terça-feira, 26 de abril de 2016

Mercado à espera dos Bancos Centrais


Bom dia investidor!

Ásia fechou sem direção definida.

China +0,61% e Japão -0,49%.

Europa segue o mesmo caminho.

Londres +0,46%; Frankfurt +0,17%; Paris -0,20%.

O minério de ferro caiu 1,4% na China, fechando cotado a US$ 64,1 a tonelada.

Dow Jones futuro sobe 0,16%; Nasdaq ganha 0,07%; S&P 500 avança 0,12%.

Os futuros do cobre estendem as perdas acentuadas nesta terça-feira, uma vez que o apetite por risco entre os investidores se dissipou, enquanto eles aguardam por direções sobre uma alta de juros nos EUA após a reunião do Federal Reserve (Fed).

Por volta das 8h30 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) caía 1,4%, a US$ 4.925,50 por tonelada, após ter atingido um pico de baixa de quatro dias no início da sessão.

Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para maio tinha queda de 1,22%, a US$ 2,2255 por libra-peso, às 9h03 (de Brasília).

Em relação aos bancos centrais, a expectativa quase unânime no mercado é que o BC dos EUA não mude a política agora.

Os investidores aguardam, de qualquer modo, o que sinalizará o Fed para os próximos passos em sua trajetória de aperto gradual na política monetária. Outro BC importante que se pronunciará nesta semana é o Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês), que anuncia sua decisão na quinta-feira (hora local). Analistas mostram-se divididos quanto à possibilidade de o BoJ anunciar mais estímulos, já que as medidas anunciadas até agora não conseguiram de maneira decisiva combater o quadro de deflação e crescimento econômico fraco no Japão.

O petróleo Brent avança 1,28% na ICE, enquanto o WTI sobe 1,24% na Nymex.

Pela primeira vez desde que teve sua nomeação suspensa para a Casa Civil, há 41 dias, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva retornou nesta segunda-feira ao Palácio do Planalto.

Foi ao gabinete da presidente Dilma Rousseff, no terceiro andar, e conversou com ela e com ministros do PT sobre estratégias para enfrentar o processo de impeachment no Senado.

Depois, todos foram jantar a sete quilômetros dali, no Palácio da Alvorada.

Para Lula, Dilma deve denunciar o "golpe" em todos os seus discursos.

A ordem é para que o PT e os movimentos sociais não deem trégua ao vice-presidente Michel Temer (PMDB).

O ex-presidente vai conversar nesta terça-feira com senadores do PT, a fim de traçar o roteiro da ofensiva.

Ele também terá um encontro, nos próximos dias, com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

Apesar de manterem o discurso oficial de que é possível virar o jogo do impeachment, parlamentares do PT e de partidos da base aliada do governo dão como certa a aprovação do afastamento de Dilma na primeira votação, no plenário do Senado, prevista para 15 de maio.

Se este cenário for confirmado, a presidente será obrigada a se afastar por até 180 dias.

Dilma já admite, nos bastidores, a possibilidade de defender a proposta que prevê a convocação de eleições presidenciais para encurtar em dois anos o seu mandato, mas ainda avalia o melhor momento de assumir a estratégia. Ministros próximos a Dilma, no entanto, afirmam que isso já é "fato consumado" porque ela não terá governabilidade com o País dividido, mesmo se não sofrer impeachment no julgamento final do Senado.

O gráfico diário do Ibovespa mostra um mercado inclinado para a venda no curto prazo, porém com chances de repique especialmente na etapa inicial do pregão.


Clique para ampliar

Nesse caso encontrará resistência em 52.260.

O caminho mais provável para os próximos dias seria um teste da média móvel exponencial de 21 períodos ou mesmo da regiao compreendida entre 50.895 e 51.370.


Bons negócios!

Wagner Caetano

Diretor da TopTraders e do Cartezyan

Nenhum comentário:

Postar um comentário