terça-feira, 8 de dezembro de 2015

A carta que pode mudar a história


Bom dia investidor!

Mercados asiáticos fecharam em baixa generalizada. Japão -1,04% e China -1,89%.

A China teve superávit comercial de US$ 54,1 bilhões em novembro, menor que o saldo positivo de US$ 61,64 bilhões registrado em novembro, segundo dados publicados hoje pelo órgão alfandegário do país. Analistas consultados pelo Wall Street Journal estimavam superávit maior para o mês passado, de US$ 62,8 bilhões.

As exportações chinesas medidas em dólares recuaram 6,8% em novembro ante igual mês do ano passado, após mostrarem queda de 6,9% em outubro. O resultado marcou o quinto declínio anual consecutivo das exportações e ficou abaixo da previsão do mercado, de redução de 5,3%.

As importações do gigante asiático caíram 8,7% na comparação anual de novembro, após recuarem em ritmo consideravelmente mais forte em outubro, de 18,8%, o que oferece alguma esperança de que a desaceleração da demanda da China, que vem afetando muitas das economias da Ásia, pode estar perdendo força. A contração nas importações foi menor do que o declínio de 11,8% projetado por analistas. 

As importações de petróleo bruto, minério de ferro e cobre da China subiram em novembro em relação a igual mês do ano passado, segundo dados divulgados pela Administração Geral de Alfândega do país.

As compras chinesas de petróleo bruto registraram avanço anual de 7,6% em novembro, a 27,34 milhões de toneladas, enquanto as de minério de ferro cresceram 22%, a 82,13 milhões de toneladas, e as de cobre aumentaram 9,5%, a 460 mil toneladas.

Entre janeiro e novembro, as importações chinesas de petróleo subiram 8,7% em relação ao mesmo período de 2014, a 302,31 milhões de toneladas, enquanto as de minério de ferro tiveram alta mais moderada, de 1,3%, a 856,55 milhões de toneladas. As compras acumuladas de cobre, por outro lado, recuaram 2,8%, a 4,28 milhões de toneladas.

Na Europa, as bolsas locais trabalham pressionadas. Londres -0,58%; Frankfurt  -0,44%; Paris -0,64%.

Ontem foi dia de articulações da oposição em Brasília e contra-ataques dos aliados da presidente Dilma Rousseff.

Em meio às movimentações para definir a comissão especial que, na Câmara, analisará o pedido de impeachment, Dilma se reuniu com dezenas de juristas e defendeu a não convocação de recesso parlamentar.

A estratégia é acelerar o andamento das discussões, o que aumentaria as chances de a presidente impedir a abertura do processo de impeachment.

Mas, se o governo quer rapidez, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), parece querer o contrário: ele adiou para hoje a instalação da comissão. Esta investida de Dilma e seus defensores foi mal recebida pelo mercado e fez o dólar se firmar em alta ante o real no início da tarde de ontem, sendo que o cenário externo também favorecida o movimento.

Isso porque, na visão de boa parte do mercado, o impeachment é positivo porque pode representar uma mudança de governo, um recomeço.

Assim, qualquer esforço contra ele seria negativo - daí a busca pela segurança do dólar.

O vice-presidente Michel Temer enviou uma carta ontem à presidente Dilma Rousseff na qual relata uma série de episódios que demonstrariam a falta de confiança que sempre existiu em relação a ele e ao PMDB.

O gesto foi visto pelo Palácio do Planalto como um passo do vice em direção ao rompimento com o governo. No documento, de três páginas, Temer afirmou que ele sempre se colocou à disposição de Dilma e trabalhou para que o PMDB apoiasse a sua reeleição no passado.

Ele lembrou que o partido só se manteve na chapa porque ele liderou o movimento pró-Dilma na convenção da sigla.

O vice também disse não concordar com o fato de Dilma ter escolhido o líder do PMDB na Câmara, Leonardo Picciani (RJ), como interlocutor e responsável por indicar os nomes que vão compor a comissão especial que vai analisar o pedido de impeachment.


O gráfico diário do Ibovespa mostra o bechmark marcando mínimas mais altas desde que sinalizou fundo.

Para mostrar força, terá de romper primeiro a região de 45.400, seguida 45.850.

Somente um fechamento acima da média móvel exponencial de 21 períodos e dentro do triângulo perdido sinalizaria um rompimento falso da figura e movimento contrário, no caso de alta.

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

Nenhum comentário:

Postar um comentário