segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Como o mercado vai reagir aos ataques terroristas em Paris?



Bom dia investidor!

Estrangeiros iniciam a semana comprados em 102.597 contratos de índice futuro.

Bolsas na Ásia fecharam em direções mistas. Japão - 1,04% e China +0,73%.

Na Europa seguem o mesmo caminho. Londres +0,28%; Frankfurt -0,02%; Paris -0,03%.

Futuros norte-americanos trabalham de lado.

O cobre para dezembro tem queda de 1,23% na Comex.

Petróleo avança 0,38% na Ice e 0,44% na Nymex.

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, rechaçou os rumores de que estaria sendo ameaçado ou a ponto de ser substituído. "Estamos navegando e permaneço até segunda ordem", disse durante entrevista coletiva ao fim dos trabalhos do primeiro dia da reunião de cúpula das 20 maiores economias do mundo, o G-20. "Estou aqui, tenho respaldo da presidente Dilma e não vim a passeio", disse.
Levy tenta afastar os rumores de que estaria sendo pressionado a deixar o governo sob a acusação de que a política econômica é muito austera. "O folhetim não é muito importante. O importante é o avanço das medidas. É nisso que a gente está focando", respondeu.

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), pretende submeter aos deputados nos próximos dias um pedido de urgência para a votação do texto do novo Código de Mineração no plenário. Com isso, o relatório do deputado Leonardo Quintão (PMDB-MG) poderá ser apreciado sem passar por uma nova comissão especial. A proposta de nova redação para as regras estabelecidas em 1967 está em discussão desde 2013, mas não foi votada até hoje.

Os atentados de Paris, que deixaram 129 mortos na sexta-feira, revestiram os negócios de cautela na manhã de hoje.

A aversão ao risco, contudo, perdeu força e dava lugar instantes atrás à tentativa de reação.

O comportamento está de acordo com o registrado depois de ataques terroristas anteriores. Historicamente, dizem investidores e analistas, o pânico tem duração curta. As bolsas chinesas, por exemplo, passaram a maior parte da sessão em queda, mas se recuperaram no fim da sessão e fecharam no positivo.

A maioria dos mercados acionários europeus também tenta se recuperar. 


O gráfico diário mostra que o Ibovespa continua em um movimento de contração de curto prazo, dentro de um triângulo simétrico de médio prazo.

Seria interessante que o suporte 46.480 fosse respeitado essa semana, para manter o viés de compra.

Um recuo até 45.850 ou mesmo até a linha inferior do triângulo não desmonta a alta, porém enfraquece o movimento.

Bons Negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

Nenhum comentário:

Postar um comentário