quarta-feira, 8 de março de 2017

China e minério no radar


Bom dia investidor!

Bolsas asiáticas fecharam em baixa.

China -0,05% e Japão -0,47%.

China registrou um inesperado déficit em sua balança comercial em fevereiro, no valor de US$ 9,15 bilhões, uma vez que as importações subiram com força após o feriado do ano novo lunar e as exportações recuaram, segundo dados publicados hoje pela Administração Geral de Alfândega do país.

O déficit comercial chinês foi o primeiro desde 2014 e frustrou as expectativas de analistas consultados pelo Wall Street Journal, que previam superávit de US$ 26,55 bilhões no mês passado. Em janeiro, a China apresentou superávit comercial de US$ 51,35 bilhões.

As importações chinesas medidas em dólares saltaram 38,1% na comparação anual de fevereiro, após avançarem 16,7% em janeiro. O resultado superou de longe a projeção do mercado, que era de ganho de 21%.

Por outro lado, as exportações mostraram queda anual de 1,3% em fevereiro, contrastando com o acréscimo de 7,9% de janeiro. Neste caso, a previsão dos analistas era de alta de 14,1% nas exportações.

Segundo economistas, os números da balança comercial da China tendem a ser voláteis no primeiro bimestre em função do feriado do ano novo lunar, que se estende por uma semana.

Europa opera em queda moderada, com sinal de topo nos gráficos diários.

Londres -0,25%; Frankfurt 0,20%; Paris -0,16%.

A produção industrial da Alemanha subiu com vigor em janeiro, superando as expectativas, graças a um salto no resultado de bens de capital.

Dados da agência de estatísticas alemã, a Destatis, mostram que a indústria da maior economia da zona do euro produziu 2,8% mais em janeiro do que em dezembro, considerando-se ajustes sazonais.

Apenas a produção de bens de capital avançou 6,1% no período, após registrar forte queda em dezembro. O setor de construção, por outro lado, se contraiu pelo segundo mês consecutivo em janeiro, possivelmente afetado pelo tempo frio. Já a manufatura teve alta de 3,7% na produção.

No confronto anual, a produção geral da indústria alemã ficou estável em janeiro, também no cálculo com ajustes, mas cresceu 6,6% em termos nominais.

O minério de ferro com pureza de 62% cotado no Porto de Tianjin, na China, caiu 2,6% no mercado à vista, chegando a US$ 85,3 a tonelada seca, de acordo com dados do The Steel Índex.

O insumo com teor de concentração de 62% de ferro e com 2% de alumínio também recuou 2,6% no Porto de Qingdao, atingindo US$ 85,6 a tonelada seca.

Petróleo WTI recua 1,07%, a US$ 52,57 por barril, na Nymex, enquanto o Brent cai 1,00%, a US$ 55,36 por barril, na Comex.

(clique para ampliar)

O gráfico diário do Ibovespa revela pressão vendedora, na região de resistência formada pelas médias móveis exponenciais de 5 e 21 períodos (já se cruzaram para baixo), em conjunto com o topo anterior em 66.600.

Isso projeta um teste do decisivo 65.593, mínima da semana passada, cuja perda abriria espaço para teste de 65.300 e posteriormente 64.770.

Bons negócios!

Wagner Caetano 
Diretor Top Traders
para o Cartezyan

Nenhum comentário:

Postar um comentário