segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Marcha Lenta



Bom dia investidor!

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta segunda-feira, em dia de volume reduzido de negócios entre os feriados de Natal e de ano-novo.

Na China, os mercados terminaram o dia em tom positivo, apagando perdas de mais cedo, em meio a expectativas de que Pequim ampliará investimentos em projetos de infraestrutura de forma a impulsionar a segunda maior economia do mundo.

O índice Xangai Composto subiu 0,40%, a 3.122,57 pontos, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 0,37%, a 1.978,37 pontos.

Menores preocupações com o mercado de bônus chinês, que enfrentou momentos de turbulência nas últimas semanas, também contribuíram para o bom desempenho das bolsas do país. O juro do bônus chinês de 10 anos recuou nesta madrugada, após tocar recentes máximas em 15 meses.

Em Tóquio, por outro lado, o Nikkei teve leve baixa de 0,16%, a 19.396,64 pontos. O iene se fortaleceu em relação ao dólar nos negócios asiáticos, pressionando as ações de exportadoras negociadas na capital japonesa, incluindo montadoras.

Os mercados financeiros europeus não funcionam por causa do feriado do Natal.

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, decidiu pedir explicações ao presidente Michel Temer sobre a Reforma da Previdência, considerada pelo Palácio do Planalto um dos pilares do ajuste fiscal do governo. Cármen também solicitou esclarecimentos aos presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), sobre o tema.

O despacho da presidente do STF foi feito no âmbito de uma ação movida pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Indústria Química (CNTQ), pelo Federação dos Empregados de Agentes Autônomos do Comércio do Estado de São Paulo e pelo Sindicato Nacional dos Aposentados Pensionistas e Idosos da Força Sindical (Sindnapi) contra a proposta.

O Relatório de Mercado Focus desta semana indicou leve piora nas projeções de atividade para 2016 e para 2017. Pelo documento divulgado hoje, a mediana para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2016 seguiu passou de uma retração de 3,48% para uma queda de 3,49%. Há um mês, a perspectiva era de recuo também de 3,49%.

Há duas semanas, o Banco Central informou que seu índice de atividade (IBC-Br) recuou 0,48% em outubro ante setembro, na série com ajuste sazonal. Em relação ao mesmo mês de 2015, o indicador desabou 5,28%, na série sem ajuste. O resultado reforçou a expectativa de que a economia volte a crescer apenas em 2017. Em comunicações recentes, o próprio BC citou uma atividade econômica aquém do esperado.

Para 2017, o Focus mostra que a percepção piorou. O mercado prevê para o País um crescimento de 0,50% no próximo ano, abaixo do 0,58% projetado uma semana antes. Há um mês, a expectativa era de 0,98%. Em suas projeções, o Ministério da Fazenda trabalha com a estimativa de crescimento de 1,00% para o próximo ano.

As projeções para a produção industrial também indicam um cenário difícil, mas as estimativas melhoraram um pouco. A queda prevista para este ano passou de 6,72% para retração de 6,68%. Para 2017, a projeção de alta da produção industrial passou de 0,75% para 0,88%. Mesmo assim, há um mês, as expectativas para a produção industrial estavam em recuo de 6,23% para 2016 e alta de 1,21% para 2017.

Já a projeção para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB para este ano permaneceu em 45,20% no Focus. Há um mês, estava em 45,40%. Para 2017, as expectativas no boletim Focus foram de 50,75% para 50,74%, ante projeção apontada um mês atrás de 50,79%. 


O gráfico diário mostra o Ibovespa reagindo no curto prazo, porém com baixo volume, o que não passa confiança.

A região de 58.100 e 58.325 (fundo anterior) é um importante patamar.


IBOVESPA no intradiário da sexta-feira


Clique para ampliar



Bons negócios!


Wagner Caetano
Cartezyan
TopTraders

Nenhum comentário:

Postar um comentário