terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

China acalma o mercado


Bom dia investidor!

Bolsas na Ásia fecharam em alta generalizada.

Os bancos chineses liberaram 2,51 trilhões de yuans (US$ 385,5 bilhões) em novos empréstimos em janeiro, o maior valor já registrado para um único mês, segundo dados publicados hoje pelo Banco do Povo da China (PBoC, o BC chinês).

O resultado de janeiro veio bem acima dos 597,8 bilhões de yuans registrados em dezembro e superou a expectativa de 13 analistas consultados pelo Wall Street Journal, de 1,9 trilhão de yuans em novos empréstimos.

O financiamento social total, uma medida mais ampla do crédito na economia chinesa, somou 3,42 trilhões de yuans em janeiro, ante 1,82 trilhão de yuans em dezembro.

A base monetária da China (M2) teve aumento anual de 14% em janeiro, após avançar 13,3% em dezembro. Neste caso, a previsão dos economistas era de ganho menor, de 13,5%. 

Europa opera em leve baixa, corrigindo o rali de ontem.

Londres +0,07%; Frankfurt -0,65%; Paris +0,04%.


O índice ZEW de expectativa econômica da Alemanha recuou de 10,2 em janeiro para 1,0 em fevereiro, o nível mais baixo desde outubro de 2014, informou o próprio instituto nesta terça-feira. Analistas ouvidos pela Dow Jones Newswires previam queda para 0,0.

O resultado reflete o aumento da volatilidade do mercado financeiro e uma deterioração da perspectiva econômica global. "A desaceleração que ameaça a economia mundial e suas consequências incertas, e a queda no preço do petróleo tem colocado pressão sobre o indicador ZEW", disse Sascha Steffen, chefe do departamento de pesquisa.

O índice ZEW de condições atuais na Alemanha, por sua vez, caiu de 59,7 em janeiro para 52,3 em fevereiro. A previsão era 55,0. 

Cobre sobe 2,36% na Comex.

Os contratos de petróleo operam em alta na manhã desta terça-feira, após quatro dos maiores produtores do mundo concordarem em congelar suas produções nos níveis de janeiro.

Os preços, porém, logo recuaram das máximas de mais cedo, diante do fato de que os países envolvidos decidiram congelar a produção em níveis já altos, ressaltando ainda que tomarão essa medida apenas se outras nações fizerem o mesmo.

Às 8h44 (de Brasília), o petróleo Brent para abril subia 2,25%, a US$ 34,14 o barril, na ICE, em Londres.

O petróleo para março avançava 1,63%, a US$ 29,92 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex). Mais cedo, o Brent chegou a subir na casa dos 6%.

O gráfico diário do Ibovespa mostra um fechamento longe da máxima, porém em alta e sobre as médias e a LTA, apontando que a sessão dessa terça-feira terá importância extra, sendo decisiva para as movimentações de curto prazo, lembrando que ontem tivemos vencimento de opções e amanhã será a vez do índice futuro.

Wagner Caetano
Cartezyan

Nenhum comentário:

Postar um comentário