentração de 62% cotado no Porto de Tianjin, na China, subiu 4,2% no mercado à vista, indo a US$ 92,1 a tonelada seca, de acordo com dados do The Steel Index. Já o insumo com pureza de 62% e com 2% de alumínio avançou 4,2%, para US$ 92,4 a tonelada seca.

Europa trabalha em leve alta.

Londres +0,21%; Frankfurt -0,01%; Paris +0,09%.

Os contratos futuros de cobre operam em alta nesta quarta-feira, beneficiados pela manutenção da greve em minas do Chile e do Peru, bem como problemas de exportação na Indonésia.

Na London metal Exchange, o contrato para três meses operava em alta de 0,4%, a US$ 5.864 a tonelada métrica, perto das 10h01 (de Brasília). Na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o cobre para maio avançava 1,14%, a US$ 2,6650 a libra-peso.

Os contratos futuros de petróleo sobem robustamente nesta quarta-feira, se recuperando dos pregões anteriores, em meio a uma busca de barganhas após um relatório indicar queda nos estoques dos Estados Unidos.

Na Intercontinental Exchange (ICE), o Brent para maio subia 1,89%, a US$ 51,88 por barril, às 9h59 (de Brasília). Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o WTI para abril avançava 2,14%, a US$ 48,73.

Ontem, após tocarem rondarem os menores patamares em três meses, os contratos se recuperaram após a American Petroleum Institute (API, uma associação de refinarias) mostrar um declínio de 531 mil barris na semana anterior.

O Senado aprovou ontem uma nova rodada do programa que permite a repatriação de recursos no exterior. Os parlamentares mantiveram a proibição para que parentes de políticos regularizem dinheiro e bens que estão ilegalmente fora do país.

Com acordo entre partidos da base aliada e senadores da oposição, a votação foi feita de maneira simbólica, sem necessidade de votação nominal.

A aprovação do projeto reforçará o cálculo de receitas, no relatório do orçamento que o governo enviará na semana que vem ao Congresso, prevendo os gastos e a arrecadação para este ano. A meta fiscal do governo prevê déficit de R$ 139 bilhões para este ano.

O presidente Michel Temer está bastante preocupado com o impacto da chamada "lista de Janot" sobre o governo. O Palácio do Planalto obteve informações extraoficiais de que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal a abertura de inquérito para investigar pelo menos cinco ministros, além dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE).

A principal preocupação é em relação ao ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha. A situação dele é vista como "a mais delicada" pelo Palácio do Planalto. Mesmo assim, Temer tenta de toda forma manter o ministro, ao menos até a aprovação da reforma da Previdência no Congresso.

A agenda de eventos dos Estados Unidos desta quarta-feira traz como destaque o anúncio da decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), às 15h. Logo após o anúncio, a presidente do Fed, Janet Yellen, participa de entrevista coletiva às 15h30. Durante a tarde, o presidente americano, Donald Trump, se encontra com CEOs do setor automobilístico em Detroit e faz breve comentário às 15h20. Em seguida, ele embarca para Nashville, no Tennessee, onde fará um comício às 18h15. Os horários são de Brasília.

O gráfico diário do Ibovespa mostra fraqueza dos compradores nos dois dias de repique, com volume baixo.

IBOV agora às 11h12 = clique para ampliar

Por outro lado, quando houve queda na sessão de ontem, o giro financeiro foi expressivo.

A perda de 64.770 projetaria um teste de 64.200, região decisiva para as projeções de curto prazo.

Ainda haverá forte suporte em 63.740, que provavelmente será testado nos próximos dias.

Bons negócios!

Wagner Caetano, diretor da TopTraders, para o Cartezyan
contato@toptraders.com.br


Nenhum comentário:

Postar um comentário