quarta-feira, 23 de março de 2016

Lula livre de Sergio Moro?


Bom dia investidor!

Estrangeiros atuaram na venda no pregão de ontem, diminuindo o saldo comprado de 101.018 para 94.445 no índice futuro.

Bolsas asiáticas novamente fecharam sem direção única.

China +0,35% e Japão -0,28%.

Na Europa as principais praças operam com elevação.

Londres +0,17%; Frankfurt +1,08%; Paris +0,49%.

Futuros norte-americanos trabalham perto da estabilidade.

O minério de ferro caiu 1%, fechando cotado a US$ 57,3 a tonelada na China.

O petróleo Brent cai 0,31% na ICE, enquanto o WTI cede 0,55% na Nymex.

O ministro Teori Zavascki, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), determinou que o juiz Sérgio Moro envie à Corte os processos que envolvem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A decisão, porém, não anula a liminar concedida por Gilmar Mendes na última sexta-feira, que suspendeu a nomeação de Lula como ministro-chefe da Casa Civil.

Na decisão, Teori também condenou a divulgação dos áudios entre Lula e a presidente Dilma Rousseff e determinou que os processos devem correr, a partir de agora, sob sigilo.

"A esta altura, há de se reconhecer, são irreversíveis os efeitos práticos decorrentes da indevida divulgação das conversações telefônicas interceptadas.

Ainda assim, cabe deferir o pedido no sentido de sustar imediatamente os efeitos futuros que ainda possam dela decorrer e, com isso, evitar ou minimizar os potencialmente nefastos efeitos jurídicos da divulgação, seja no que diz respeito ao comprometimento da validade da prova colhida, seja até mesmo quanto a eventuais consequências no plano da responsabilidade civil, disciplinar ou criminal", diz.

No despacho, o ministro criticou a justificativa de "interesse público" dada por Moro para explicar a divulgação das conversas telefônicas de Lula. 

A decisão de Teori foi uma resposta a um pedido do governo, que acusava Moro de ter cometido uma ilegalidade e ter colocado em risco a "soberania nacional" ao divulgar conversas telefônicas entre Lula, Dilma e outros ministros.

Em 29 de março, quando o PMDB deve formalizar seu desembarque do governo Dilma Rousseff em meio ao processo de impeachment no Congresso, o vice-presidente Michel Temer (PMDB) estará reunido com alguns dos principais defensores do impedimento de Dilma em um seminário promovido pelo Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP), que tem o ministro do STF Gilmar Mendes como sócio-fundador, em Portugal.

Integrantes do governo tem tratado o encontro como prenúncio do arranjo político para derrubar a presidente.

Os executivos da maior empreiteira do País decidiram buscar o acordo de delação premiada com a Procuradoria Geral da República nos processos da Operação Lava Jato.

O empreiteiro Marcelo Bahia Odebrecht, preso na Operação Erga Omnes, desde 19 de junho de 2015, já começou a depor, antes da deflagração da Operação Xepa, etapa da Lava Jato que tem base na colaboração da ex-secretária do grupo, Maria Lúcia Tavares.

Ela entregou aos investigadores a planilha da propina.

O acordo foi confirmado pelo grupo no dia de ontem.

Ele envolve outros executivos da Odebrecht, presos também desde junho de 2015. (Pedro Venceslau, Ricardo Bandt, Valmar Hupsel Filho e Fausto Macedo)


O gráfico diário do Ibovespa mostra um mercado altista, porém com sobrecompra e longe da média móvel exponencial de 21 períodos.

O caminho mais natural seria um teste de 50.165 como suporte.

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan
Top Traders

Nenhum comentário:

Postar um comentário