segunda-feira, 6 de março de 2017

Deutsche Bank no radar


Bom dia investidor!

Bolsas asiáticas fecharam sem direção única.

China +0,48% e Japão -0,46%.

A Bolsa de Tóquio fechou em baixa nesta segunda-feira, após a Coreia do Norte lançar mísseis que caíram em área próxima ao litoral do Japão.

Europa tem a venda dominante.

Londres -0,35%; Frankfurt -0,42%; Paris -0,41%.

A defesa do presidente Michel Temer estuda com sua equipe jurídica a possibilidade de pedir a impugnação de todos os depoimentos de delatores da empreiteira Odebrecht ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O argumento é o de que tanto a convocação de Marcelo Odebrecht como a de outros empresários pelo ministro do TSE Herman Benjamin, relator do processo que pede a cassação da chapa Dilma Rousseff-Temer, baseou-se em ato ilegal.

Para os advogados de Temer, o relator não poderia ter pedido o depoimento tendo como ponto de partida uma “prova ilícita”, que foi o vazamento da delação premiada do ex-diretor da Odebrecht Cláudio Melo Filho. A delação estava sob sigilo e veio a público em dezembro do ano passado.

Deutsche Bank confirmou ontem que promoverá um aumento de capital de aproximadamente 8 bilhões de euros, por meio da emissão de 687,5 milhões de novas ações com direito de subscrição para os atuais acionistas.

Além disso, a instituição anunciou uma série de outras medidas para reforçar sua posição de mercado e revelou novas metas financeiras.

A emissão das ações está sendo coordenada por um grupo de bancos, que inclui Credit Suisse, Barclays, Goldman Sachs, BNP Paribas, Commerzbank, HSBC, Morgan Stanley e UniCredit.

O próprio Deutsche Bank atuará como coordenador global da operação e o período de subscrição deve ir até 6 de abril.

Os economistas do mercado financeiro melhoraram ligeiramente as projeções para o crescimento da economia. De acordo com a pesquisa Focus, a mediana das expectativas para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) deste ano subiu marginalmente, de 0,48% para 0,49%. Há um mês, a perspectiva já era de um avanço de 0,49%.

Para 2018, o mercado também alterou ligeiramente a previsão de alta, de 2,37% para 2,39%. Quatro semanas atrás, a expectativa estava em 2,25%.

No relatório Focus de hoje, as projeções para a produção industrial indicaram um cenário de leve recuperação neste e no próximo ano. O avanço projetado para 2017 permaneceu em 1,09%. Há um mês, estava em 1,00%. No caso de 2018, a estimativa de crescimento da produção industrial foi na direção contrária e caiu de 2,28% para 2,19%, ante 2,05% de quatro semanas antes.

Já a projeção para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB para 2017 passou de 51,60% para 51,50% no Focus. Há um mês, estava em 51,05%. Para 2018, as expectativas no boletim Focus seguiram em 55,00%, mesma projeção repetida há cinco semanas.

IBOVESPA luta para manter o nível de sexta-feira (10h30)
Clique para ampliar



O gráfico diário do Ibovespa revela uma reação importante no pregão de sexta-feira.

O desafio será o benchmark superar uma região de forte resistência, formadas pelas médias móveis, topo anterior em 66.600 e pala LTA perdida recentemente.

A minha interpretação é que esse movimento é um pull-back, para continuidade da baixa ao longo da semana, testando os antigos os suportes anteriores como resistência, segundo a inversão de polaridade da análise técnica.

Bons negócios!

Wagner Caetano 
Diretor da Top Traders, para o Cartezyan


2 comentários:

  1. Wagner, não vai mais ter o programa na IMTV? Muita gente ansiosa pela operação que seria feita hoje. Meu palpite é uma varejista que encerrou em alta de 4,03% ;-)

    ResponderExcluir
  2. Verdade Wagner, fiquei bastante triste com o final do programa, adoraria que você tivesse algum outro canal para expor suas análises. Você conseguiria me adicionar no grupo secreto do facebook talvez?

    ResponderExcluir