sexta-feira, 29 de julho de 2016

BOJ frustra expectativa do mercado


Bom dia investidor!

Bolsa asiáticas fecharam em baixa, com exceção do Japão, que subiu 0,56%.

China -0,50%.

Europa opera sem direção única.

Londres -0,15%; Frankfurt +0,31%; Paris estável.

Dow Jones futuro cai 0,34%; Nasdaq avança 0,01%; S&P 500 recua 0,28%.

O preço do minério de ferro fechou hoje no mercado à vista chinês cotado em US$ 58,8 a tonelada seca, uma queda de 0,7%, segundo dados do The Steel Index. Esse valor segue a referência do insumo com teor com concentração de 63%, negociado no Porto de Tianjin, na China. 

O Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês) tomou hoje uma medida adicional de relaxamento monetário considerada surpreendentemente modesta, mas indicou com clareza que a decisão foi feita de forma coordenada com o governo do primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, numa tentativa de combater a ameaça da deflação e reativar a economia do país asiático.

Após reunião de política monetária iniciada ontem, o BC japonês anunciou nesta sexta-feira que irá aumentar o volume de fundos de índices de ações (ETFs, na sigla em inglês) que compra anualmente, de 3,3 trilhões de ienes para 6 trilhões de ienes, como parte de uma estratégia para proteger a economia japonesa de incertezas causadas pela decisão do Reino Unido de deixar a União Europeia (o chamado "Brexit"), em plebiscito realizado no mês passado.

A medida foi aprovada por sete dos nove dirigentes do comitê de política monetária do BoJ.

Os contratos futuros de cobre operam em baixa nesta sexta-feira, em uma manhã de volumes mais baixos, com operadores à espera de indicadores da indústria dos Estados Unidos e da China, que podem dar um sinal mais claro para esse mercado.

Às 9h45 (de Brasília), o contrato de cobre para três meses recuava 0,4%, a US$ 4.878 a tonelada, na London Metal Exchange (LME). Às 9h8, o cobre para setembro caía 0,48%, a US$ 2,1985 a libra-peso, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex).

O petróleo WTI recua 1,00%, a US$ 40,73 por barril, na Nymex, enquanto o Brent cai 1,25%, a US$ 42,69 por barril, na ICE.

A taxa de desocupação no Brasil ficou em 11,30% no segundo trimestre, de acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgados há pouco pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Este é o maior patamar de desemprego já registrado pela Pnad Contínua desde o início da série, em 2012.

Em igual período do ano passado, a taxa de desemprego medida pela Pnad Contínua estava em 8,3%. No primeiro trimestre deste ano, a taxa havia ficado em 10,9%, no maior patamar da história até então.

A renda média real do trabalhador foi de R$ 1.972 no segundo trimestre de 2016. O resultado representa queda de 4,2% em relação ao mesmo período do ano anterior.

A massa de renda real habitual paga aos ocupados somou R$ 174,6 bilhões no segundo trimestre, queda de 4,9% ante igual período do ano anterior.

O gráfico diário do Ibovespa mostrou ontem uma correção intraday, seguida de recuperação, novamente com equilíbrio de forças entre ursos e touros.

Para a sessão dessa sexta-feira, tanto os drivers internos e como externos apontam para uma sessão corretiva, de baixa, porém moderada.


IBOV agora na abertura, e a luta no intraday de ontem
CLIQUE para ampliar

Bons negócios!

Wagner Caetano, diretor da TopTraders e do Cartezyan

Nenhum comentário:

Postar um comentário