quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

BC mantém Selic e surpreende o mercado


Bom dia investidor!

Estrangeiros atuaram na ponta compradora do índice futuro no pregão de ontem, elevando o saldo de 117.990 para 118.260 contratos.

Na Ásia, tivemos fechamento em campo negativo. China -3,23% e Japão -2,43%.

Europa apresenta sessão de recuperação, após atingir importantes suportes. Londres +0,28%; Frankfurt +0,67%; Paris +0,46%.

A agenda de eventos da Europa desta quinta-feira tem como destaque a decisão de política monetária do Banco Central Europeu (BCE), às 10h45, seguida por entrevista à imprensa do presidente da instituição, Mario Draghi, às 11h30.

Além disso, continua o Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça. 

Petróleo cai cerca de 1% na Nymex e na Ice.

Futuros norte-americanos em leve baixa, após forte recuperação intradiária na tarde de ontem.

O Copom seguiu ontem o script escrito por Alexandre Tombini na terça-feira e ditado, na visão de boa parte do mercado, pela presidente Dilma Rousseff.

O comitê manteve a Selic em 14,25% ao ano e, novamente, dois dos oito diretores foram voto vencido, ao defender um aperto monetário de 0,50 ponto porcentual. 

A reunião do Copom terminou pouco depois das 20 horas de ontem, mas o resultado parece ter sido traçado dias antes.

O movimento começou na semana passada, quando a presidente Dilma Rousseff lembrou que o BC é "autônomo", mas não "independente".

Na segunda-feira, ela se reuniu com Tombini em Brasília, sem que as agendas dos dois dessem conta do encontro.

Na terça, foi a vez de Tombini qualificar, por meio de nota, como "significativas" as revisões do FMI para o crescimento do Brasil em 2016 e 2017.

Ontem, o ex-presidente Lula defendeu que não havia necessidade de aumentar a Selic neste momento.

Na Suíça, o ministro Nelson Barbosa afirmou que Lula é uma liderança importante do Brasil e que "nós também ouvimos".

À noite, a decisão foi pela manutenção, apesar de o BC ter passado semanas indicando que um aumento de meio ponto estava a caminho.

O BC justificou a decisão dizendo que, "considerando a elevação das incertezas domésticas e, principalmente, externas, o Copom decidiu manter a Selic". 

Foram seis votos pela manutenção e dois pelo aperto de meio ponto - vindos de Sidnei Corrêa Marques e Tony Volpon, que já haviam votado pela alta de juros no encontro de novembro.


clique para ampliar

O gráfico diário do Ibovespa apresenta um candle de reversão, denominado martelo.

Somente um fechamento firme, acima da máxima do padrão (38.056) seria um sinal concreto de fundo, projetando um repique ou mesmo reversão.

Bons negócios!


Wagner Caetano

Cartezyan

Nenhum comentário:

Postar um comentário