quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Dados chineses animam as bolsas e commodities


Bom dia investidor!

Estrangeiros aumentaram o saldo comprado no índice futuro ontem de 97.499 para 98.155 contratos.

Na Ásia tivemos fechamento em forte alta, com exceção da China que cedeu 2,42%.

Europa parece mesmo ter feito fundo após as correções de início de ano e fechamentos de gaps.

Londres +1,03%; Frankfurt +1,00%; Paris +1,26%.

As exportações da China medidas em dólares recuaram pelo sexto mês consecutivo em dezembro, na comparação anual, mas tiveram um desempenho melhor do que o esperado no último mês de 2015.

Dados da Administração Geral de Alfândega mostram que as exportações chinesas caíram 1,4% em dezembro ante igual mês do ano anterior, após recuarem 6,8% em novembro. Embora evidencie as dificuldades que a segunda maior economia do mundo enfrenta, a redução foi consideravelmente menor que o declínio de 8% previsto por 15 economistas consultados pelo Wall Street Journal.

Em todo o ano de 2015, as exportações da China sofreram uma queda de 2,8%, que contrasta com o aumento de 6,1% verificado em 2014, em meio a um enfraquecimento da demanda externa que contribuiu para a desaceleração do gigante asiático.

As importações diminuíram 7,6% em dezembro ante um ano antes, depois de caírem 8,7% em novembro, também superando a expectativa dos analistas, que era de queda de 11%. No ano passado, as importações chinesas recuaram 14,1%, após subirem 0,4% em 2014.

O superávit comercial da China, por sua vez, aumentou para US$ 60,1 bilhões em dezembro, de US$ 54,1 bilhões em novembro. 
A previsão era de saldo positivo menor, de US$ 53 bilhões.

No acumulado de 2015, a China teve superávit comercial de US$ 594,5 bilhões, bem maior que o superávit de US$ 382,5 bilhões registrado no ano anterior. 

As importações de petróleo bruto, minério de ferro e cobre da China subiram em dezembro em relação a igual mês do ano anterior, segundo dados divulgados pela Administração Geral de Alfândega do país.

As compras chinesas de petróleo bruto registraram avanço anual de 9,3% em dezembro, a 33,19 milhões de toneladas, enquanto as de minério de ferro cresceram 11%, a 96,27 milhões de toneladas, e as de cobre saltaram 26%, a 530 mil toneladas.

Em todo o ano de 2015, as importações chinesas de petróleo subiram 8,8% em relação a 2014, a 335,50 milhões de toneladas, enquanto as de minério de ferro tiveram alta mais moderada, de 2,2%, a 952,72 milhões de toneladas.

As compras de cobre, por outro lado, recuaram 0,3% no ano passado, a 4,81 milhões de toneladas. 

Petróleo avança 3% em Londres e Nova York, enquanto o cobre sobe pouco mais de 1% na Comex.

Clique para ampliar

O Ibovespa continua em área de sobrevenda e muito distante da média móvel exponencial de 21 períodos, que está colada no último fundo em 42.750.

O caminho mais provável para o curtíssimo prazo seria a formação de um fundo no pregão de hoje, com repique até os 42.750, uma alta considerável.

Nessa região saberíamos de o movimento seria somente um vôo de galinha ou uma reversão, ele funcionaria como um divisor de águas.

Ibovespa longo prazo - clique para ampliar

Bons negócios! 

Wagner Caetano
Cartezyan

Nenhum comentário:

Postar um comentário