segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Ibovespa terá semana decisiva


Bom dia investidor!

Bolsas asiáticas fecharam com valorização, na esteira do mercado americano que terminou a semana sob domínio comprador.

China +0,54% e Japão +0,31.

É prematuro dizer que a China entrou num ciclo de alta de taxas de juros, após Pequim decidir elevar as taxas de acordos de recompra reversa (repos) e de sua linha de crédito permanente na última sexta-feira, segundo o Macquarie.

A decisão dos repos "tem o objetivo de desalavancar o mercado de bônus, não de esfriar uma economia super aquecida", avalia o banco de investimento australiano.

De acordo com o Macquarie, a perspectiva da China continua incerta e a direção de sua política futura dependerá do desempenho econômico do país.

Europa opera com viés de alta, porém sem força.

Londres +0,24%; Frankfurt estável; Paris +0,26%.

Futuros norte-americanos estáveis.

Cobre opera em alta de 1,03%, a US$ 2,6430 por libra-peso, na Comex.

Petróleo Brent recua 0,37%, a US$ 56,60 por barril, na ICE, enquanto o WTI cai 0,07%, a US$ 53,79 por barril, na Nymex.

À espera dos dados de inflação de janeiro, a serem divulgados na próxima quarta-feira, os economistas do mercado financeiro reduziram suas projeções para o IPCA neste ano.

O Relatório de Mercado Focus, divulgado há pouco pelo Banco Central (BC), mostra que a mediana para o índice oficial de inflação em 2017 foi de 4,70% para 4,64%. Há um mês, estava em 4,81%. Já a projeção para o IPCA de 2018 permaneceu em 4,50%, mesmo patamar de quatro semanas atrás.

Na prática, as projeções de mercado divulgadas hoje no Focus indicam que a expectativa é de que a inflação se aproxime do centro da meta, de 4,5%, em 2017 e 2018. A margem de tolerância para estes anos é de 1,5 ponto porcentual (inflação até 6,0%). No comunicado que se seguiu à decisão de política monetária do dia 11 de janeiro, o Banco Central atualizou as projeções para a inflação em seu cenário de referência: 4,0% para 2017 e 3,4% em 2018.

Entre as instituições que mais se aproximam do resultado efetivo do IPCA no médio prazo, denominadas Top 5, a mediana das projeções para 2017 seguiu em 4,45%. Para 2018, a estimativa seguiu em 4,50%. Quatro semanas atrás, as expectativas eram de, respectivamente, 4,55% e 4,50%.

Já a inflação suavizada para os próximos 12 meses foi de 4,76% para 4,70% de uma semana para outra - há um mês, estava em 4,84%.

Entre os índices mensais mais próximos, a estimativa para janeiro de 2017 passou de 0,51% para 0,47%. Um mês antes, estava em 0,58%. No caso de fevereiro, a previsão de inflação do Focus foi de 0,60% para 0,57%, ante 0,60% de quatro semanas atrás.

Clique para ampliar

O Ibovespa marcou uma semana negativa após forte sequência de alta.

Veremos nos próximos pregões se o sinal de topo no semanal é firme ou apenas uma pausa para tomar fôlego.

No diário o gráfico aponta a formação de um ombro-cabeça-ombro, cuja reta pescoço já foi testada duas vezes e segurou o mercado.

Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders, contato@toptraders.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário