sexta-feira, 8 de julho de 2016

Viés de compra


Bom dia investidor!

Bolsas asiáticas fecharam sem direção única.

As praças principais tiveram queda. China -0,95%; Japão -1,11%.

O preço do minério de ferro fechou estável em US$ 55,2 a tonelada seca no mercado à vista chinês. Na semana o preço acumula alta de 2,2%. Esse valor segue a referência do insumo com teor de concentração de 62%, negociado no porto de Tianjin, na China.

Velho mundo tem nova sessão de domínio comprador. Londres +0,42%; Frankfurt +1,39%; Paris +1,65%.

A economia norte-americana criou 287 mil empregos em junho; previsão +165 mil. A taxa de desemprego subiu para 4,9% em junho, de 4,7% em maio; previsão 4,8%.

Os preços do petróleo operam em alta nesta sexta-feira, se recuperando após os preços fecharem em queda de quase 5% pressionados pela redução nos estoques de petróleo menor que a esperada, atingindo os menores níveis em dois meses.

Às 9h34 (de Brasília), o petróleo tipo Brent para setembro avançava 1,08% na IntercontinentalExchange (ICE), a US$ 46,90 por barril, enquanto o WTI para agosto subia 1,13% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 45,65 por barril.

De acordo com o Departamento de Energia dos EUA (DoE), os estoques norte-americanos de petróleo bruto caíram 2,223 milhões de barris na semana encerrada em 1º de julho, para 524,35 milhões de barris.

A queda foi ligeiramente menor que a previsão de analistas consultados pelo Wall Street Journal, que previam recuo de 2,3 milhões de barris e menor que a estimativa do American Petroleum Institute, de queda de 6,7 milhões.

A inflação de 0,35% medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em junho foi a menor taxa mensal registrada desde agosto de 2015, quando o indicador ficou em 0,22%, informou há pouco o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Já o resultado acumulado em 12 meses desacelerou de 9,32% em maio para 8,84% em junho, menor resultado para um período equivalente desde maio de 2015, quando estava em 8,47%. 

A líder do governo no Congresso, senadora Rose de Freitas (PMDB-ES), afirmou há pouco, em entrevista ao Broadcast, ser possível aprovar na próxima semana no Legislativo a nova meta fiscal de 2017 com um déficit do governo central de R$ 139 bilhões.

A expectativa de Rose é que a nova meta - que terá de ser formalizada pelo governo Michel Temer ao Congresso - será votada na Comissão Mista de Orçamento (CMO) na próxima quarta-feira (13) e, em seguida, no plenário em sessão conjunta das duas Casas Legislativas.

Ibovespa segue sua trajetória com viés de compra no curto prazo.



Ontem deixou longa sombra superior, mas fechou com leve alta, marcando mínima e máximas mais altas que a sessão anterior.

Bons negócios!

Wagner Caetano
TopTraders
Cartezyan



Nenhum comentário:

Postar um comentário