terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Política e polícia no radar


Bom dia investidor!

Estrangeiros aumentaram o saldo no índice futuro no pregão de ontem, de 151.735 para 157.778 contratos de índice futuro.

Na Ásia tivemos fechamento levemente negativo. Japão -0,37% e China -0,81%.

Europa realiza lucros. Londres -0,65%; Frankfurt -0,76%; Paris -0,34%.

O Produto Interno Bruto (PIB) da Alemanha cresceu 0,3% no quarto trimestre de 2015 ante o terceiro e avançou 1,3% na comparação anual, de acordo com dados da Destatis, como é conhecida a agência de estatísticas do país.

A 23ª etapa da Operação Lava Jato, deflagrada na manhã de ontem, trouxe a política de volta às mesas de operação.

Ao atingir o marqueteiro João Santana, cuja prisão foi decretada, a investigação eleva as chances, na visão de parte do mercado, de a presidente Dilma Rousseff ser cassada via TSE.

Como uma mudança na Presidência é bem vista, esta leitura potencializou ontem o avanço da Bovespa e o recuo do dólar e dos juros futuros, quem vinham desde cedo sendo influenciados positivamente pelo exterior.

Segundo o IBGE, o IPCA-15 ficou em 1,42% em fevereiro, ate 0,92% em janeiro, sendo o meior para o mês desde 2003.

Cobre, petróleo e futuros norte-americanos operam entre a estabilidade e leve desvalorização.


Ontem o Ibovespa cumpriu o objetivo do movimento atual ao alcançar a região de 42.750.

Esse ponto agora é suporte pelo princípio da inversão de polaridade da análise técnica.

Se o mercado se sustentar acima desse patamar, terá como alvo uma região decisiva e de forte resistência, entre 43.766 e 44.235, cujo rompimento projetaria 45.850.

Como a maré é de compra, realizações de lucro são oportunidades nesse momento.

Bons Negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

Nenhum comentário:

Postar um comentário