sexta-feira, 3 de junho de 2016

Green Friday


Bom dia investidor!

Bolsas asiáticas fecharam em alta generalizada.

China +0,46%; Japão +0,48%.

O índice dos gerentes de compra (PMI, na sigla em inglês) do setor de serviços da China recuou para 51,2 em maio, de 51,8 em abril, segundo dados da Caixin Media, divulgados nesta sexta-feira pela Markit Economics (horário local).

Leituras acima de 50,0 indicam expansão da atividade.

Os dados, que recuaram pelo segundo mês consecutivo, mostram que o setor de serviços cresceu em um ritmo mais lento em maio, adicionando incertezas sobre o caminho da segunda maior economia do mundo.

"Todas as categorias do índice, com exceção dos preços de produção - que permaneceram estáveis -, mostraram sinais de deterioração", disse Zhengsheng Zhong, diretor do CEBM Group.

Já o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) composto da China, que engloba os setores industrial e de serviços, caiu para 50,5 em maio, de 50,8 em abril, segundo pesquisa da Caixin Media em parceria com a Markit Economics.

A leitura acima da marca de 50,0 indica a expansão da atividade. 

Europa opera com valorização.

Londres +0,92%; Frankfurt +0,56%; Paris +0,01%.

Dow Jones futuro cai 0,21%; Nasdaq recua 0,23%; S&P 500 tem queda de 0,25%.

A taxa de desemprego nos EUA caiu para 4,7%, de 5,0% em abril.

O cobre tem alta de 2,39%, na Comex.

O petróleo WTI recua 0,59%, a US$ 48,89 por barril, na Nymex, enquanto o Brent cede 0,44%, a US$ 49,82 por barril, na ICE.

O preço do minério de ferro inverteu a trajetória de queda e teve elevação de 3,3% no mercado à vista chinês, para US$ 49,5 por tonelada seca, de acordo com dados do The Steel Index.

Esse valor segue a referência do insumo com teor de concentração de 62% negociado no porto de Tianjin, na China.

Na semana, o minério de ferro acumulou retração de 5,3%, segundo o The Steel Index. 

Em visita ao Senado, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, se reuniu com o presidente da comissão especial do impeachment, Raimundo Lira (PMDB-PB) e o relator, Antonio Anastasia (PSDB-MG) para tomar ciência dos recursos feitos ao processo que analisa o afastamento da presidente Dilma Rousseff.

De acordo com o ministro, ele vai aguardar o recebimento formal dos recursos e ainda não tem opinião formada sobre eles.

Segundo Lewandowski, ele recebeu oficialmente apenas o recurso do senador Aloysio Nunes (PSDB-SP), que trata da redução do número de testemunhas da defesa.

O relator Antonio Anastasia entende que, por se tratarem de quatro decretos de edição de créditos suplementares, a defesa tem direito a trazer até oito testemunhas para cada um deles, num total de 32 depoimentos.

Aloysio, entretanto, argumenta que o impeachment se baseia em apenas dois fatos, as pedaladas fiscais e o conjunto dos decretos.

Dessa forma, ele defende que o número de testemunhas seja reduzido para 16. Lewandowski não se comprometeu com nenhuma das teses e disse que ainda irá avaliar a questão.

O ministro disse que ainda não recebeu o recurso da defesa contra o encurtamento do cronograma do processo de impeachment.

O presidente da comissão acolheu pedido da senadora Simone Tebet (PMDB-MS) que diminui prazos para alegações e encurta o processo de impeachment em 20 dias.

No novo calendário, o julgamento final da presidente poderia acontecer ainda em Julho.

O ex-advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, afirmou que iria recorrer da decisão.

Lewandowski disse que, quando receber o recurso, vai analisar em tempo oportuno. 


O gráfico diário do Ibovespa mostra força dos touros.

O benchmark fechou muito próximo da máxima da sessão, inclinando a média móvel exponencial de 5 períodos para cima e ainda terminando o pregão acima do importante 49.750.

Com essa movimentação, abre espaço para testar a média móvel exponencial de 21 períodos, onde teremos noção da força dos compradores.


Bons negócios!

Wagner Caetano
Diretor da TopTraders e do Cartezyan

Nenhum comentário:

Postar um comentário