terça-feira, 8 de março de 2016

Pregão deve ser de correção


Bom dia investidor!

Ásia fechou sem direção única.

China +0,14% e Japão -0,76%.

Europa opera com desvalorização, sinalizando uma sessão de correção.

As exportações da China, em termos de dólar, caíram pelo oitavo mês consecutivo em fevereiro, na comparação com o mesmo período do ano passado, à medida que a segunda maior economia do planeta continua a perder fôlego.

As exportações chinesas recuaram 25,4% na comparação com fevereiro do ano passado, na sequência de uma queda de 11,2% em janeiro, de acordo com dados da Administração Geral de Alfândegas, divulgados nesta terça-feira.

Os números indicam que as embarcações continuam a ser um empecilho para o desempenho econômico da China

O superávit comercial da China recuou em fevereiro para US$ 32,59 bilhões, de US$ 63,29 em janeiro, ficando aquém das estimativas de superávit de 51,25 bilhões. 

As importações da China registraram queda anual de 13,8% em fevereiro, após recuarem 18,8% em janeiro, segundo dados divulgados pela Administração Geral de Alfândega.

A diminuição foi menor do que o recuo de 15% previsto por economistas consultados pelo Wall Street Journal.

As importações de petróleo, minério de ferro e cobre da China subiram em fevereiro em relação a igual mês do ano passado, segundo dados divulgados pela Administração Geral de Alfândega do país.

No mês passado, as compras chinesas de petróleo bruto registraram avanço anual de 24,5%, a 31,8 milhões de toneladas, o equivalente a 8 milhões de barris por dia.

Na comparação mensal, o aumento foi de cerca de 19%.

Já as importações chinesas de cobre subiram 23,3% no confronto anual de fevereiro, a 420 mil toneladas, enquanto as de minério de ferro avançaram 6,3%, a 73,6 milhões de toneladas.

Em relação a janeiro, porém, houve queda de 4,5% nas importações de cobre e recuo de 10,4% nas compras de minério de ferro. 

A produção industrial da Alemanha subiu 3,3% em janeiro ante dezembro, considerando-se ajustes sazonais, segundo dados publicados hoje pela agência de estatísticas do país, a Destatis. 

Na comparação anual, a produção industrial alemã registrou alta de 2,2% em janeiro.

Além dos bons resultados de janeiro, o dado de dezembro foi revisado para cima, para declínio mensal de 0,3%, de uma contração originalmente estimada em 1,2%.

Apenas a produção manufatureira da Alemanha cresceu 3,2% em janeiro ante o mês anterior, enquanto a do setor de construção teve forte expansão de 7%. 

Petróleo cede 1,08% na Nymex e 0,73% na ICE.

Cobre tem baixa de 1,16% na Comex.

Dow Jones futuro cai 0,69%; Nasdaq recua 0,94% e S&P 500 tem baixa de 0,76%.

Vale destacar que os estrangeiros atuaram na venda do índice futuro tanto na sexta-feira, diminuindo o saldo comprado de 169.577 para 146.431 contratos, quanto ontem, quando terminaram o pregão comprados em 139.211.


O gráfico diário do Ibovespa mostra sobrecompra e abre espaço para uma sessão de correção, com suporte em 48.745.

Somente a perda desses níveis seria capaz de acelerar a venda, pois além de ser o topo que gerou a queda entre novembro  e janeiro é mínima de ontem.

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

Nenhum comentário:

Postar um comentário