quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Mar vermelho


Bom dia investidor!


Japão e China tiveram suas bolsas fechadas.

Europa opera com desvalorização. Londres -2,22%; Frankfurt -2,38%; Paris 3,68%.



O preço do minério de ferro ficou estável em US$ 44,5 a tonelada seca.

Os futuros de petróleo ampliam perdas recentes nesta manhã, com a referência na New York Mercantile Exchange (Nymex) operando abaixo de US$ 27 por barril, após os últimos dados do Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) norte-americano mostrarem que o excesso de oferta da commodity está longe de perder força.

Às 9h04 (de Brasília), o petróleo para março negociado na Nymex caía 2,91%, a US$ 26,65 por barril, enquanto o Brent para abril recuava 1,13%, a US$ 30,49 por barril, na Intercontinental Exchange (ICE), em Londres.

Em pesquisa divulgada ontem, o DoE estimou que o volume estocado de petróleo bruto nos EUA caiu 754 mil barris na semana passada, mas apontou que os estoques totais subiram em 11 das últimas 14 semanas, com avanços inesperados nos volumes de gasolina e destilados.

Além disso, os estoques no centro de distribuição de Cushing (Oklahoma), ponto de entrega física do petróleo da Nymex, avançaram para 64,7 milhões de barris, um novo patamar recorde.

Cobre em baixa de 0,30% na Comex.

A agenda de eventos dos Estados Unidos desta quinta-feira traz como destaque a apresentação, pela presidente do Federal Reserve, Janet Yellen, do relatório de política monetária ao Comitê Bancário do Senado, às 13h, quando ela também responde questões dos senadores.

Às 16h, o Tesouro divulga o resultado do leilão de US$ 15 bilhões em títulos de 30 anos. Os horários são de Brasília.

Ainda teremos pedidos de auxílio desemprego às 11h30.

Ontem o Ibovespa segurou nas médias móveis e fechou longe da mínima.

Para manter o viés de alta de curto prazo precisa respeitar a média móvel exponencial de 21 períodos como suporte, pelo menos em fechamento.

Bons negócios!


Wagner Caetano
Cartezyan

Nenhum comentário:

Postar um comentário