segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Governo mãos de tesoura


Bom dia investidor!

No pregão que marcará a volta da normalidade ao mercado acionário, após o feriado nos Estados Unidos, os estrangeiros iniciam a semana comprados em 101.551 contratos de índice futuro.

Na Ásia tivemos fechamento em baixa generalizada, com exceção da China que subiu 0,26%.

O minério de ferro caiu 1,6%, fechando cotado a US$ 42,8/T. mínima em 10 anos.

Na Europa temos a compra dominante.

Londres cai 0,26%; Frankfurt sobe 0,65% e Paris avança 0,35%.

O petróleo sobe 1,01% em Nova York e avança 1,09% em Londres.

Os futuros norte-americanos apresentam leve alta.

No Brasil, o relatório Focus divulgado mias cedo aponta IPCA para 2015 de 10,33% para 10,38%. A retração do PIB para 2015 passa de 3,15% para 3,19%.

A presidente da República decidiu cancelar as visitas ao Vietnã e ao Japão porque, a partir de 1º de dezembro, o governo não pode mais empenhar novas despesas discricionárias exceto aquelas essenciais ao funcionamento do Estado e ao interesse público", informou a Secretaria de Comunicação da Presidência da República.

O Planalto anunciou o contingenciamento de pouco mais de R$ 10 bilhões e o cancelamento das viagens programadas entre os dias 1º e 4 de dezembro, por falta de recursos.

A Presidência fez questão de justificar que o novo contingenciamento foi necessário porque o Congresso Nacional não aprovou a revisão da meta orçamentária esta semana.

A previsão é que o projeto da revisão da meta fiscal seja votado amanhã.

O atraso nas votações e todo o imbróglio decorrente disso foi desencadeado após a prisão, na quarta-feira, do líder do governo no Senado, Delcídio do Amaral (PT-MS), acusado de tentar obstruir a ação da Justiça e da Polícia Federal na Operação Lava Jato.

A prisão de Delcídio provocou uma paralisação total das votações no Congresso.
Delcídio ocupava também o posto de presidente da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, tinha todo o controle do andamento da pauta do Congresso e era relator de medidas importantes, como a de repatriação de recursos, que estavam na lista das medidas fiscais aguardando votação para reduzir o rombo no orçamento do governo.

O governo fez questão de explicar que "não se trata de um problema financeiro, mas orçamentário".

Esse é o terceiro contingenciamento nas despesas do Executivo feito este ano. O primeiro foi realizado em maio e chegou a R$ 69,9 bilhões.

Dois meses depois, a equipe econômica foi a público anunciar, além da alteração da meta fiscal, um novo corte de R$ 8,475 bilhões. Nos dois episódios, os poderes Legislativo e Judiciário também foram atingidos, bem como o Ministério Público da União e a Defensoria Pública da União.

Com a tesourada no orçamento hoje, o governo terminará 2015 com um corte total de R$ 80 bilhões - número que havia sido inicialmente defendido pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, em maio.

Um documento colhido pelos investigadores da Operação Lava Jato aponta suposto pagamento de R$ 45 milhões em propina ao presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para alterar uma medida provisória que beneficiaria o banco BTG Pactual, de André EstevesO banqueiro foi preso na última quarta-feira, acusado de tentar dificultar as investigações criminais. Ontem, o ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a conversão da prisão temporária do executivo em prisão preventiva - sem prazo para expirar.
Cunha nega ter recebido vantagens indevidas e disse que suas emendas foram contrárias aos interesses do banco.

O BTG afirmou que a medida provisória mencionada no papel não o contemplou.


Semana passada, o Ibovespa devolveu em duas sessões o que demorou mais de duas semanas para subir.

Espera-se um repique, especialmente após a volta da liquidez por parte dos estrangeiros.
A região de 45.850 é de forte suporte.

Ainda temos 45.400 como piso importante em caso de uma abertura baixista.

Onde parece estar os caos podem estar as oportunidades.

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

Nenhum comentário:

Postar um comentário