quinta-feira, 24 de março de 2016

Um, dois, três, o governo outra vez...


Bom dia investidor! 

Estrangeiros reduziram novamente o saldo comprado no índice futuro, dessa vez de 94.445 para 92.709 contratos.

Na Ásia tivemos queda generalizada: China - 1,63% e Japão -0,64%.

Europa mergulhada no mar vermelho.

Londres -1,65%; Frankfurt -1,36%; Paris -2,05%.

Futuros norte-americanos cedem cerca de 0,50%.

O preço do minério de ferro caiu 3,1% no mercado à vista chinês e foi a US$ 55,5 a tonelada seca, de acordo com dados do The Steel Index.

No acumulado da semana o recuo foi de 1,4%.

Esse valor segue a referência do insumo com teor de concentração de 62% negociado no porto de Tianjin, na China. 

Os preços do petróleo seguem em queda nesta quinta-feira em meio a preocupações sobre o excesso de oferta nos EUA, que ressurgiram em um mercado que tem sido impulsionado por esperanças de um congelamento na produção.

Às 8h39 (de Brasília), o petróleo tipo Brent para maio caía 2,03%, a US$ 39,65 por barril, na ICE, enquanto o WTI para o mesmo mês negociado na Nymex recuava 2,14%, a US$ 38,94 por barril.

As quedas coincidem com os baixos volumes de negociação antes do feriado de Páscoa, de modo que as flutuações de preços ficam menos suscetíveis.

Após a divulgação que a nova meta fiscal do governo central é de R$ 2,8 bilhões, o ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, afirmou que, se todo o espaço fiscal for utilizado, o déficit primário do governo central pode chegar a R$ 96,650 bilhões.

Para isso, o Congresso tem de aprovar um aumento no espaço fiscal.

De acordo com o projeto apresentado há pouco pelo dirigente da Fazenda, a nova possibilidade máxima de abatimento passou para R$ 120,65 bilhões. As contas feitas pelo ministro contaram com uma redução da meta anterior, de R$ 24 bilhões da meta anterior.

O ministro esclareceu que o abatimento de R$ 120 bilhões é em relação a meta atual de R$ 24 bilhões.



O Ibovespa segue a trajetória que apontamos no início da semana, de correção após uma forte escalada, para aliviar indicadores, fechar gaps e possibilitar o embarque de novos investidores com apetite por risco.

Devemos ter a perda de 49.750.

Nesse caso o alvo é 48.745, com paradas em 49.400, 49.050 e 48.840.

Bons negócios!


Wagner Caetano

Diretor da TopTraders e do Cartezyan

Nenhum comentário:

Postar um comentário