quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Bom humor predomina nos mercados



Bom dia investidor!


Estrangeiros iniciam o pregão comprados em 101.929 contratos de índice futuro.

Mercados asiáticos fecharam em alta generalizada, com algumas praças menores, como Taiwan e Austrália, na máxima da sessão. Japão +1,07% e China +1,36%.

O Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês) anunciou nesta quinta-feira que irá cortar as taxas de juros para um instrumento de empréstimo chamado Linha de Crédito Permanente (SLF, na sigla em inglês).

A medida é um esforço para guiar as taxas de juros do mercado.
Em breve comunicado na conta oficial do PBoC no Weibo, uma rede similar ao Twitter, o banco central disse que iria cortar a taxa de empréstimo no overnight da SLF de 4,5% para 2,75% e reduziria a taxa de empréstimo de sete dias de 5,5% para 3,25%.

Os cortes entram em vigor nesta sexta-feira.
O PBoC lançou a SLF em 2013, com o objetivo de atender à demanda por liquidez dos bancos comerciais e repassar os créditos para as corporações.

O preço do minério de ferro caiu 1,5% no mercado à vista chinês, para US$ 45,1 a tonelada seca, de acordo com dados do The Steel Index. Esse valor segue a referência do insumo com teor de concentração de 62% negociado no porto de Tianjin, na China. 

Na Europa temos a compra dominante. Londres +1,37%; Frankfurt +1,67%; Paris +0,82%.

O Petróleo sobe 0,72% na Nymex e avança 1,16% na Ice.

O cobre opera em valorização de 0,10% na Comex.

A taxa de desemprego apurada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nas seis principais regiões metropolitanas do País ficou em 7,9% em outubro de 2015. 

Em setembro, a taxa de desocupação foi de 7,6%.
O rendimento médio real dos trabalhadores registrou queda de 0,6% em outubro ante setembro e redução de 7,0% na comparação com outubro de 2014.

Em jantar com deputados aliados na semana passada, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse não ver chances de abrir o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff neste ano. Segundo relatos de participantes do encontro, ele confidenciou entender que o impedimento perdeu apoio popular e criticou o PSDB, que deixou de apoiá-lo na semana do encontro. Cunha ainda afirmou acreditar que as contas do governo não serão rejeitadas pelo Congresso e disse ter negociado com o Planalto a aprovação da Desvinculação de Receitas da União (DRU) em troca da aprovação das emendas impositivas de bancada.


Esta semana o Ibovespa não sabe o que é queda.

Respeitou a região de 46.480 como suporte e tem feito máximas e mínimas mais altas, mesmo 
que de forma moderada, como um caminhão subindo a ladeira.

As médias móveis já estão cruzadas para cima e o volume tem aumentado conforme o benchmark sobe aos poucos.

O desafio continua ser romper, fechar e consolidar-se acima dos 48.100, o que seria um sinal concreto de alta pela frente, tendo como barreira decisiva a linha superior do triângulo simétrico.

Bons negócios!


Wagner Caetano
Cartezyan

Nenhum comentário:

Postar um comentário