quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

O dia D


Bom dia investidor!

Bolsas asiáticas fecharam em baixa. Japão -1,32%. China -0,49%.

O preço do minério de ferro segue renovando diariamente a mínima em mais de dez anos, e hoje atingiu US$ 37,5 a tonelada seca, após cair 2,1% em relação a ontem, segundo dados do The Steel Index.  No ano, o peço já acumula queda de quase 50%. Esse valor segue a referência do insumo com teor de concentração de 62% negociado no porto de Tianjin, na China. 

Na Europa temos direções mistas. Londres -0,46%; Frankfurt +0,06%; Paris -0,15%.

Os contratos futuros de petróleo tentam se recuperar nesta manhã, depois de fecharem em baixa ontem pela quarta sessão consecutiva. No entanto, as preocupações com o excesso de oferta global da commodity continua pesando sobre os preços. A pressão sobre os contratos se aprofundou desde que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) decidiu, na semana passada, abandonar a política de um teto de produção para os países-membros.

"O forte sentimento de amargor depois da Opep na semana passada criou riscos negativos para nossa projeção de que o Brent ficaria em US$ 50 por barril no próximo ano", afirmaram analistas do Banco of America Merrill Lynch em relatório.

O BofA Merrill Lynch reduziu suas projeções e agora prevê o Brent a US$ 40 por barril até o fim do primeiro trimestre de 2016.

Portaria interministerial da Casa Civil, Ministérios do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e da Fazenda, publicada no Diário Oficial da União de hoje, institui o Grupo de Trabalho Interministerial para o Setor Siderúrgico (GTIS).

Segundo a portaria, o grupo tem por finalidade assessorar, em caráter temporário, a presidência da República, na tomada de decisão referente a medidas de apoio ao setor siderúrgico e ao fortalecimento da indústria nacional.

Entre as ações do grupo para cumprir sua finalidade estão: elaboração de diagnóstico do atual cenário vivenciado pelo setor siderúrgico nacional; análise das propostas de medidas apresentadas pelo setor; e propostas de medidas de apoio e fortalecimento da indústria nacional.
O grupo deverá concluir suas atividades até 31 de dezembro deste ano, prazo este que poderá ser prorrogado por ato dos ministérios envolvidos.
Todos os relatórios e estudos produzidos pelo GTIS serão encaminhados à presidência da República. 

A agência de classificação de risco Moody’s colocou a nota do Brasil em revisão para rebaixamento.

Hoje, a nota está no nível Baa3, último degrau do grau de investimento, considerado referência de bom pagador para o mercado. 

Em até três meses, a Moody’s decidirá se rebaixa o Brasil para o grau especulativo.
Segundo a agência, a revisão se deve à rápida deterioração da economia e das tendências das contas públicas, além da reduzida chance de reversão desses problemas nos próximos dois a três anos. 

Em comunicado, a Moody’s citou a paralisia política como um dos entraves à melhora da economia.

O gráfico diário do Ibovespa mostra um candle de massa e com forte volume na sessão de ontem.

Suporte imediato em 45.850.

Um fechamento acima da média móvel exponencial de 21 períodos e especialmente sobre 46.480 seria um sinal concreto de força para o curto prazo.

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

Nenhum comentário:

Postar um comentário