segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

China corta compulsório em 0,5%


Bom dia investidor!

Estrangeiros atuaram na ponta compradora do índice futuro no pregão de sexta-feira, elevando o saldo positivo de 157.191 para 167.735 contratos.

Na Ásia tivemos queda de 1% na Japão e 2,86% na China.

Europa opera sem direção única, porém longe das mínimas.

Londres -0,27%; Frankfurt -1,13%; Paris -0,19%.

O cobre opera volátil na manhã desta segunda-feira em Londres e Nova York. 

Por um lado, investidores mostram-se preocupados com a nova queda nos mercados acionários da China, mas por outro a notícia do corte no compulsório bancário pelo Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês) pode apoiar a cotação do metal.

Na London Metal Exchange (LME), o cobre para três meses operava praticamente estável, a US$ US$ 4.698 a tonelada, perto das 8h (de Brasília). 

O cobre para março avançava 0,05%, a US$ 2,1190 a libra-peso, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), às 8h30.

O Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês) anunciou nesta segunda-feira um corte no compulsório para todos os bancos, de 0,5 ponto porcentual. A medida entra em vigor nesta terça-feira.

De acordo com o PBoC, a medida é tomada com o objetivo de fornecer ampla liquidez para o sistema financeiro e manter estável o crescimento do crédito.

Com o corte anunciado hoje, o compulsório oficial para os maiores bancos da China cairá para 17%.

Em 2015, o banco central chinês anunciou quatro cortes no compulsório para todos os bancos. 

Após oito rodadas consecutivas de alta, o Relatório de Mercado Focus trouxe hoje a primeira queda das expectativas para o IPCA deste ano.

No documento divulgado há pouco pela instituição, a mediana das previsões para a inflação de 2016 apresentou baixa ao sair de 7,62% para 7,57%.

Mesmo assim, segue distante do teto da meta deste ano de 6,50%. O BC vem reforçando que continua trabalhando para evitar o índice extrapole esse patamar.

Quatro semanas atrás, a mediana na Focus estava em 7,26%.


O gráfico diário mostra o fechamento do Ibovespa sobre uma região importante, formada pelo suporte 41.445 e pela LTA tracejada em azul.

Um pregão positivo nessa segunda-feira abriria as portas para uma semana altista.

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan



sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Commodities impulsionam as bolsas


Bom dia investidor!

Estrangeiros voltaram a comprar contratos de índice futuro na sessão de ontem, aumentando o saldo de 154.589 para 157.191.

Nessa manhã de sexta-feira as bolsas operam em valorização, na esteira do petróleo e dos metais.

Na China houve avanço de 0,95% e no Japão +0,30% (máxima do pregão).
Londres +0,90%; Frankfurt +1,45%; Paris +1,34%.

O petróleo sobe mais de 2% em Londres e Nova York, o que beneficia as petroleiras europeias.

Declarações do ministro do Petróleo da Venezuela de que importantes produtores se reunirão novamente para discutir como equilibrar o mercado sustentam os contratos, ainda que analistas façam ressalvas sobre a possibilidade de um acordo importante para cortar a oferta de petróleo.

De qualquer modo, a reação à fala da autoridade é positiva. Na Bolsa de Londres, a ação da BP subia 2,32%, por volta das 8h25 (de Brasília).

O cobre também sustentava alta superior a 2% nesta manhã em Nova York, o que beneficia as mineradoras.

Em Londres, Antofagasta subia 0,40% e Anglo American tinha alta de 3,93%.

Na China, autoridades realizam reunião de cúpula do G-20. O presidente do Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês), Zhou Xiaochuan, afirmou que a instituição que comanda tem espaço monetário e múltiplas ferramentas para estabilizar a segunda maior economia do mundo.

Segundo ele, "não há base para a persistente depreciação" do yuan.


Ontem o Ibovespa tocou e respeitou novamente a LTA tracejada em azul na imagem, fechando longe da mínima.

O fato de terminar o pregão acima de 41.445 é positivo.

Uma sessão firme nessa sexta-feira, com alta relevante, abre espaço para que uma próxima semana positiva, com provável teste de 43.600-43.766, ponto decisivo para as movimentações de médio prazo.

Bons negócios!

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Gerdau nos holofotes


Bom dia investidor!

Estrangeiros atuaram na compra do índice futuro no pregão de ontem, aumentando o saldo comprado de 152.930 para 154.589 contratos.

Na Ásia a maior parte das bolsas fecharam em alta, com destaque para o Japão que subiu 1,41%.

A China, por sua vez, teve nova sessão de forte baixa, cedendo 6,41%.

Europa tem alta relevante em todas as praças.

Londres +2,28%; Frankfurt +1,31%; Paris +2,40%.

O minério de ferro recuou 2% na China, fechando cotado a US$ 49,2 a tonelada.

O cobre opera de forma estável na Comex.

Dow Jones futuro avança 0,18%; S&P 500 sobe 0,17%; Nasdaq ganha 0,16%.

Balanços da Vale, Ambev e Banco do Brasil terão forte impacto nas cotações nessa quinta-feira.

Os contratos futuros de petróleo operam em baixa na manhã desta quinta-feira, após a divulgação do dado de estoques da commodity nos Estados Unidos na tarde de ontem.

O dado foi o mais recente sinal de excesso de oferta no mercado, o que tem pressionado os preços há quase dois anos.

Às 8h05 (de Brasília), o petróleo Brent para abril caía 0,99%, a US$ 34,07 o barril, na plataforma ICE, em Londres.

O petróleo WTI para abril tinha queda de 0,50%, a US$ 31,99 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex).

Os estoques de petróleo dos EUA subiram 3,5 milhões de barris na semana passada, segundo o Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês).

Logo após o dado, os investidores deram mais peso ao fato de que os estoques de gasolina tenham registrado um inesperado declínio de 2,2 milhões de barris, o que indicou demanda mais forte.

O estoque de petróleo total, porém, subiu a 507,6 milhões de barris, outra alta semanal e para um patamar 74 milhões de barris superior na comparação com o ano passado.

No dado mensal, que não se ajusta exatamente ao semanal, os estoques haviam excedido os 500 milhões de barris pela última vez em 1930.

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira mais uma fase da Operação Zelotes.

O alvo é a empresa siderúrgica Gerdau, investigada por suposta compra de decisões no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), órgão ligado ao Ministério da Fazenda que julga recursos de grandes contribuintes a multas aplicadas pela Receita Federal.

A PF cumpre 20 mandados de condução coercitiva, quando a pessoa é liberada no mesmo dia após prestar depoimento, e 18 de busca e apreensão no Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, São Paulo, Pernambuco e no Distrito Federal.

Ao contrário do que a Polícia Federal havia divulgado mais cedo, o alvo de condução coercitiva dessa nova fase da Zelotes não é Jorge Gerdau, mas o empresário André Gerdau, presidente da empresa.

A PF está nos endereços da empresa cumprindo mandados de busca. PF esclareceu também que Jorge Gerdau não esta entre os alvos da operação.

A empresa, que possui operações industriais em 14 países, teria tentado anular débitos que chegam a R$ 1,5 bilhão, segundo a PF, por meio de contratos com escritórios de advocacia e de consultoria, os quais agiram de maneira ilícita manipulando o andamento do processo.

Segundo as investigações, o grupo de lobistas continuou atuando mesmo após a deflagração da operação em março do ano passado.

A Zelotes foi deflagrada em março de 2015 para desarticular esquema de compra de decisões no Carf por grandes empresas.

No curso das investigações, a força-tarefa do Ministério Público Federal, Receita Federal e Polícia Federal descobriu que os mesmos operadores, muitos eram conselheiros do órgão, também atuaram em suposto esquema de compra de medidas provisórias editadas nos governos dos presidente Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, o que ampliou as investigações e levou a prisão dos lobistas em outubro do ano passado.

Por causa das prisões, a investigação sobre a suposta compra de MPs avançou mais rapidamente e o MPF já apresentou denúncia.

O caso esta em fase de oitiva de testemunhas na Justiça Federal do DF.


O gráfico diário do Ibovespa apresenta um candlestick chamado martelo, quando existe recuperação intraday.

Vale destacar que uma nova LTA foi tocada e respeitada, além de termos fechamento acima do importante 41.445 e da média móvel exponencial de 5 períodos.

Vamos ver como os balanços e desdobramentos políticos e policiais irão impactar os negócios.

Bons Negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Brasil rebaixado pela Moody's


Bom dia investidor!

Com exceção da China que subiu 0,88%, temos baixa generalizada mundo afora.

Londres -1,54%; Frankfurt -2,41%; Paris -2,18%.

A decisão da nota soberana pela Moody's surpreendeu pelo rebaixamento duplo - em dois graus de uma vez só - e marca por ser a última entre as três principais agências de classificação de risco a colocar os títulos da dívida brasileira na categoria de grau especulativo.

Com a ação, o Brasil perde o rótulo de bom pagador e, assim, é excluído da cesta de países em que vale a pena investir.

A primeira agência que retirou o grau de investimento do País foi a Standard & Poor's. O rebaixamento veio no dia 9 de setembro do ano passado, quando a S&P cortou em um grau (de BBB- para BB+).

Em julho, a agência já havia alertado analistas do mercado financeiro quando, no dia 28, havia alterado a perspectiva da nota para negativa.

A segunda ação de classificação do Brasil como mau pagador aconteceu no dia 16 de dezembro pela Fitch.

A agência alterou o rating do Brasil de BBB- para BB+, com perspectiva negativa.

Na semana passada, a Standard & Poor's decidiu reduzir a nota brasileira em mais um grau.

No dia 17, a S&P mudou o rating de longo prazo em moeda estrangeira do País de BB+ para BB com perspectiva negativa.

A decisão dupla da Moody's chega em um contexto político delicado.
Hoje João Santana, marqueteiro das campanhas eleitorais da presidente e Dilma Rousseff e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, prestará depoimento para a Polícia Federal.

Além disso, o vice-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, afirmou que é possível incluir novas provas, colhidas no âmbito da Operação Lava Jato, no processo que pede a cassação do mandato da presidente da República e do vice, Michel Temer. 

Os estoques de petróleo nos países desenvolvidos, os membros da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), atingiram novo recorde de alta em janeiro, ficando agora firmemente acima do patamar de 3 bilhões de barris, segundo a Energy Aspects, sediada em Londres.

De acordo com a consultoria, os estoques estão agora 350 milhões de barris acima da média dos últimos cinco anos.

A quantidade de petróleo estocada pelas nações da OCDE tem sido citada como uma das provas de que há um grande excesso de oferta nos mercados da commodity.

A Energy Aspects diz que as nações da OCDE têm petróleo suficiente para mais de 65 dias, quando em janeiro de 2015 esse número era inferior a 60 dias. O óleo negro tem sessão de baixa, com queda de 2,16% na ICE e 3,29% na Nymex.


O gráfico diário do Ibovespa está tocando a linha de tendência de alta destacada em vermelho na imagem.

O caminho mais provável é que a mesma seja respetada como suporte e o benchmark volte a subir, uma vez que a decisão da Moody's era de certa forma esperada.

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Política e polícia no radar


Bom dia investidor!

Estrangeiros aumentaram o saldo no índice futuro no pregão de ontem, de 151.735 para 157.778 contratos de índice futuro.

Na Ásia tivemos fechamento levemente negativo. Japão -0,37% e China -0,81%.

Europa realiza lucros. Londres -0,65%; Frankfurt -0,76%; Paris -0,34%.

O Produto Interno Bruto (PIB) da Alemanha cresceu 0,3% no quarto trimestre de 2015 ante o terceiro e avançou 1,3% na comparação anual, de acordo com dados da Destatis, como é conhecida a agência de estatísticas do país.

A 23ª etapa da Operação Lava Jato, deflagrada na manhã de ontem, trouxe a política de volta às mesas de operação.

Ao atingir o marqueteiro João Santana, cuja prisão foi decretada, a investigação eleva as chances, na visão de parte do mercado, de a presidente Dilma Rousseff ser cassada via TSE.

Como uma mudança na Presidência é bem vista, esta leitura potencializou ontem o avanço da Bovespa e o recuo do dólar e dos juros futuros, quem vinham desde cedo sendo influenciados positivamente pelo exterior.

Segundo o IBGE, o IPCA-15 ficou em 1,42% em fevereiro, ate 0,92% em janeiro, sendo o meior para o mês desde 2003.

Cobre, petróleo e futuros norte-americanos operam entre a estabilidade e leve desvalorização.


Ontem o Ibovespa cumpriu o objetivo do movimento atual ao alcançar a região de 42.750.

Esse ponto agora é suporte pelo princípio da inversão de polaridade da análise técnica.

Se o mercado se sustentar acima desse patamar, terá como alvo uma região decisiva e de forte resistência, entre 43.766 e 44.235, cujo rompimento projetaria 45.850.

Como a maré é de compra, realizações de lucro são oportunidades nesse momento.

Bons Negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Green Monday



Bom dia investidor!

Estrangeiros atuaram novamente na compra do índice futuro na sexta-feira, aumentando o saldo de 146.809 para 151.735 contratos.

Na Ásia tivemos alta generalizada.

Os futuros de cobre operam em alta em Londres e Nova York nesta manhã, com o apetite por risco alimentado por notícias positivas da China, o maior consumidor mundial de metais básicos.

A principal bolsa chinesa, a de Xangai, subiu 2,4% no pregão de hoje, em reação à decisão de Pequim de conceder novos incentivos para a compra de imóveis e de substituir o presidente do órgão regulatório de valores mobiliários do país.

Por volta das 8h25 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) subia 1,3%, a US$ 4.676,50 por tonelada.

Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre avançava 2,14%, a US$ 2,1210 por libra-peso, às 8h44 (de Brasília). 

Na Europa tudo verde.

Londres +1,20%; Frankfurt +1,92%; Paris +1,61%.

O petróleo sobe 3,30% na ICE e avança 3,62% na Nymex.

A Polícia Federal deflagrou nesta segunda-feira, 22, a Operação Acarajé - 23ª fase da Operação Lava Jato -, que tem como alvo central o marqueteiro João Santana, das campanhas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da presidente Dilma Rousseff.

O alvo são os pagamentos feitos pela construtora Norberto Odebrecht para Santana, no exterior.

Foram presos o operador de propinas Zwi Skornik e estão em andamento buscas e apreensões ainda na Odebrecht.

O nome da operação, Acarajé, é uma referência ao apelido usado pelos alvos para designar dinheiro. (Ricardo Brandt, Fausto Macedo e Andreza Matais) 

Santana está na República Dominicana, onde trabalha na candidatura presidencial do candidato Danilo Medina. Sua prisão foi considerada prejudicada.

Analistas do mercado financeiro revisaram para baixo a projeção para a taxa básica de juros no fim do ano que vem no Relatório de Mercado Focus.

Índice futuro às 10h05

A pesquisa mostra que a Selic estará em 12,63% em dezembro de 2017, o que indica uma divisão entre as apostas de uma taxa em 12,50% ao ano e de 12,75% aa, patamar observado na edição passada do documento e também um mês antes.

Pela terceira semana consecutiva, os economistas mantiveram as estimativas para a Selic em 2016 no boletim divulgado há pouco pelo Banco Central.

De acordo com o levantamento realizado com aproximadamente 120 instituições, a taxa básica de juros permanecerá nos atuais 14,25% ao ano até o encerramento de 2016.

Um mês antes, a aposta era de taxa de juros a 14,64% no encerramento do ano.

O gráfico diário do Ibovespa mostra que o benchmark respeitou a média móvel exponencial de 5 períodos na sexta-feira, fechando acima do decisivo 41.445.

Como a maré hoje é de alta, deveremos ter o teste do fundo de agosto em 42.750, região importante no gráfico e alvo desse movimento atual, por ser o fundo imediatamente superior ao fundo de janeiro.

Esse ponto mostrará com mais clareza se estamos diante de um repique ou se um movimento mais sólido.

Bons negócios!

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Sexta-feira morna?



Bom dia investidor!

Estrangeiros aumentaram o saldo comprado de 144.655 para 146.809 contratos de índice futuro no pregão de ontem.

Mercado asiático fechou em direções divergentes.

China -0,10% e Japão -1,42%, enquanto praças menores como Coréia e Taiwan fecharam nas máximas.

Europa em baixa generalizada.

Londres -0,23%; Frankfurt -0,58%; Paris 0,64%.

O índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) da Alemanha caiu mais que o esperado em janeiro, tanto na comparação mensal quanto na anual, pressionado mais uma vez pelos preços de energia.

Em relação a dezembro, o PPI alemão recuou 0,7% no mês passado, segundo dados da agência de estatísticas Destatis.

No confronto anual, o índice teve queda de 2,4% em janeiro.

Os advogados da presidente Dilma Rousseff protocolaram ontem no Tribunal Superior Eleitoral a defesa dela no processo que pede a cassação da chapa vencedora nas eleições presidenciais de 2014.

Na peça, eles acusam o PSDB, que propôs a ação, de "manejo temerário" da Justiça, e alegam que a legenda recorre à Corte Eleitoral por inconformismo eleitoral.

A defesa argumenta que, mesmo se ficar comprovado que os recursos usados na campanha são oriundos de corrupção, o comitê financeiro da campanha não teria como saber.

Segundo os advogados, se as empresas investigadas pela Operação Lava Jato que doaram recursos para a campanha obtiveram dinheiro de forma ilegal, a chapa que recebeu a doação não pode ser punida por isso.

"Se o doador obteve recursos de forma ilícita, como alegam os autores, essa ilicitude não se projeta sobre o donatário".

Os advogados também ressaltam que as mesmas empresas que doaram recursos para a campanha do PT também repassaram verba para "quase todas as campanhas mais importantes, e de forma substancial para a campanha dos autores".

De acordo com a peça, o PSDB recebeu R$ 78 milhões para a campanha eleitoral de 2014.

O argumento segue a tese apresentada pela defesa do vice-presidente Michel Temer, oferecida ao TSE na semana passada.



O gráfico diário do Ibovespa está em um ponto chave: ontem fechou colado no ponto que separa compradores e vendedores através de um pivot de alta ainda indefinido (41.445).

Um teste da LTA tracejada em vermelho poderia atrair os compradores, sem mudar a direção altista de curto prazo.

Clique para ver o gráfico de longo prazo

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

O dia depois da S&P


Bom dia, investidor!

Ásia fechou em alta generalizada, com exceção da China, que caiu 0,16%.

O índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) na China recuou 5,3% em janeiro, ante mesmo mês do ano passado.

Em dezembro, o PPI havia recuado 5,9% na comparação anual.

Economistas consultados pelo Wall Street Journal estimavam queda de 5,4% em janeiro.

Na comparação mês a mês, o PPI caiu 0,5% em janeiro ante dezembro.

O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da China avançou 1,8% em janeiro, na comparação anual com igual mês do ano passado.

O ganho no principal índice de inflação veio em linha com as expectativas de economistas consultados pelo The Wall Street Journal.

Na comparação mês a mês, o indicador teve avanço de 0,5% em relação a dezembro.

Europa opera majoritariamente em valorização.

Londres -0,34%; Frankfurt +1,00%; Paris +0,69%.

Futuros norte-americanos sobem em torno de 0,5%.

Em discurso em St. Louis na quarta-feira, o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) de St. Louis, James Bullard, afirmou que as expectativas de inflação em queda e o recuo dos preços de ativos argumentam contra mais elevações na taxa de juros do banco central, que agora está na faixa de 0,25% a 0,50%.

O dirigente disse que não vê necessidade de mais elevações nos juros agora e também não acredita que o Fed terá de dar apoio adicional à economia no curto prazo. Ele afirmou que as taxas de juros negativas, que estão sendo usadas no Japão e em grande parte da Europa, não devem ser necessárias e tem poder de estímulo limitado.

Petróleo tem nova sessão de recuperação, subindo 3,36% na Nymex e 2,55% na ICE.

O novo rebaixamento da nota do Brasil pela S&P, anunciado no finalzinho dos negócios, não é uma boa notícia, mas não faz muita diferença, nesta altura.

O que o País tinha para perder, já perdeu, o grau de investimento em duas das principais agências de risco.

Mesmo com o aumento das incertezas globais, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) manteve a previsão de crescimento para a China em 2016 e 2017.

Neste ano, a maior economia asiática deve crescer 6,5% e o ritmo desacelerará para 6,2% em 2017 - quadro idêntico ao divulgado em novembro.

A organização entende que o uso de estímulos fiscais e monetários deve afastar o risco de que a economia chinesa desacelere ainda mais profundamente.

Clique para ampliar

O gráfico diário do Ibovespa mostra o benchmark em um ponto chave.

Acima de 41.445 temos um pivot de alta confirmado e o primeiro alvo seria o fundo de agosto em 42.750.

Porém a pressão vendedora ontem na etapa final não deixa de ser um sinal de alerta.

Clique aqui para visualizar o gráfico.

Bons negócios e até amanhã!

Wagner Caetano 
Diretor Top Traders

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Compradores no comando


Bom dia investidor!

Bolsas asiáticas fecharam em direções mistas. Japão -1,36% e China +1,08%.

No velho continente a compra é dominante. Londres +1,44%; Frankfurt +1,89%; Paris +1,90%.

Cobre em alta de 0,68% na Comex.

Petróleo avança 3% na Nymex e 4,01% na ICE.

O ministro de Energia do Catar e atual presidente da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), Mohammed al-Sada, está se encaminhando hoje para Teerã para discutir mais tarde um plano para limitar a produção da commodity com ministros do Irã, Venezuela e Iraque, segundo fontes com conhecimento do assunto.

O presidente da Opep está confiante de que o Irã concordará em participar de uma ação coordenada da Opep e de produtores de fora do grupo para congelar a produção em níveis similares aos de janeiro, disseram as fontes.

Arábia Saudita e Rússia, os dois maiores exportadores de petróleo do mundo, além de Venezuela e Catar, anunciaram ontem um acordo, em Doha, para impedir o aumento da produção de petróleo, contanto que outros grandes produtores, como Iraque e Irã, façam o mesmo.

Ontem, porém, o Irã sinalizou que não está disposto a abrir mão de sua fatia no mercado de petróleo. 

Não foi preciso esperar 24 horas para ver que a crise política ainda ferve no Congresso, que o esforço de Dilma em buscar o diálogo é tardio, que a oposição continua pintada para a guerra e aliados não estão convencidos do ajuste fiscal.

Hoje será um dia importante para a presidente, que joga pesado para eleger Picciani líder do PMDB.

Sua vitória não é garantia de vida fácil ao governo, mas uma derrota para Cunha deve piorar tudo.


Clique para ampliar.

O gráfico diário do Ibovespa mostra que o benchmark respeitou a LTA tracejada em vermelho, superou as médias móveis e rompeu a máxima dos últimos 4 pregões, mostrando força.

Detalhe. Clique para ampliar.


Bons negócios!

Wagner Caetano

Cartezyan


terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

China acalma o mercado


Bom dia investidor!

Bolsas na Ásia fecharam em alta generalizada.

Os bancos chineses liberaram 2,51 trilhões de yuans (US$ 385,5 bilhões) em novos empréstimos em janeiro, o maior valor já registrado para um único mês, segundo dados publicados hoje pelo Banco do Povo da China (PBoC, o BC chinês).

O resultado de janeiro veio bem acima dos 597,8 bilhões de yuans registrados em dezembro e superou a expectativa de 13 analistas consultados pelo Wall Street Journal, de 1,9 trilhão de yuans em novos empréstimos.

O financiamento social total, uma medida mais ampla do crédito na economia chinesa, somou 3,42 trilhões de yuans em janeiro, ante 1,82 trilhão de yuans em dezembro.

A base monetária da China (M2) teve aumento anual de 14% em janeiro, após avançar 13,3% em dezembro. Neste caso, a previsão dos economistas era de ganho menor, de 13,5%. 

Europa opera em leve baixa, corrigindo o rali de ontem.

Londres +0,07%; Frankfurt -0,65%; Paris +0,04%.


O índice ZEW de expectativa econômica da Alemanha recuou de 10,2 em janeiro para 1,0 em fevereiro, o nível mais baixo desde outubro de 2014, informou o próprio instituto nesta terça-feira. Analistas ouvidos pela Dow Jones Newswires previam queda para 0,0.

O resultado reflete o aumento da volatilidade do mercado financeiro e uma deterioração da perspectiva econômica global. "A desaceleração que ameaça a economia mundial e suas consequências incertas, e a queda no preço do petróleo tem colocado pressão sobre o indicador ZEW", disse Sascha Steffen, chefe do departamento de pesquisa.

O índice ZEW de condições atuais na Alemanha, por sua vez, caiu de 59,7 em janeiro para 52,3 em fevereiro. A previsão era 55,0. 

Cobre sobe 2,36% na Comex.

Os contratos de petróleo operam em alta na manhã desta terça-feira, após quatro dos maiores produtores do mundo concordarem em congelar suas produções nos níveis de janeiro.

Os preços, porém, logo recuaram das máximas de mais cedo, diante do fato de que os países envolvidos decidiram congelar a produção em níveis já altos, ressaltando ainda que tomarão essa medida apenas se outras nações fizerem o mesmo.

Às 8h44 (de Brasília), o petróleo Brent para abril subia 2,25%, a US$ 34,14 o barril, na ICE, em Londres.

O petróleo para março avançava 1,63%, a US$ 29,92 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex). Mais cedo, o Brent chegou a subir na casa dos 6%.

O gráfico diário do Ibovespa mostra um fechamento longe da máxima, porém em alta e sobre as médias e a LTA, apontando que a sessão dessa terça-feira terá importância extra, sendo decisiva para as movimentações de curto prazo, lembrando que ontem tivemos vencimento de opções e amanhã será a vez do índice futuro.

Wagner Caetano
Cartezyan

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Bolsas em alta no retorno da China


Bom dia investidor!

Estrangeiros aumentaram o saldo comprado de 143.888 para 149.889 contratos de índice futuro no último pregão.

Na Ásia, tivemos alta generalizada, com destaque para o Japão que subiu impressionantes 7,16% e para a China que ajustou seus preços após o Ano Novo Lunar, com baixa de 0,63%.

As exportações da China medidas em yuans recuaram 6,6% em janeiro em relação ao ano anterior, após um aumento de 2,3% em dezembro, de acordo com informações da Administração Geral das Alfândegas.

As importações medidas em yuans caíram 14,4% em janeiro ante o ano anterior, comparado com um recuo de 4,0% em dezembro.

O saldo comercial do país aumentou em janeiro para 406,2 bilhões de yuans (US$ 62,35 bilhões), de 382,05 bilhões de yuans em dezembro. 

Na Europa, a compra comanda as negociações.

Londres +2,22%; Frankfurt +2,77%; Paris +3,48%.

O cobre avança 2,54% na Comex.

O petróleo sobe 2,24% na Nymex e avança 1,04% na ICE.

O Relatório de Mercado Focus trouxe ainda um reflexo da surpresa com o IPCA de janeiro, acima do teto das estimativas.

No documento divulgado há pouco pelo Banco Central (BC), a mediana das previsões para a inflação de 2016 subiu pela sétima vez consecutiva, de 7,56% para 7,61%.

Com isso, distancia-se ainda mais do teto da meta deste ano, de 6,50%.

Quatro semanas atrás, estava em 7,00%.

Entre as instituições que mais se aproximam do resultado efetivo do índice no médio prazo, denominadas Top 5, a mediana das expectativas manteve-se em 8,13% de uma semana para outra - um mês antes, estava em 7,54%.

clique para ampliar

O gráfico diário do Ibovespa mostra um fechamento forte na sexta-feira, tocando as médias móveis, que estão justapostas e uma linha de tendência de alta (tracejada em vermelho) de curto prazo.

Um fechamento hoje, quando teremos volume acima da média por causa do vencimento das opções, acima das barreiras citadas acima, seria um sinal importante de alta para o curto prazo.

Bons negócios!

Wagner Caetano, do Cartezyan

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Petróleo guia recuperação mundo afora


Bom dia investidor!


Bolsas asiáticas fecharam em queda, ainda refletindo a quinta-feira de sangue. Japão -4,84%.

Velho continente tem sessão de recuperação.

Londres +1,65%; Frankfurt +1,45%; Paris +1,52%.

Petróleo avança acima de 5% em Londres e Nova York.

O salto nos preços veio após o ministro de Energia dos Emirados Árabes Unidos, Suhail bin Mohammed al-Mazrouei, declarar, no fim da tarde de ontem, que integrantes da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) estão prontos para contribuir para um eventual corte coordenado na produção.

Futuros norte-americanos sustentam altas superiores a 1%.

O preço do minério de ferro caiu 2,9% no mercado à vista chinês, indo a US$ 43,2 a tonelada, segundo dados do The Steel Index. 

Na semana de feriado de Ano Novo Lunar na China, o insumo acumulou queda de 3,35%.

Esse valor segue a referência do insumo com teor de concentração de 62% negociado no porto de Tianjin, na China. 

Por sua vez, o cobre avança 1,10% na Comex.



O Ibovespa está num ponto chave.

Se a baixa prevalecer, teremos praticamente descartadas as chances de um fundo consistente de curto prazo, pois fechou abaixo das médias e de uma LTA (tracejada em vermelho).

Por outro lado, se tivermos uma sessão firme, de recuperação, especialmente se fechar acima da LTA e das médias, terá sido um alarme falso e o mercado terá tudo para subir forte no curto prazo.

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan


quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Mar vermelho


Bom dia investidor!


Japão e China tiveram suas bolsas fechadas.

Europa opera com desvalorização. Londres -2,22%; Frankfurt -2,38%; Paris 3,68%.



O preço do minério de ferro ficou estável em US$ 44,5 a tonelada seca.

Os futuros de petróleo ampliam perdas recentes nesta manhã, com a referência na New York Mercantile Exchange (Nymex) operando abaixo de US$ 27 por barril, após os últimos dados do Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) norte-americano mostrarem que o excesso de oferta da commodity está longe de perder força.

Às 9h04 (de Brasília), o petróleo para março negociado na Nymex caía 2,91%, a US$ 26,65 por barril, enquanto o Brent para abril recuava 1,13%, a US$ 30,49 por barril, na Intercontinental Exchange (ICE), em Londres.

Em pesquisa divulgada ontem, o DoE estimou que o volume estocado de petróleo bruto nos EUA caiu 754 mil barris na semana passada, mas apontou que os estoques totais subiram em 11 das últimas 14 semanas, com avanços inesperados nos volumes de gasolina e destilados.

Além disso, os estoques no centro de distribuição de Cushing (Oklahoma), ponto de entrega física do petróleo da Nymex, avançaram para 64,7 milhões de barris, um novo patamar recorde.

Cobre em baixa de 0,30% na Comex.

A agenda de eventos dos Estados Unidos desta quinta-feira traz como destaque a apresentação, pela presidente do Federal Reserve, Janet Yellen, do relatório de política monetária ao Comitê Bancário do Senado, às 13h, quando ela também responde questões dos senadores.

Às 16h, o Tesouro divulga o resultado do leilão de US$ 15 bilhões em títulos de 30 anos. Os horários são de Brasília.

Ainda teremos pedidos de auxílio desemprego às 11h30.

Ontem o Ibovespa segurou nas médias móveis e fechou longe da mínima.

Para manter o viés de alta de curto prazo precisa respeitar a média móvel exponencial de 21 períodos como suporte, pelo menos em fechamento.

Bons negócios!


Wagner Caetano
Cartezyan

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Cinzas


Bom dia investidor!

Durante o feriado de Carnaval no Brasil, as bolsas tiveram pregões movimentados no exterior.

Ontem e anteontem fortes quedas, na esteira do petróleo.

Hoje ensaiam recuperação.

Japão fechou em baixa de 2,31%.

No velho continente, Londres registra ganhos de 1,15%, Frankfurt sobe 2,37% e Paris avança 2,38%.

O minério de ferro cedeu 0,4% na China, fechando cotado a US$ 44,5 a tonelada.

Futuros norte-americanos, que ontem tiveram um pregão de leve queda, sobem de forma robusta nessa manhã, acima de 1% de valorização.

O petróleo opera em alta na manhã desta quarta-feira, recuperando-se após a forte queda da sessão anterior.

Os contratos continuam, porém, com volatilidade, o que impede a ocorrência de um rali mais significativo.

Às 9h57 (de Brasília), o Brent para abril subia 1,78%, a US$ 30,86 o barril, na ICE, em Londres.

O contrato para março de petróleo avançava 1,65%, a US$ 28,40 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex).

Na terça-feira, porém, o contrato em Nova York caiu 5,9% e o Brent chegou a recuar 8%, fechando em baixa de 7,78%.

Analistas citaram como causa o relatório da Agência Internacional de Energia, que voltou a retratar um mercado com excesso de oferta.

A queda recente nos preços podem também ter sido causada pela ausência do apoio dos operadores chineses, disse a Phillip Futures em relatório.

Os mercados da China não funcionam nesta semana, por causa do feriado do Ano Novo Lunar.

A agenda de eventos dos Estados Unidos para esta quarta-feira traz como destaque a apresentação do relatório de política monetária ao Comitê de Serviços Financeiros da Câmara pela presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Janet Yellen, às 13h, e o discurso do presidente do Fed de San Francisco, John Williams - que não vota nas reuniões deste ano -, às 16h30.

Além disso, o secretário do Tesouro, Jacob Lew, discursa para o Comitê de Finanças do Senado sobre a proposta de Orçamento do ano fiscal de 2017, às 13h30, e o Tesouro leiloa US$ 23 bilhões em títulos de 10 anos, com resultado às 16h30. Os horários são de Brasília. 

O gráfico diário do Ibovespa, que confirmou um pivot de alta ao romper 40.570, terá uma prova de fogo nessa quarta-feira.

Em amarelo o IBOVESPA, em branco o EWZ
Clique para ampliar

As ADRs brasileiras negociadas em Nova York tiveram quedas significativas na segunda-feira e também no pregão de ontem.

Porém o EWZ, principal ETF brasileira negociada na Nyse, mostra forte recuperação no pré-market americano.

Mesmo que o mercado abra em baixa, caso de recupere durante o dia manterá o viés comprador, tendo 40.570 como divisor de águas.

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Relatório de emprego agita o Carnaval


Bom dia investidor!

Estrangeiros continuam na ponta compradora do índice futuro. Ontem elevaram o saldo de 134.545 para 140.568 contratos.

Na Ásia tivemos fechamentos mistos, com praças menores subindo. China cedeu 0,63% e Japão caiu 1,32%.

O preço do minério de ferro ficou estável nesta sexta-feira no mercado à vista chinês, mas acumulou alta de quase 8% ao longo da semana, atingindo US$ 44,7 a tonelada seca, de acordo com dados do The Steel Index. Esse valor segue a referência do insumo com teor de concentração de 62% negociado no porto de Tianjin, na China. 

O Conselho Estatal da China, ou gabinete, anunciou que planeja cortar a capacidade de produção de aço bruto do país entre 100 milhões e 150 milhões de toneladas nos próximos cinco anos.

Com a medida, Pequim tenta ajudar sua indústria de aço e ferro, que enfrenta o problema de excesso de capacidade.

Segundo diretrizes divulgadas no site federal, governos locais devem interromper a produção de siderúrgicas defasadas e ajudá-las a aperfeiçoar sua tecnologia.

No ano passado, o lucro líquido das siderúrgicas chinesas sofreu queda de 68% ante 2014, segundo dados oficiais. 

No velho continente a compra é dominante na manhã dessa sexta-feira.

Volátil, o petróleo alterna entre o terreno positivo e negativo.

O divisor de águas do dia será o Payroll, relatório de emprego norte-americano que conheceremos às 11h30.

O aguardado IPCA de janeiro ficou em 1,27% ante 0,96% em dezembro de 2015, acumulando alta de 10,71% em 12 meses.



O gráfico diário do Ibovespa mostra o rompimento de 40.570, indicando um pivot de alta e reversao da tendência.

Um pull back até o ponto rompido não muda em nada a expectativa.

O primeiro alvo do movimento seria o último fundo importante, marcado no dia 24 de agosto de 2015 aos 42.750.

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Green Day


Bom dia investidor!

Estrangeiros aumentaram o saldo comprado de 125.522 para expressivos 134.545 contratos de índice futuro no pregão de ontem.

Na Ásia, tivemos fechamentos em sua maioria em alta. China +1,52% e Japão -0,85%.

O preço do minério de ferro subiu 1,6% no mercado à vista chinês e foi a US$ 44,7 a tonelada seca, de acordo com dados do The Steel Index.

A China registrou superávit em conta corrente de US$ 84,3 bilhões no quarto trimestre, informou o regulador do mercado cambial nacional nesta quinta-feira. Durante o mesmo período, a conta de capital e financeira do país teve déficit de US$ 84,3 bilhões, segundo dados preliminares divulgados pela Administração Estatal de Moeda Estrangeira.

Em todo o ano de 2015, o superávit em conta corrente do país ficou em US$ 293,2 bilhões, enquanto a conta de capital e financeira registrou déficit de US$ 161,1 bilhões, informou o órgão. 

Na Europa as bolsas seguem em valorização. Londres +1,38%; Frankfurt +0,39%; Paris +0,34%.

A agenda de eventos da Europa desta quinta-feira tem como destaque a decisão de política monetária do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês), com a divulgação da ata da reunião e do relatório de inflação, às 10h.

Também às 10h, Yves Mersch, membro da Comissão Executiva do Banco Central Europeu (BCE), realiza discurso. 

Petróleo opera em leve alta. na região de US$ 35 na ICE e US$ 32,50 na Nymex.



O gráfico diário mostra que o Ibovespa segurou logo abaixo da retração de 50% de Fibonacci, desenhando um candle sólido.

O caminho mais provável entre hoje e amanhã seria o teste da máxima do movimento em 40.570, onde teremos uma prova de fogo com o possível rompimento de um pivot de alta, padrão de reversão.

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan



quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Política deve agitar os negócios


Bom dia investidor!

Bolsas asiáticas fecharam em baixa, com recuperação das chinesas na etapa final. Japão -3,15% e China -0,38%.

A meta da China para o crescimento econômico neste ano permanece na faixa entre 6,5% e 7%, informou o diretor da principal agência de planejamento econômico nesta quarta-feira.

O crescimento na segunda maior economia do mundo desacelerou para 6,9% no ano passado, no menor patamar em 25 anos, mas economistas preveem que a desaceleração persista neste ano.

"Neste ano, nós estamos fixando a meta de crescimento econômico entre 6,5% e 7% e eu acredito que temos a capacidade para alcançá-la", afirmou Xu Shaoshi, presidente da Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma, em entrevista à imprensa.

O governo estabelecerá uma meta mais precisa em seu congresso anual de março, disse a autoridade.

O atual plano quinquenal estabelece as metas anuais para o período justamente na mesma faixa, de 6,5% a 7%.

Velho continente ainda precifica a queda acentuada de Nova York no fim da tarde. Londres -0,55%; Frankfurt -1,12%; Paris -0,31%.

Petróleo avança acima de 2% em ICE e na Nymex.

Futuros norte-americanos operam em leve alta.

O vice-presidente da República, Michel Temer, foi notificado nesta terça-feira, 2, para apresentar defesa prévia na ação que corre no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que pede a impugnação do mandato da presidente Dilma Rousseff e do peemedebista. A partir de agora, os advogados da chapa vão se reunir para apresentar a defesa.

O prazo previsto em lei para apresentação da defesa prévia é de sete dias.

No ano passado, o TSE decidiu por maioria abrir a ação de impugnação de mandato eletivo (AIME), proposta pelo PSDB.

Na ação, os tucanos alegam que houve abuso de poder político e econômico na campanha eleitoral de 2014.

A notificação da presidente Dilma Rousseff também foi expedida pelo TSE.

No Planalto, no entanto, a informação oficial é de que a presidente ainda não recebeu a notificação pelo oficial de Justiça.

O processo está sob relatoria da ministra Maria Thereza de Assis Moura.

No total, quatro ações no TSE têm como alvo a campanha eleitoral de Dilma.

A ação de impugnação eleitoral, no entanto, é tida como a mais robusta.

Entre outras acusações, o PSDB levanta pontos sobre destinação de dinheiro oriundo do esquema de corrupção na Petrobras para a campanha eleitoral.

O gráfico diário do Ibovespa mostra que a queda acentuada da véspera poderá encontrar suporte em uma das retrações de Fibonacci.

clique para ampliar

Veja aqui o gráfico de longo prazo.

clique no gráfico de longo prazo para ampliar


BONS NEGÓCIOS!

Wagner Caetano
Cartezyan