segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Ibovespa subiu de escada e desceu de elevador


Bom dia investidor!

Bolsas asiáticas fecharam de maneira interessante.

Praças menores como Coréia, Hong Kong, Taiwan, Tailândia e Austrália tiveram baixa, enquanto Tóquio subiu 1,71% e Xangai avançou 0,45%.

Velho mundo opera sem direção única.

Londres +0,48%; Frankfurt +0,39%; Paris +0,33%.

O mesmo fenômeno registrado na Ásia, uma vez que bolsas de menor expressão como Madri, Lisboa e Milão registram baixa.

O Relatório de Mercado Focus desta semana mostrou uma mudança, para pior, nas projeções para a atividade no País, com recessão maior em 2016 e recuperação mais lenta em 2017. Pelo documento, as estimativas para o Produto Interno Bruto (PIB) este ano indicaram retração de 3,37% ante os 3,31% projetados uma semana atrás e os 3,19% de um mês antes.

Em outubro, o BC informou que seu Índice de Atividade (IBC-Br) recuou 0,91% em agosto ante julho. O indicador também atingiu o menor nível desde dezembro de 2009, num claro sinal de dificuldades para a retomada da atividade no Brasil. Na ata do último encontro do Comitê de Política Monetária (Copom), os diretores do BC confirmaram, ao abordar a questão do crescimento, que "os indicadores de agosto situaram-se abaixo do esperado", mas ponderaram que oscilações tendem a ocorrer em momentos de estabilização da economia.

Para 2017, o cenário é mais favorável, com perspectiva de PIB positivo. Ainda assim, o mercado reduziu a perspectiva de crescimento de 1,20% para 1,13% no próximo ano. Há um mês estava em 1,30%

Os futuros de cobre iniciaram a semana em forte alta, atingindo novas máximas no ano em Londres, em meio à continuidade de expectativas de que o futuro governo do presidente eleito dos EUA, Donald Trump, irá ampliar os investimentos em infraestrutura, gerando mais demanda por metais básicos.

Por volta das 9h20 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) subia 1,5%, a US$ 5.644,00 por tonelada.

Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para dezembro tinha alta de 1,32%, a US$ 2,5420 por libra-peso.

Os ganhos ampliam a forte valorização recente do metal, que foi impulsionado pela inesperada vitória de Trump na eleição americana, na semana passada.

A produção industrial da China cresceu 6,1% em outubro ante igual mês do ano passado, repetindo a variação de setembro, segundo dados publicados hoje pelo Escritório Nacional de Estatísticas do país. 

Na comparação mensal, a produção industrial chinesa avançou 0,50% em outubro, após registrar expansão de 0,47% em setembro.

Já as vendas no varejo chinês tiveram ganho anual de 10% em outubro, após crescerem em ritmo significativamente mais forte em setembro, de 10,7%. Também neste caso, o desempenho do varejo em outubro ficou aquém da previsão do mercado, que era de novo acréscimo de 10,7%.

Os investimentos em ativos fixos urbanos na China, por sua vez, apresentaram expansão anual de 8,3% entre janeiro e outubro, como previam os analistas. 

O petróleo Brent opera em baixa de 1,18%, a US$ 44,22 por barril, na ICE, enquanto o WTI recua 1,45%, a US$ 42,78 por barril, na Nymex.


Sexta-feira o Ibovespa fez pull back na média móvel exponencial de 5 períodos e os vendedores mostraram as garras.

Empurraram o benchmark abaixo do topo anterior em 60.310 e da LTB tracejada em azul no gráfico.

Também foi perdida região de 59.420 e agora mira 58.575, importante topo marcado em maio do ano passado.

Na minha visão o alvo do movimento é 57.410, a ser tocado ainda essa semana.

Nesse patamar saberemos se trata-se de uma correção ou reversão.

Bons negócios!

Wagner Caetano, para a TopTraders e para o Cartezyan.

Nenhum comentário:

Postar um comentário