terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Green Tuesday


Bom dia investidor!

A terça-feira tem um tom positivo mundo afora.

China +0,85%, Japão +0,58%; Londres +0,37%; Frankfurt +1,45%; Paris +1,24%.

Após as contas do Governo Central terem registrado em novembro o pior desempenho para todos os meses da série histórica, não dá para sonhar hoje com nenhum milagre do resultado consolidado das contas públicas, que o BC divulga às 10h30.

Mas o mercado gostou de saber que a equipe econômica estava dura na queda, ontem à noite, em reunião no Planalto, descartando qualquer guinada de 180° no ajuste fiscal.

A presidente Dilma Rousseff se reuniu ontem durante quase três horas com os ministros Jaques Wagner (Casa Civil), Nelson Barbosa (Fazenda), Valdir Simão (Planejamento) e Ricardo Berzoini (Secretaria de Governo).

Foi o primeiro encontro da presidente com os membros da Junta Orçamentária desde a saída de Joaquim Levy do Ministério da Fazenda.

Entre os objetivos do encontro estava a discussão do fechamento das contas da União deste ano.

Pouco antes do término da reunião, o secretário interino do Tesouro Nacional, Otávio Ladeira, disse, em coletiva após o anúncio do resultado primário de novembro do Governo Central, que o governo decidiu pagar ainda em 2015 todas as dívidas com bancos públicos e fundos apontadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU) - as chamadas pedaladas fiscais.

O secretário afirmou que a intenção é quitar os passivos com recursos do caixa do Tesouro e do colchão (reserva) para pagamento da dívida pública e uma pequena fatia com a emissão de novos títulos.

Os futuros de petróleo operam em alta moderada nesta manhã, recuperando-se após as fortes perdas da sessão anterior, em meio a estimativas de que os estoques dos EUA recuaram na semana passada.

Às 8h44 (de Brasília), o Brent para fevereiro subia 0,41%, a US$ 36,77 por barril, na plataforma eletrônica ICE, enquanto o petróleo para o mesmo mês negociado na New York Mercantile Exchange (Nymex) avançava 0,38%, a US$ 36,95 por barril.

Ontem, ambos os contratos sofreram um tombo de mais de 3%, em meio a preocupações com o excesso de oferta e a perspectiva da demanda.

O preço do minério de ferro subiu 2,2% no mercado à vista chinês e foi a US$ 41,4 a tonelada seca, de acordo com dados do The Steel Index. Esse valor segue a referência do insumo com teor de concentração de 62% negociado no porto de Tianjin, na China. 


O gráfico diário mostra que o Ibovespa fez um pull back no suporte 43.766 e espera-se para hoje um pregão positivo, sob efeito da mulher grávida de fundo (harami).

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

Nenhum comentário:

Postar um comentário