sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Red Friday!


Bom dia investidor!

Bolsas asiáticas fecharam em baixa.

China -0,90% e Japão -0,47%.

Empresas multinacionais têm se visto de repente em dificuldades, no momento em que a China recua do esforço para tornar o yuan uma moeda global, preocupada com o risco de que isso acelere a fuga de capital do país.

Nos últimos dias, segundo banqueiros e autoridades familiarizadas com a situação, o regulador de câmbio chinês instruiu os bancos a limitar fortemente quanto as companhias podem retirar do país para suas outras operações pelo mundo.

Até esta semana, era possível para as grandes companhias movimentar o equivalente a US$ 50 milhões em yuans para dentro ou fora da China com pouca documentação. Agora, segundo as fontes, o limite é equivalente a US$ 5 milhões, muito pouco para as maiores corporações.

Europa tem todas as praças piscando em vermelho.

Londres -0,91%; Frankfurt -0,93%; Paris -1,21%.

No último pregão antes do referendo constitucional na Itália, as bolsas europeias preferiram adotar a cautela na manhã desta sexta-feira.

Além disso, aguardam informações do outro lado do Atlântico. Às 11h30 (horário de Brasília), sai o resultado do relatório de emprego de novembro dos Estados Unidos, conhecido como payroll. A expectativa é que tenham sido criadas 180 mil vagas. O dado poderá ser um sinal para os investidores sobre como o Federal Reserve (o banco central dos Estados Unidos) poderá atuar ainda antes de o presidente eleito Donald Trump tomar posse.

O referendo de domingo na Itália continua a preocupar os investidores, pois se o "NÃO" vencer, o primeiro-ministro Matteo Renzi fica em uma situação complicada, porque lidera a campanha do "SIM". Assim como ocorreu com o colega britânico, David Cameron, depois que a população votou pela saída do Reino Unido da União Europeia (Brexit), é possível que ele renuncie ao cargo se for derrotado nas urnas.

O temor é o de que a instabilidade política no país possa complicar a situação financeira por causa da necessidade de um processo de recapitalização dos bancos italianos. Ainda sobre política na Europa, o presidente francês, François Hollande, anunciou na noite de quinta-feira que não tentará um segundo mandato nas próximas eleições presidenciais do país, previstas para ocorrer no primeiro semestre do ano - na segunda metade de 2017, ocorrerá votação nacional na Alemanha.

Petróleo WTI recua 1,70%, a US$ 50,19 por barril, na Nymex, enquanto o Brent cai 2%, a US$ 52,86 por barril, na ICE.

Minério de ferro caiu 0,1%, fechando cotado a US$ 78 a tonelada na China.

Cobre opera em baixa de 1,34%, a US$ 2,6075 por libra-peso, na Comex.

Dow Jones futuro cai 0,15%, Nasdaq recua 0,52%; S&P 500 tem baixa de 0,27%.

A produção industrial caiu 1,1% em outubro ante setembro, na série com ajuste sazonal, divulgou há pouco o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

Em relação a outubro de 2015, a produção caiu 7,3%. Nessa comparação, sem ajuste, as estimativas variavam de retração de 7,40% a 3,20%, com mediana negativa de 6,85%.

No ano, a produção da indústria acumula queda de 7,7%. Em 12 meses, o recuo é de 8,4%. 

Em evento ontem à tarde no JPMorgan, em SP, Temer tentou mostrar tranquilidade aos investidores, dizendo que os "movimentos de rua são fruto da democracia e não preocupam".

As manifestações convocadas para este domingo, em atos contra a corrupção, vão ser muito importantes para medir as chances de o governo chegar até o fim.

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), divulgou por meio de sua assessoria uma nota em que comenta a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que aceitou denúncia oferecida pelo Ministério Público, tornando-o réu por peculato.

O peemedebista responderá por ação penal. "Não há prova contra o senador, nem mesmo probabilidades, apenas suposição. O Ministério Público terá de comprovar (a denúncia), o que não fez em 9 anos com todos os sigilos quebrados", diz o texto, que pontua que o debate entre os ministros evidenciou dúvidas quanto a consistência dos indícios apresentados pelo Ministério Público.

O gráfico diário do Ibovespa apresentou ontem uma sessão de forte baixa, com volume acima da média.


Clique para ampliar

Conforme adiantado aqui no Cenário, o caminho natural seria a perda de 60.310 e teste de 59.420.

Esse desdobramento foi materializado, sendo a mínima de ontem (59.058), decisiva para as projeções de curto prazo.

Uma vez perdida, projeta 58.322, mínima de novembro, cuja perda seria capaz de jogar o mercado em 57.410 dentro de alguns dias.

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan
TopTraders

Nenhum comentário:

Postar um comentário