quinta-feira, 28 de abril de 2016

Ressaca


Ressaca

Bolsas asiáticas fecharam em baixa.

China -0,27% e Japão -3,61%.

Europa opera com desvalorização.

Londres -1,07%; Frankfurt -1,30%; Paris -1,50%.

Petróleo Brent recua 0,25% na ICE e o WTI cai 0,42% na Nymex.

O preço do minério de ferro subiu 4% no mercado à vista chinês indo a US$ 62,9 a tonelada seca, de acordo com dados do The Steel Index. Esse valor segue a referência do insumo com teor de concentração de 62% negociado no porto de Tianjin, na China. 

O Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês) manteve inalterada a sua política monetária nesta quinta-feira, deixando de lado os pedidos do mercado por mais estímulos.

O banco central japonês manteve sua meta de compra de ativos em 80 trilhões de ienes (US$ 718 bilhões) por ano, uma medida destinada a colocar mais dinheiro em circulação para estimular o crescimento e a inflação.

A decisão foi apoiada por 8 dos 9 dirigentes da instituição.

O BoJ também deixou inalterada a taxa de depósito em -0,1%, cobrada em alguns depósitos detidos pelos bancos comerciais, decisão que teve 7 votos a 2.

As taxas abaixo de zero entraram em vigor em fevereiro como parte de esforços acrescidos por Tóquio para estimular a atividade econômica por meio da redução dos custos de empréstimos.

Os dissidentes votaram para que a instituição retornasse à taxa ao anterior de +0,1%.

Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiram suspender por 60 dias o julgamento sobre a mudança no pagamento dos juros das dívidas entre Estados e União.

A sugestão foi feita pelo ministro Luís Roberto Barroso, que defendeu que essa é uma questão política e não jurídica e que os entes federativos deveriam sentar e negociar uma saída conjunta.

"Nós estamos dando um refresco de 60 dias e dizendo 'sentem na mesa de negociação'.

Os Estados já sabem que nós não seremos favoráveis a essa tese dos juros simples. E a União também sabe que adotou uma regra que era favorável a ela", disse o ministro.

Relator dos mandados de segurança sobre o caso, o ministro Luiz Edson Fachin votou contra a mudança das regras de pagamento.

No início do mês, ele havia dado liminares favoráveis aos Estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Minas Gerais para que eles pudessem pagar as dívidas que têm com a União usando juros simples e não composto.

"Reconheço que são graves os problemas financeiros por que passam os Estados. De outro lado, são nítidas as limitações de caixa da União", afirmou em seu voto.

O gráfico diário do Ibovespa está colado na linha de retorno que gerou três correções no mês de março e a queda recente, entre o final da semana passada e segunda-feira.

Se sentir novamente e fechar em desvalorização, teremos sinal de topo no diário e mais uma perna de baixa, com suportes em 54.350, 54.055 e 53.415.



Bons negócios e até amanhã! 

Wagner Caetano

Diretor da TopTraders e do Cartezyan

Nenhum comentário:

Postar um comentário