segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Impeachment volta à cena


Bom dia investidor!

Bolsas asiáticas refletiram o otimismo com o relatório de emprego norte-americano divulgado sexta-feira e fecharam em alta generalizada.

China + 0,93% e Japão +2,44%.

Velho mundo com viés baixista, mas sem direção única.

Londres -0,15%; Frankfurt +0,93%; Paris +0,33%.

Os futuros de cobre operam em alta em Londres e Nova York nesta manhã.

Por volta das 9h05 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) subia 0,73%, a US$ 4.831,00 por tonelada.

Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para setembro avançava 0,88%, a US$ 2,1730 por libra-peso.

O cobre mantém o tom positivo nos negócios da manhã apesar de dados fracos de importação da China. Em julho, as importações chinesas de cobre recuaram 14% ante o mês anterior, a 360 mil toneladas. Na comparação anual, no entanto, o volume importado representou alta de 2,9%.

Os preços do petróleo operam em alta nesta segunda-feira em meio a uma série de fatores que têm ajudado nos ganhos. Entre eles, dados animadores de importação de petróleo da China e conversas da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) em setembro para discutir a possibilidade de um congelamento da produção em um momento em que os preços têm sofrido com o excesso de oferta.

Às 9h15 (de Brasília), o petróleo WTI para setembro subia 1,63%, a US$ 42,48 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), e o Brent para outubro avançava 1,47%, a US$ 44,92 o barril, na ICE, em Londres.

A Opep confirmou hoje que vai conduzir conversas informais durante uma conferência sobre energia em setembro, afirmou hoje o presidente do cartel, Mohammed bin Saleh al-Sada, em meio a preocupações com a recente queda vista nos preços do petróleo. Na sexta-feira, fontes relataram que a Arábia Saudita, um dos maiores produtores do grupo, estaria disposta a conversar sobre o assunto.

Além disso, as importações de petróleo e minério de ferro da China subiram em julho em relação a igual mês do ano passado, segundo dados preliminares divulgados pela Administração Geral de Alfândega do país. No mês passado, as compras chinesas de petróleo bruto registraram avanço anual de 1,2%, a 31,07 milhões de toneladas, o equivalente a 7,35 milhões de barris por dia.

As exportações da China medidas em dólares continuaram a cair em julho, à medida que a demanda global por bens da segunda maior economia do mundo se manteve fraca. Na comparação anual, as exportações chinesas tiveram queda de 4,4% em julho, a quarta consecutiva, segundo dados publicados hoje pela Administração Geral de Alfândega do país. Em junho, as exportações do país haviam recuado em ritmo anual um pouco mais forte, de 4,8%.

Os números sugerem que os embarques externos da China, que já foram um importante fator de crescimento, continuam prejudicando o desempenho geral da economia.

Já as importações chinesas sofreram uma redução anual de 12,5% em julho, maior que o declínio de 8,4% verificado em junho e também mais intensa que a queda de 8,9% projetada pelo mercado.

O superávit comercial da China se ampliou para US$ 52,31 bilhões em julho, de US$ 48,11 bilhões em junho, superando a previsão dos economistas, que era de saldo positivo menor, de US$ 48 bilhões. 

O plenário do Senado decide amanhã, a partir das 9 horas, se dá andamento ao processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff. A expectativa é de que a sessão dure até 30 horas. Será comandada pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, que na última quinta-feira definiu, em reunião com líderes na Casa, 24 pontos que vão orientar a sessão de pronúncia.

O primeiro a falar será o relator Antonio Anastasia (PSDB-MG). Seu relatório foi aprovado na Comissão Especial do Impeachment por 14 votos a 5.

Em seguida, será aberta a fase de discussões, em que todos os 81 senadores podem falar, cada um por até dez minutos. Por último, acusação e defesa têm 30 minutos cada para se posicionar. A votação será por meio eletrônico. É necessária maioria simples dos presentes para aprovar o relatório.

Na Esplanada dos Ministérios deve ser montada uma grade para separar manifestantes pró e contra o impeachment. Segundo a Secretaria da Segurança Pública do Distrito Federal, haverá reforço no policiamento. 


O Ibovespa teve mais uma semana lateral.

Fechou sobre uma importante resistência: 57.605, capaz de projetar um teste em 58.575, se rompida em fechamento, ou marcar um topo e iniciar uma correção de preços.


A semana será decisiva e terá drivers capazes de imprimir um movimento mais direcional.

Bons negócios!

Wagner Caetano
TopTraders
Cartezyan

Nenhum comentário:

Postar um comentário