segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Hillary se livra do FBI


Bom dia investidor!

Bolsas asiáticas fecharam com valorização.

China +0,26% e Japão +1,61%.

As reservas internacionais da China tiveram baixa de US$ 45,73 bilhões em outubro na comparação com o mês anterior, para US$ 3,121 trilhões, segundo dados divulgados nesta segunda-feira pelo Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês). 

A queda foi mais acentuada que o de US$ 18,79 bilhões de setembro. No fim de outubro, as reservas em moeda estrangeira do país estavam em seu nível mais baixo desde março de 2011, quando haviam totalizado US$ 3,045 trilhões, segundo o PBoC. O recuo de hoje marcou ainda a maior queda mensal desde janeiro de 2016 no indicador.

O resultado sugere que a pressão de saída de capital pode ter aumentado em outubro, apesar dos esforços do governo para aumentar o controle sobre os fluxos de capital e estabilizar o yuan. Caso os EUA elevem os juros neste ano, a pressão de saída de capital na China poderia se intensificar, segundo economistas.

Europa tem alta generalizada.

Londres +1,33%; Frankfurt +1,56%; Paris +1,69%.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, ignorou uma decisão judicial contrária aos planos do governo de deixar a União Europeia e sustentou que levará até o fim o processo de saída do Reino Unido da União Europeia, que ficou conhecido por Brexit.

Ela usou uma coluna Sunday Telegraph para dizer que seu governo vai "continuar com o trabalho", apesar de uma decisão do Tribunal Superior exigindo que ela busque aprovação parlamentar antes do início do processo de saída. Theresa diz que o governo espera obter uma reversão dessa decisão perante o Supremo Tribunal, porque um princípio importante está em jogo. Ela disse que o Parlamento votou em deixar a decisão "nas mãos do povo" no referendo 23 de junho.

Dow Jones futuro sobe 1,33%; Nasdaq avança 1,62%; S&P 500 tem alta de 1,42%.

Hillary Clinton chega à véspera da eleição americana como favorita para ocupar a Casa Branca no próximo ano. Mas sua vantagem é pequena e, na mais imprevisível disputa da história recente dos Estados Unidos, Donald Trump ainda tem uma estreita brecha para cruzar a linha de chegada.

As chances de vitória de Hillary foram reforçadas ontem com o anúncio do FBI de que a análise de e-mails de uma de suas principais assessoras não alterou a conclusão da agência de que a candidata democrata não cometeu crime ao decidir usar um servidor privado de internet durante sua gestão no Departamento de Estado.

Há nove dias, o FBI disse que havia encontrado novas mensagens que poderiam estar relacionadas ao caso, encerrado em julho, o que provocou a redução da vantagem da democrata nas sondagens de intenção de voto.


Semana passada tivemos o rompimento falso do topo anterior em 64.690, seguido por uma forte pressão vendedora.

A barra de ignição formada em seguida levou o mercado a duas sessões negativas e tem potencial para mais quedas, mesmo que tenhamos repiques no meio do caminho.

As linhas de tendência seriam suportes em caso da continuidade da baixa, com o topo anterior em 60.310 como alvo primário do movimento.

Bons negócios!

Wagner Caetano
contato@toptraders.com.br
wagner@cartezyan.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário