terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Dia de agenda cheia


Bom dia investidor!

Estrangeiros aumentaram a posição comprada durante a queda de ontem, de 101.551 para 102.464 contratos de índice futuro.

Na Ásia tivemos a compra predominante, com fortes elevações e alguns fechamentos nas máximas, como no Japão (+1,34%).

Na China tivemos leve alta de 0,32%.

O minério de ferro iniciou dezembro renovando a mínima em dez anos, ao cair 2,8% em relação a ontem no mercado à vista chinês, indo a US$ 41,6 a tonelada de acordo com dados do The Steel Index (TSI).

O preço de hoje é o menor valor do histórico da consultoria TSI, que compila os dados desde novembro de 2008. No mercado os preços no mercado spot (à vista) começaram a ser divulgados diariamente por consultorias especializadas desde o fim da supremacia da precificação de longo prazo benchmark, em 2008.

No ano o minério de ferro acumula queda de 41,6%. Em 2014 o preço já havia caído 47,2%. Essa referência de preços é do minério com teor de concentração de ferro de 62%, negociado no porto de Tianjin, na China.

O índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) oficial do setor industrial da China recuou para 49,6 em novembro, de 49,8 em outubro, de acordo com dados oficiais divulgados nesta terça-feira (hora local).

Uma leitura acima de 50 indica expansão, enquanto o contrário aponta para contração.
O indicador marca o quarto mês consecutivo de contração na atividade industrial no país, aumentando o temor de que a desaceleração na economia da China pode continuar a pesar sobre a economia global, apesar das medidas de estímulo tomadas pelo governo.

O subíndice que mede novas encomendas caiu para 49,8 em novembro, de 50,3 em outubro, enquanto o subíndice de produção recuou para 51,9 em novembro, de 52,2 no mês anterior, de acordo com o comunicado. 

Já o índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) oficial do setor de serviços da China avançou para 53,6 em novembro, de 53,1 em outubro, de acordo com dados oficiais divulgados nesta terça-feira (hora local).

Uma leitura acima de 50 indica expansão, enquanto o contrário aponta para contração.
Na pesquisa, a leitura de construção subiu de 57,1 em outubro para 58,1 em novembro.

Já a de novas encomendas caiu para 50,2 em novembro, de 51,2 no mês anterior.

O PMI de serviços inclui o varejo, a aviação e o setor de software, bem como os setores de construção e imobiliário.

O índice de atividade dos gerentes de compras do setor industrial (PMI, na sigla em inglês) da China avançou para 48,6 na leitura final de novembro, ante 48,3 em outubro, de acordo com a Caixin Media.

Este é o nono mês seguido abaixo da marca de 50,0, o que indica contração da atividade.
"O indicador continua a mostrar sinais de recuperação. Isso indica que a pressão sobre o crescimento econômico diminuiu e a política fiscal teve um forte efeito. No geral, a economia continua no caminho para tornar-se mais estável", comentou He Fan, economista-chefe da Caixin Insight Group. 

Na Europa os touros imprimem força aos mercados, com exceção de Frankfurt que recua 0,14%.

Londres +0,37% e Paris + 0,10%.

No cenário interno, a Comissão Mista do Orçamento se reúne para analisar o relatório da proposta orçamentária de 2016, o Conselho de Ética da Câmara se encontra para discutir e votar o parecer preliminar referente ao processo contra o presidente da Casa, Eduardo Cunha, e o Congresso tem sessão para votar os vetos restantes de Dilma Rousseff, a meta fiscal de 2015 e a LDO de 2016. Representantes da S&P chegam ao Brasil.




O gráfico diário do Ibovespa mostra que estamos uma região decisiva.

A permanência do benchmark abaixo de 45.400, vai selar uma destino baixista para o mercado, rumo a 43.750.

Caso contrário, se tivermos um sinal de fundo, poderemos ter uma alta explosiva.
A agenda interna e externa corrobora com essa leitura.

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

Nenhum comentário:

Postar um comentário