terça-feira, 22 de novembro de 2016

Até onde vai o repique do Ibovespa?


Bom dia investidor!

Bolsas asiáticas fecharam com valorização.

China +0,94% e Japão +0,31%.

Europa segue o mesmo caminho.

Londres +0,85%; Frankfurt +0,73%; Paris +0,81%.

O Banco do Povo da China (PBoC, o BC chinês) estabeleceu uma taxa de paridade mais forte para o yuan nesta terça-feira, interrompendo uma sequência de doze sessões em que a taxa foi enfraquecida.

O PBoC estipulou a taxa de paridade de hoje em 6,8779 yuans por dólar, 0,3% mais forte que os 6,8985 yuans por dólar da sessão anterior.

Pelas regras do BC chinês, o yuan pode variar até 2% diariamente, para cima ou para baixo, em relação à taxa de paridade, que é uma referência diária utilizada para balizar os negócios no câmbio.

A Fitch reafirmou hoje os ratings A+ de longo prazo da China, em moedas estrangeira e local, com perspectiva estável. Os ratings de bônus estrangeiros e locais da China, assim como o teto do país, também foram mantidos em A+. Os ratings de curto prazo, por sua vez, continuaram em F1+.

Em comunicado, a Fitch argumenta que as "robustas finanças externas" e "forte desempenho macroeconômico" sustentam os ratings do gigante asiático.

Por outro lado, a agência de classificação de risco ressaltou que a trajetória de crescimento da China tem sido acompanhada por um aumento em "desequilíbrios e vulnerabilidades", que impõem riscos à economia e estabilidade financeira.

Petróleo WTI avança 1,00%, a US$ 48,72 por barril, na Nymex, enquanto o Brent sobe 1,19%, a US$ 49,48 por barril, na ICE.

Dow Jones futuro sobe 0,38%; S&P 500 avança 0,36%; Nasdaq ganha 0,49%.

Cobre tem alta de 1,81%, a US$ 2,5605 por libra-peso, na Comex.

O governo federal admitiu oficialmente que os números previstos anteriormente para a economia não serão alcançados. A previsão para o crescimento do PIB em 2017 foi reduzida de 1,6% para 1%. Para este ano, a projeção de uma queda de 3% ficou pior: agora, prevê-se uma contração de 3,5%.

O novo secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Fábio Kanczuk, atribuiu a piora nas projeções principalmente ao crédito para as empresas. “O crédito está mais caro, e esse é um indicador do risco que o setor bancário percebe nas empresas”, disse. “Crédito mais caro é um fenômeno natural de todos os processos recessivos. A lucratividade das empresas é ligada à atividade econômica e cai quando a economia cai. E como o lucro caiu, as empresas estão relativamente mais endividadas.” Segundo ele, a dimensão desse efeito só ficou mais clara agora.

Clique para ampliar

O Ibovespa começou a semana em forte alta, no dia do vencimento dos contratos de opções sobre ações.

Hoje o benchmark deverá testar uma tríplice resistência, formada pela média móvel exponencial de 21 períodos, LTA que une os fundos formados desde o início do ano e máxima da semana passada em 61.492.

Bons negócios e até amanhã!

Wagner Caetano, para TopTraders e Cartezyan

Nenhum comentário:

Postar um comentário