quarta-feira, 16 de março de 2016

Delcídio e a República


Olá Investidor!


Bolsas asiáticas fecharam sem direção única.

China +0,21% e Japão -0,83%.

A pressão de saída de capital da China "obviamente diminuiu" ultimamente, afirmou o regulador cambial do país nesta quarta-feira.

O fluxo de capital para dentro e fora do país "deve se estabilizar no futuro", disse o regulador, a Administração de Câmbio Estatal, em comunicado em seu site.

O órgão informou que os setores que não os bancários venderam um montante líquido de US$ 35 bilhões em fevereiro.

O número representa a metade do vendido no mês anterior.

O regulador também disse que as companhias chinesas desaceleraram a renegociação de dívida no exterior, enquanto cidadãos chineses continuam a comprar moeda estrangeira, mas em um ritmo menor.

Segundo o órgão, a estabilização nos mercados financeiros globais, bem como a taxa cambial do yuan, ajudaram recentemente a aliviar a pressão de saída de capital do país.

Na Europa: Londres +0,11%; Frankfurt +0,40%; Paris -0,25%.

Futuros norte americanos desvalorizam cerca de 0,20%.

O minério de ferro subiu 1,5%, fechando cotado a US$ 52,5 a tonelada na China.

Está marcado para esta quarta-feira, 16, o julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF) dos recursos sobre o rito do impeachment no Congresso.

Os chamados embargos de declaração, apresentados pelo presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), questionam a proibição de chapa avulsa e do voto secreto na eleição da comissão especial que analisará o pedido contra a presidente Dilma Rousseff na Casa.

O peemedebista também questiona o fato de a última palavra sobre a abertura do processo de impeachment ter ficado com o Senado.

O rito foi definido em dezembro do ano passado, quando a maioria dos ministros do STF decidiu acompanhar o voto do ministro Luís Roberto Barroso sobre o caso.

O grupo de parlamentares que defende o afastamento da presidente ganhou na última semana reforço dentro da própria Corte para que haja uma revisão de alguns pontos que favoreceram o governo na decisão proferida pelo plenário.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou há pouco ao Palácio da Alvorada para café da manhã com a presidente Dilma Rousseff.

Depois de conversa que tiveram ontem até perto de meia-noite, a expectativa é que Lula decida hoje se aceita ou não ocupar um ministério no governo Dilma.

Outros ministros também participam do encontro esta manhã, inclusive o da Educação, Aloizio Mercadante, acusado de tentar subornar um assessor de Delcídio Amaral para obter o silêncio do senador, cuja delação premiada no âmbito da Operação Lava Jato foi homologada ontem pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

O ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, e da Casa Civil, Jaques Wagner, já estão na reunião.

O ministro da Secretaria de Governo, Ricardo Berzoini, também participará do encontro.



O gráfico diário do Ibovespa mostra que o benchmark tocou e respeitou a primeira retração de Fibonacci e reagiu em seguida.

Para a sessão de hoje, o caminho mais provável é de baixa, pelo menos na etapa inicial do pregão.

Temos suporte na mínima de ontem seguida por 46.250 e pela retração de 50% de Fibonacci, onde também está a média móvel exponencial de 21 períodos.

Bons negócios e até amanhã!

Wagner Caetano
Diretor do Cartezyan e da Top Traders

Nenhum comentário:

Postar um comentário