segunda-feira, 18 de abril de 2016

Day After


Bom dia investidor!

Bolsas asiáticas fecharam em baixa.

China -1,44% e Japão -3,40%.

Na Europa, a venda predomina.

Londres -0,24%; Frankfurt -0,08%; Paris -0,37%.

Dow Jones futuro cai 0,34%; S&P500 recua 0,41%; Nasdaq perde 0,37%.

Petróleo WTI cai 3,87% em Nova York, enquanto o Brent recua 3,27% na ICE.

O último Relatório de Mercado Focus elaborado antes do início do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados mostrou mais uma rodada de deterioração das expectativas do mercado financeiro para a atividade brasileira.

De acordo com o documento divulgado há pouco pelo Banco Central, as previsões das instituições privadas para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2016 passaram de queda de 3,77% para baixa de 3,80% - um mês atrás estava em -3,60%.

Pelos cálculos do BC, apresentados no Relatório Trimestral de Inflação de março, a o PIB terá retração de 3,50% este ano.

Três meses atrás, a autarquia previa queda de 1,9%. Para 2017, a previsão do mercado ainda é de alta da atividade, de 0,20%, mas abaixo do que o projetado um levantamento antes (0,30%). Quatro semanas antes estava em 0,44%.

Também piorou a estimativa para a produção industrial, que saiu de queda de 5,60% para recuo de 5,80% - um mês atrás, estava em -4,50%. Para 2017, a previsão ainda continua no terreno positivo, em 0,69%, a mesma taxa apontada uma semana antes - estava em 0,57% quatro semanas atrás.

Escalado para ser o porta-voz do governo após a aprovação do impeachment pela Câmara, o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, afirmou, já na madrugada desta segunda-feira, 18, que a presidente Dilma Rousseff não irá renunciar ao cargo e que o governo vai continuar lutando para derrotar o processo no Senado.

"A decisão não abaterá a presidente. Ela vai continuar lutando. Se alguém imagina que ela se curvará com o resultado de hoje (ontem), se engana. Ela não se acovardou", afirmou.

Cardozo disse ainda que Dilma vai fazer um pronunciamento nesta segunda-feira e que, apesar do resultado negativo, a presidente estava "serena", pois é uma mulher "muito forte", "que sabe lutar a boa luta".

O advogado-geral da União repetiu diversas vezes que o impeachment foi um processo político e que a aprovação da admissibilidade na Câmara foi recebida pelo governo com "tristeza e indignação". Para ele, se o Senado também optar por afastar a presidente, haverá uma "ruptura com a Constituição" e estará instaurado o "golpe de abril de 2016".

Cardozo também voltou a afirmar que não há base legal para o afastamento e que o governo deve recorrer novamente ao Supremo Tribunal Federal (STF), "no momento oportuno". Segundo ele, apesar de não ser possível discutir o mérito da questão na Corte, o Planalto poderá questionar "a falta de justa causa para o pedido". "Aqueles que acompanharam, sabem que o pedido não tem procedência", disse.


O Ibovespa continua em uma região que sugere correção, longe da média móvel exponencial de 21 períodos.

Nesse tipo de cenário, a perda do topo anterior (52.260), em fechamento, seria um sinal de queda para o curtíssimo prazo.

Se continuar a escalada recente e romper 53.850, terá amplo espaço para subir, mas esse não é o caminho mais provável.

Bons negócios!



Nenhum comentário:

Postar um comentário