segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Ursos saem da toca?


Bom dia investidor!

Bolsas asiáticas fecharam sem direção única.

China -0,74% e Japão +0,26%.

Na Europa temos queda generalizada, tudo vermelho na tela.

Londres -0,75%; Frankfurt -0,51%; Paris -0,32%.

Petróleo WTI sobe 0,18%, a US$ 50,44 por barril, na Nymex, enquanto o Brent sobe 0,38%, a US% 52,15 por barril, na ICE.

O minério de ferro subiu 1,8% na China, fechando cotado a 57,8 a tonelada seca.

O Relatório de Mercado Focus desta semana trouxe mudança, para pior, na projeção de atividade no País em 2016. Pelo documento, as estimativas para o Produto Interno Bruto (PIB) este ano passaram de retração de 3,15% para queda de 3,19%. Há um mês, a perspectiva era de recuo de 3,15%.

Para 2017, o cenário é mais favorável, com perspectiva de PIB positivo. O mercado continuou prevendo para o País, conforme o relatório Focus divulgado hoje, um crescimento de 1,30% no próximo ano, mesmo valor projetado há um mês.

No segundo trimestre de 2016, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o PIB brasileiro recuou 0,6% ante o primeiro trimestre do ano e teve retração de 3,8% ante o segundo trimestre de 2015. No ano, o PIB acumula baixa de 4,6% e, em 12 meses, recuo de 4,9%. No Relatório Trimestral de Inflação (RTI), o Banco Central atualizou suas projeções para o PIB. No caso de 2016, foi mantida a expectativa de recuo de 3,3%. Para 2017, a projeção do BC é de alta de 1,3%.

No relatório Focus divulgado hoje, as estimativas para a produção industrial ainda indicam um cenário difícil. A queda prevista para este ano passou de 5,96% para 6,00%. Para 2017, a projeção de alta da produção industrial seguiu em 1,11%. Há um mês, as expectativas para a produção industrial estavam em recuo de 5,93% para 2016 e alta de 0,50% para 2017. Neste ano até agosto, conforme o IBGE, a queda acumulada na produção industrial é de 8,2%.

Já as projeções para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB para este ano passaram de 44,80% para 45,00% no Focus. Há um mês, estava em 44,80%. Para 2017, as expectativas no boletim Focus foram de 49,65% para 49,90%, ante projeção apontada um mês atrás de 49,00%. 

O presidente da distrital do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) em Boston, Eric Rosengren, sinalizou a disposição de manter os juros básicos inalterados na próxima reunião da instituição, em novembro, e aguardar até o encontro de dezembro para ajustá-los para cima.

No encontro de setembro, Rosengren foi voto dissidente, por defender a alta dos juros na ocasião. A próxima reunião do Fed será em 1 e 2 de novembro, uma semana antes da eleição presidencial nos EUA.

Em entrevista ao The Wall Street Journal, Rosengren sugeriu que ficaria confortável em evitar agir pouco tempo antes da eleição e aguardar até o fim do ano.

O Ibovespa atingiu na sexta-feira a região de 62.000, marcando máxima intradiária aos 62.038.

IBOV com 10 minutos de abertura nesta segunda-feira
Clique para ampliar

A expectativa é grande para essa semana.

O topo de setembro de 2015 aponta alvo exato em 62.300.

Uma possível correção teria como alvo a região de 60.310, a média móvel exponencial de 21 períodos ou mesmo a LTA destacada em azul na imagem.

Bons negócios e até amanhã!


Wagner Caetano 
Diretor Top Traders
Especial para o Cartezyan


Nenhum comentário:

Postar um comentário