segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Governo mãos de tesoura


Bom dia investidor!

No pregão que marcará a volta da normalidade ao mercado acionário, após o feriado nos Estados Unidos, os estrangeiros iniciam a semana comprados em 101.551 contratos de índice futuro.

Na Ásia tivemos fechamento em baixa generalizada, com exceção da China que subiu 0,26%.

O minério de ferro caiu 1,6%, fechando cotado a US$ 42,8/T. mínima em 10 anos.

Na Europa temos a compra dominante.

Londres cai 0,26%; Frankfurt sobe 0,65% e Paris avança 0,35%.

O petróleo sobe 1,01% em Nova York e avança 1,09% em Londres.

Os futuros norte-americanos apresentam leve alta.

No Brasil, o relatório Focus divulgado mias cedo aponta IPCA para 2015 de 10,33% para 10,38%. A retração do PIB para 2015 passa de 3,15% para 3,19%.

A presidente da República decidiu cancelar as visitas ao Vietnã e ao Japão porque, a partir de 1º de dezembro, o governo não pode mais empenhar novas despesas discricionárias exceto aquelas essenciais ao funcionamento do Estado e ao interesse público", informou a Secretaria de Comunicação da Presidência da República.

O Planalto anunciou o contingenciamento de pouco mais de R$ 10 bilhões e o cancelamento das viagens programadas entre os dias 1º e 4 de dezembro, por falta de recursos.

A Presidência fez questão de justificar que o novo contingenciamento foi necessário porque o Congresso Nacional não aprovou a revisão da meta orçamentária esta semana.

A previsão é que o projeto da revisão da meta fiscal seja votado amanhã.

O atraso nas votações e todo o imbróglio decorrente disso foi desencadeado após a prisão, na quarta-feira, do líder do governo no Senado, Delcídio do Amaral (PT-MS), acusado de tentar obstruir a ação da Justiça e da Polícia Federal na Operação Lava Jato.

A prisão de Delcídio provocou uma paralisação total das votações no Congresso.
Delcídio ocupava também o posto de presidente da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, tinha todo o controle do andamento da pauta do Congresso e era relator de medidas importantes, como a de repatriação de recursos, que estavam na lista das medidas fiscais aguardando votação para reduzir o rombo no orçamento do governo.

O governo fez questão de explicar que "não se trata de um problema financeiro, mas orçamentário".

Esse é o terceiro contingenciamento nas despesas do Executivo feito este ano. O primeiro foi realizado em maio e chegou a R$ 69,9 bilhões.

Dois meses depois, a equipe econômica foi a público anunciar, além da alteração da meta fiscal, um novo corte de R$ 8,475 bilhões. Nos dois episódios, os poderes Legislativo e Judiciário também foram atingidos, bem como o Ministério Público da União e a Defensoria Pública da União.

Com a tesourada no orçamento hoje, o governo terminará 2015 com um corte total de R$ 80 bilhões - número que havia sido inicialmente defendido pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, em maio.

Um documento colhido pelos investigadores da Operação Lava Jato aponta suposto pagamento de R$ 45 milhões em propina ao presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para alterar uma medida provisória que beneficiaria o banco BTG Pactual, de André EstevesO banqueiro foi preso na última quarta-feira, acusado de tentar dificultar as investigações criminais. Ontem, o ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a conversão da prisão temporária do executivo em prisão preventiva - sem prazo para expirar.
Cunha nega ter recebido vantagens indevidas e disse que suas emendas foram contrárias aos interesses do banco.

O BTG afirmou que a medida provisória mencionada no papel não o contemplou.


Semana passada, o Ibovespa devolveu em duas sessões o que demorou mais de duas semanas para subir.

Espera-se um repique, especialmente após a volta da liquidez por parte dos estrangeiros.
A região de 45.850 é de forte suporte.

Ainda temos 45.400 como piso importante em caso de uma abertura baixista.

Onde parece estar os caos podem estar as oportunidades.

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Estrangeiros atuam na compra em pregão de baixa liquidez



Bom dia investidor!

Estrangeiros atuaram na compra no pregão de ontem, elevando a posição comprada no índice futuro para expressivos 104.518 contratos.

Na Ásia tivemos baixa generalizada. Japão -0,30% e China -5,48%.

As bolsas da China fecharam em forte baixa nesta sexta-feira, após notícias de que duas grandes corretoras locais estão sob investigação por supostas irregularidades e novos indícios do fraco desempenho do setor industrial do país, pressionando outros mercados acionários na Ásia.

O lucro das maiores empresas do setor industrial da China teve queda de 4,6% em outubro ante igual mês do ano passado, após o leve declínio anual de 0,1% registrado em setembro, segundo dados publicados pelo Escritório Nacional de Estatísticas (NBS, na sigla em inglês) do país, informou a agência de notícias estatal Xinhua.
Os ganhos de companhias da indústria chinesa com receita anual superior a 20 milhões de yuans (em torno de US$ 3,1 milhões) totalizaram 559,52 bilhões de yuans em outubro, de acordo com a Xinhua.
Entre janeiro e outubro, o lucro do setor industrial chinês caiu 2% ante o mesmo período de 2014, para cerca de 4,87 trilhões de yuans, após diminuir 1,7% nos primeiros nove meses do ano. 

Europa opera em leve alta, em recuperação intradiária, pressionando as suas máximas.

Londres -0,16%; Frankfurt +0,19%; Paris +0,12%.

O petróleo cai 1,28% em Londres e cede 2,32% em Nova York.

O mercado financeiro passou ontem por uma espécie de ressaca após as prisões do senador Delcídio Amaral (PT-MS) e do banqueiro André Esteves.

O impacto principal ocorreu na quarta-feira, mas ontem, com ambos ainda na cadeia, ficou claro que a vida em Brasília não voltou à normalidade.

A Câmara ficou sem votar nada pelo segundo dia, a Comissão Mista de Orçamento (CMO) suspendeu a sessão sem avaliar as receitas para 2016 e o Planalto demonstrou medo de que Delcídio abra a boca via delação premiada.

Com tanta indefinição no campo político, o mercado acabou reagindo principalmente à decisão do Copom sobre a Selic.



O gráfico diário do Ibovespa mostra um sinal de reversão.

A questão é saber se o sinal é confiável devido ao baixo volume.

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Tudo verde na Europa


Bom dia investidor!

Estrangeiros iniciam a quinta-feira comprados em 96.030 contratos de índice futuro.

Na Ásia tivemos fechamentos mistos, com o Japão subindo 0,49% e China caindo 0,34%.

A agência de classificação de risco Fitch reafirmou hoje os ratings de longo prazo da China, em moedas estrangeira e local, em A+, com perspectiva estável. O rating dos bônus chineses em moeda local e sem garantia também foi mantido em A+. Já o teto país da China permaneceu em A+ e o rating de curto prazo em moeda estrangeira, em F1.
Segundo a Fitch, a manutenção dos ratings leva em conta o forte balanço soberano da China e o robusto crescimento sustentado de sua economia, que contrastam com os elevados passivos contingentes soberanos e uma série de fraquezas estruturais e riscos.
Em comunicado, a Fitch prevê que o Produto Interno Bruto (PIB) chinês crescerá 6,3% em 2016 e 6% em 2017, desacelerando-se em relação a uma expansão estimada em 6,8% este ano.

No velho continente tudo verde, nas máximas do dia. Londres +0,59%; Frankfurt +1,31%; Paris +1,08%.

Petróleo sobe 0,21% na Nymex e cai 0,52% na Ice.

Com os mercados nos Estados Unidos fechados hoje por causa do feriado de Ação de Graças, a liquidez nas demais praças tende a ser reduzida.

Mas o cenário doméstico deve garantir emoções aos investidores, que seguirão atentos aos desdobramentos das prisões do senador petista Delcídio Amaral e do banqueiro André Esteves, presidente do BTG Pactual, tanto para o cenário político como para o financeiro.

Uma das consequências da prisão de Esteves foi que a Moody's anunciou ontem à noite que colocou em revisão para rebaixamento os ratings do banco.

As ações do BTG Pactual chegaram a cair 40% e fecharam o dia com queda de 21%.

No lado político, em votação aberta, o plenário do Senado decidiu por 59 votos a favor manter a decisão do Supremo Tribunal Federal de prender DelcídioForam 13 votos contrários e uma abstenção.

A prisão do senador já começa a conturbar o andamento do ajuste fiscal.

Foram adiadas de ontem para o dia 3, próxima quinta-feira, as votações, em sessão conjunta no Senado, de três vetos presidenciais, do projeto que altera a meta fiscal de 2015 e da a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2016.

Com o fiscal incerto e com as expectativas de inflação para 2016 apontando para cima, o Banco Central dá sinais de que pode retomar o aperto monetário.

Pelo menos foi essa a leitura que ficou da reunião do Copom de ontem, na qual a Selic foi mantida em 14,25%, como esperado, mas com placar dividido.

Enquanto a maioria dos diretores do BC votou por manter a taxa básica, Tony Volpon e Sidnei Corrêa se mostraram falcões, ao avaliarem que a Selic poderia ter subido para 14,75%.


O gráfico diário do Ibovespa mostra um marobuzu de baixa cruel, capaz de penetrar 47.900 e as médias móveis em uma única sessão.

Ontem tivemos um evento de cauda, contra todos os sinais do fechamento de terça-feira.

O pregão dessa quinta-feira será importante para balizamento de curto prazo.

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Exterior positivo, no Brasil temos a primeira prisão de um senador no exercício do mandato


Bom dia investidor!

Estrangeiros aumentaram o saldo comprado no índice futuro de 103.459 para 104.836 contratos no pregão de ontem.

Mercado asiático fechou em queda generalizada, com exceção da China que subiu 0,88%.

Na Europa, a compra predomina, com algumas praças pressionando as suas máximas. Londres +0,90%; Frankfurt +1,11%; Paris +1,52%.

Petróleo recua cerca de 1% em Londres e Nova York.

Futuros norte-americanos em alta de cerca de 0,25%.

O cenário doméstico deve preponderar nas negociações hoje.

Não bastasse a expectativa com a pauta do Congresso e anúncio do Comitê de Política Monetária (Copom), acaba de sair a informação de que a Polícia Federal prendeu o líder do governo no Senado, Delcídio do Amaral (PT-MS), dentro da Operação Lava Jato. Ele teria sido flagrado na tentativa de prejudicar as investigações contra ele.

A prisão ocorre um dia depois da detenção do amigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o pecuarista José Carlos Bumlai.

Delcídio é um dos principais articuladores do governo no Congresso e o episódio pode atrapalhar a realização da sessão conjunta remarcada para hoje para a votação da nova meta de superávit fiscal de 2015 e do Orçamento de 2016 pelo Congresso.

A apreciação ocorreria ontem, mas foi adiada porque os plenários da Câmara e do Senado votavam medidas provisórias.

Sem a alteração da meta de 2015, o governo fica exposto ao risco de crime de responsabilidade fiscal caso se confirme o déficit esperado atualmente.

De olho também em 2016, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, disse ontem que a presidente Dilma Rousseff "tem um compromisso" com a meta de superávit primário de 0,7% do PIB.

Clique para ampliar

O ibovespa teve, no pregão de ontem, uma sessão de recuperação intraday, deixando um candle com longa sombra superior.

Podemos considerar um penetração falas ado forte 47.900, o que poderá impulsionar as negociações.

Veremos com o mercado reage ao longo dia dia aos desdobramentos da operação Lava Jato.

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan


terça-feira, 24 de novembro de 2015

Agenda cheia no pregão dessa terça-feira



Bom dia investidor!

Ontem os estrangeiros aumentaram a posição comprada no índice futuro de 101.260 para 103.459 contratos.

Na Ásia tivemos fechamentos mistos. Japão +0,23%, China +0,16% e praças menores em queda.

Na Europa o botão de venda foi acionado. Londres -1,21%; Frankfurt -0,99%; Paris -1,64%.

O Produto Interno Bruto (PIB) da Alemanha cresceu 0,3% no terceiro trimestre ante o segundo e avançou 1,7% na comparação anual, de acordo com dados da Destatis, como é conhecida a agência de estatísticas do país. Os números confirmaram estimativas preliminares, divulgadas no último dia 13, e vieram em linha com as expectativas de analistas consultados pela Dow Jones Newswires.

Segundo a Destatis, o consumo privado aumentou 0,6% entre julho e setembro ante os três meses anteriores, enquanto o consumo do governo teve alta de 1,3%.

As exportações da Alemanha subiram 0,2% na mesma comparação, enquanto as importações cresceram em ritmo mais forte, de 1,1%.
Por outro lado, os investimentos em máquinas e equipamentos diminuíram 0,8% ante o segundo trimestre, enquanto os gastos do setor de construção caíram 0,3%, informou a Destatis. 

Dow Jones futuro cai 0,59%; S&P 500 recua 0,65%; Nasdaq perde 0,66%.

O cobre avança 0,47% na Comex.

O petróleo sobre 1,13% na Nymex e ganha 1,03% na Ice.

A agenda de indicadores e eventos desta terça-feira tem como destaques a Pnad Contínua de setembro, o relatório da dívida pública de outubro e o índice de expectativa de inflação ao consumidor de novembro.

O ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, participa de evento em São Paulo e a presidente Dilma Rousseff, de solenidade no Planalto.

O plenário do Senado vota projeto que altera a meta fiscal de 2015 e o Conselho de Ética lê parecer de relator sobre processo contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha.

Já o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, participa de audiência pública na Câmara para discutir a PEC que prorroga a Desvinculação de Receitas da União (DRU).

Nos EUA, saem a segunda estimativa do PIB do terceiro trimestre, o índice de preços de moradias de setembro, o índice de confiança do consumidor do Conference Board e de atividade regional do Fed de Richmond, ambos de novembro. 


O gráfico diário do Ibovespa mostra o benchmark trabalhando dentro de uma contração, mirando a linha superior do triângulo simétrico.

Forte suporte em 47.900.

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Mercado doméstico pós-feriado


Bom dia, investidor!

Estrangeiros iniciam a semana comprados em 101.260 contratos de índice futuro.

Na Ásia tivemos fechamentos em direções mistas, com o Japão subindo 0,10% e a China cedendo 0,56%.

Velho continente registra baixa generalizada. Londres -0,85%; Frankfurt -0,52%; Paris 0,89%.

O cobre para dezembro tem queda de 1,80% na Comex.

O petróleo recua 2,06%, a US$ 43,74 por barril, na Ice e cai 3,10%, a US$ 40,50 o barril, na Nymex.

Dow Jones futuro cai 0,19%; S&P 500 recua 0,20%; Nasdaq perde 0,15%.

A agenda de indicadores e eventos desta segunda-feira tem como destaques o IPC-S da 3ª quadrissemana de novembro, uma prévia da Sondagem da Indústria do mesmo mês, o Boletim Focus e a balança comercial semanal.

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, estará no Rio de Janeiro, onde participa de seminário sobre o risco Brasil junto com a representante da Standard & Poor's, Regina Nunes.

Na Europa, sai o PMI Composto da zona do euro, referente ao mês de outubro.

Já nos Estados Unidos serão conhecidos o Índice de Atividade Nacional do Fed de Chicago, de outubro, e o PMI Industrial preliminar de novembro. 

Sexta-feira, enquanto o mercado doméstico não operou por conta do feriado, as ADRs tiveram valorização em Nova York. Isso sugere uma abertura em alta, para ajuste.

O gráfico diário mostra o Ibovespa acima da forte resistência entre 47.900 e 48.100, agora suporte pelo princípio de inversão de polaridade da análise técnica.


Temos as médias móveis cruzadas para cima e volume crescente de acordo com as altas recentes.

O desafio será romper 49.054, máxima marcada dia 04.11, assim como a linha superior do triângulo simétrico, marcada em vermelho.

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Bom humor predomina nos mercados



Bom dia investidor!


Estrangeiros iniciam o pregão comprados em 101.929 contratos de índice futuro.

Mercados asiáticos fecharam em alta generalizada, com algumas praças menores, como Taiwan e Austrália, na máxima da sessão. Japão +1,07% e China +1,36%.

O Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês) anunciou nesta quinta-feira que irá cortar as taxas de juros para um instrumento de empréstimo chamado Linha de Crédito Permanente (SLF, na sigla em inglês).

A medida é um esforço para guiar as taxas de juros do mercado.
Em breve comunicado na conta oficial do PBoC no Weibo, uma rede similar ao Twitter, o banco central disse que iria cortar a taxa de empréstimo no overnight da SLF de 4,5% para 2,75% e reduziria a taxa de empréstimo de sete dias de 5,5% para 3,25%.

Os cortes entram em vigor nesta sexta-feira.
O PBoC lançou a SLF em 2013, com o objetivo de atender à demanda por liquidez dos bancos comerciais e repassar os créditos para as corporações.

O preço do minério de ferro caiu 1,5% no mercado à vista chinês, para US$ 45,1 a tonelada seca, de acordo com dados do The Steel Index. Esse valor segue a referência do insumo com teor de concentração de 62% negociado no porto de Tianjin, na China. 

Na Europa temos a compra dominante. Londres +1,37%; Frankfurt +1,67%; Paris +0,82%.

O Petróleo sobe 0,72% na Nymex e avança 1,16% na Ice.

O cobre opera em valorização de 0,10% na Comex.

A taxa de desemprego apurada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nas seis principais regiões metropolitanas do País ficou em 7,9% em outubro de 2015. 

Em setembro, a taxa de desocupação foi de 7,6%.
O rendimento médio real dos trabalhadores registrou queda de 0,6% em outubro ante setembro e redução de 7,0% na comparação com outubro de 2014.

Em jantar com deputados aliados na semana passada, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse não ver chances de abrir o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff neste ano. Segundo relatos de participantes do encontro, ele confidenciou entender que o impedimento perdeu apoio popular e criticou o PSDB, que deixou de apoiá-lo na semana do encontro. Cunha ainda afirmou acreditar que as contas do governo não serão rejeitadas pelo Congresso e disse ter negociado com o Planalto a aprovação da Desvinculação de Receitas da União (DRU) em troca da aprovação das emendas impositivas de bancada.


Esta semana o Ibovespa não sabe o que é queda.

Respeitou a região de 46.480 como suporte e tem feito máximas e mínimas mais altas, mesmo 
que de forma moderada, como um caminhão subindo a ladeira.

As médias móveis já estão cruzadas para cima e o volume tem aumentado conforme o benchmark sobe aos poucos.

O desafio continua ser romper, fechar e consolidar-se acima dos 48.100, o que seria um sinal concreto de alta pela frente, tendo como barreira decisiva a linha superior do triângulo simétrico.

Bons negócios!


Wagner Caetano
Cartezyan

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Ajuste fiscal x terrorismo



Bom dia investidor!

Estrangeiros comprados em 102.761 contratos de índice futuro.

Bolsas asiáticas fecharam em baixa., com exceção do Japão que subiu simbólicos 0,09%.
China cedeu 1,01%.

O preço médio das novas moradias registrou queda de 1,1% em outubro ante outubro de 2014, conforme levantamento em 70 cidades chinesas realizado pelo The Wall Street Journal e publicado nesta quarta-feira (hora local). O resultado sinaliza que os preços de novas residências no país caíram de forma menos acentuada, depois de terem registrado recuo de 2,0% em setembro, 3,2% em agosto, 4,4% em julho, 5,4% em junho e 6,0% em maio, todos na comparação anualizada.

Em outubro, os preços apresentaram alta em 27 das 70 cidades pesquisadas, ante 39 em setembro. Os preços avançaram 0,07% em outubro ante setembro, que registrou aumento de 0,20%. 

No velho continente, tudo vermelho. Londres -0,40%; Frankfurt -0,73%; Paris -1,02%.

Operação de caça aos terroristas em Paris trazem tensão e aversão ao risco.

Uma mulher ainda não identificada se suicidou detonando um cinturão de explosivos no início da manhã desta quarta-feira, 18, em Seine-Saint-Denis, periferia de Paris, mesma cidade do Stade de France, onde aconteceram atentados à bomba na Sexta-feira. A explosão aconteceu durante uma operação policial para prender terroristas que teriam participado dos atentados na cidade. Cinco pessoas foram presas, segundo informações oficiais do Ministério Público francês.
A ação policial teve início por volta de 4h30 da manhã, em Rue de la République, coração de Seine-Saint-Denis. Depois de cerca de duas horas de preparação, um grupo das forças especiais cercou um imóvel e se lançou sobre um apartamento. Nesse instante teria acontecido o suicídio de uma mulher, que disparou o cinto de explosivos. A operação prosseguiu e outras três pessoas que estariam no interior do apartamento teriam sido presas. Há informações sobre um inocente que teria morrido, mas esse dado não foi confirmado pelas autoridades até o momento.

O cobre trabalha em queda de 0,86% na Comex.

O petróleo trabalha em alta de 2% em Londres e 1,51% em Nova York.

O minério de ferro ficou estável em US$ 45,8 a tonelada na China, após recuar mais de 3% ontem, atingindo a mínima desde julho. Esse valor segue a referência do insumo com teor de concentração de 62%, negociado no porto de Tianjin, na China. 

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, comemorou a votação pela Comissão Mista de Orçamento (CMO) do projeto de lei que altera a meta fiscal de 2015. Ele disse que a aprovação é positiva e traz segurança. "Conseguimos um passo importante para estar preparando um 2016 positivo", afirmou. "Reforça o sentimento de que o governo tem trabalhado na questão fiscal com transparência. É importante o governo seguir os passos previstos na Lei de Responsabilidade Fiscal, que é o patrimônio brasileiro", completou.

Na votação em bloco, o governo conseguiu manter sete vetos da presidente Dilma Rousseff. Entre os vetos mantidos, está o que permitia que os professores descontassem do imposto de renda gastos com a compra de livros. Segundo o governo, a medida teria um impacto para os cofres públicos de R$ 16 bilhões entre 2015 e 2019. 

Sob intensos protestos de funcionários públicos, que lotaram as dependências do Congresso, os parlamentares mantiveram o veto da presidente Dilma Rousseff ao reajuste concedido pelos servidores do Poder JudiciárioA decisão do Legislativo significa a mais importante vitória do Executivo na sessão prevista para apreciar 13 vetos presidenciais.

Até o momento, oito vetos já foram mantidos. Por apenas seis votos, os vetos foram mantidos apenas com o apoio dos deputados. Na Casa, foram 251 votos pela derrubada do veto, 132 pela manutenção e outras 11 abstenções. O Senado não votou porque, pelo regimento, eles só votariam caso o veto fosse derrubado pela Câmara. Para serem derrubados, os vetos precisam ter o apoio de pelo menos 257 deputados e 41 senadores.

Ibovespa teve uma dia de importante movimentação no pregão de ontem.


Fechou acima das médias móveis e ainda superou 47.459 mesmo que no intraday, o que mostra que os compradores "estão na área", especialmente estrangeiros.

Um fechamento acima de 47.459 seria o primeiro sinal concreto de que o mercado está em processo de acumulação.

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

terça-feira, 17 de novembro de 2015

Mundo verde


Bom dia investidor!

Estrangeiros iniciam o pregão comprados em 103.058 contratos de índice futuro.

Na Ásia tivemos forte alta, com algumas praças fechando na máxima da sessão. A exceção foi a China, que cedeu 0,06%. Japão +1,22%.

Na Europa temos alta firme. Londres +1,93%; Frankfurt +1,74%; Paris +2,34%.

O índice de expectativas econômicas da Alemanha subiu para 10,4 em novembro, de 1,9 em outubro, segundo dados divulgados hoje pelo instituto alemão ZEW. O resultado veio bem acima da expectativa de analistas consultados pela Dow Jones Newswires, que previam avanço menor do indicador, a 6,0. O índice de condições atuais do ZEW, por outro lado, recuou para 54,4 neste mês, de 55,2 em outubro. Neste caso, a previsão dos analistas era de ligeiro avanço do índice, para 55,5. 

Petróleo alterna entre leve alta e leve baixa, de forma volátil, diante de excesso de oferta e incertezas geopolíticas.

O cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) cai 0,61%, a US$ 4.675,00 por tonelada, após atingir nova mínima em seis anos durante a sessão asiática, a US$ 4.590,00 por tonelada. Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para dezembro recua 0,38%, a US$ 2,1075 por libra-peso.

Dow Jones futuro sobe 0,36%; S&P 500 avança 0,38%; Nasdaq ganha 0,38%.

Com o impacto absorvido dos atentados em Paris, os mercados internacionais focam hoje em dois indicadores importantes nos EUA, o CPI e a produção industrial, que ajudam a definir as apostas na alta do juro em dezembro.

O BC se antecipou à eventual pressão do DÓLAR com dois leilões de linha.

No Congresso, o dia será movimentado pelas votações da meta fiscal de 2015 na CMO e dos vetos presidenciais em sessão conjunta à noite.


O Ibovespa respeitou o suporte citado ontem em 46.480 e ainda fechou acima da média móvel exponencial de 5 períodos.

A expectativa para hoje é de um pregão de alta, tendo a média móvel exponencial de 21 períodos como primeira barreira, seguida pelo forte 47.459, cujo rompimento aciona um pivot de alta no diário.

Bons negócios! 

Wagner Caetano
Cartezyan

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Como o mercado vai reagir aos ataques terroristas em Paris?



Bom dia investidor!

Estrangeiros iniciam a semana comprados em 102.597 contratos de índice futuro.

Bolsas na Ásia fecharam em direções mistas. Japão - 1,04% e China +0,73%.

Na Europa seguem o mesmo caminho. Londres +0,28%; Frankfurt -0,02%; Paris -0,03%.

Futuros norte-americanos trabalham de lado.

O cobre para dezembro tem queda de 1,23% na Comex.

Petróleo avança 0,38% na Ice e 0,44% na Nymex.

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, rechaçou os rumores de que estaria sendo ameaçado ou a ponto de ser substituído. "Estamos navegando e permaneço até segunda ordem", disse durante entrevista coletiva ao fim dos trabalhos do primeiro dia da reunião de cúpula das 20 maiores economias do mundo, o G-20. "Estou aqui, tenho respaldo da presidente Dilma e não vim a passeio", disse.
Levy tenta afastar os rumores de que estaria sendo pressionado a deixar o governo sob a acusação de que a política econômica é muito austera. "O folhetim não é muito importante. O importante é o avanço das medidas. É nisso que a gente está focando", respondeu.

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), pretende submeter aos deputados nos próximos dias um pedido de urgência para a votação do texto do novo Código de Mineração no plenário. Com isso, o relatório do deputado Leonardo Quintão (PMDB-MG) poderá ser apreciado sem passar por uma nova comissão especial. A proposta de nova redação para as regras estabelecidas em 1967 está em discussão desde 2013, mas não foi votada até hoje.

Os atentados de Paris, que deixaram 129 mortos na sexta-feira, revestiram os negócios de cautela na manhã de hoje.

A aversão ao risco, contudo, perdeu força e dava lugar instantes atrás à tentativa de reação.

O comportamento está de acordo com o registrado depois de ataques terroristas anteriores. Historicamente, dizem investidores e analistas, o pânico tem duração curta. As bolsas chinesas, por exemplo, passaram a maior parte da sessão em queda, mas se recuperaram no fim da sessão e fecharam no positivo.

A maioria dos mercados acionários europeus também tenta se recuperar. 


O gráfico diário mostra que o Ibovespa continua em um movimento de contração de curto prazo, dentro de um triângulo simétrico de médio prazo.

Seria interessante que o suporte 46.480 fosse respeitado essa semana, para manter o viés de compra.

Um recuo até 45.850 ou mesmo até a linha inferior do triângulo não desmonta a alta, porém enfraquece o movimento.

Bons Negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Sexta, 13


Bom dia investidor!

Estrangeiros iniciam a sexta-feira comprados em 103.386 contratos de índice futuro.

Na Ásia tivemos baixa generalizada.
Japão -0,51% e China -1,43%.

As bolsas de Xangai e Shenzhen vão elevar o custo de empréstimos de margem, que são tomados para a compra de ações, num momento de crescente demanda por esse tipo de financiamento, evidenciando os esforços do governo chinês para evitar possíveis riscos sistemáticos de mercados excessivamente aquecidos.

Segundo comunicado divulgado nos microblogs das bolsas, a taxa exigida para empréstimos de margem vai subir de 50% pra 100%.
Europa pressiona suas mínimas.
Londres -1,00%; Frankfurt -0,51%; Paris -1,07%.
Petróleo sobe 1,37% em Londres e 0,50% em Nova York.
Os futuros de cobre operam em baixa em Londres e Nova York, em meio a preocupações sobre a possibilidade de alta de juros nos EUA e demanda mais fraca da China, o maior consumidor mundial de metais básicos.
O cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) cai 0,29%, a US$ 4.827,00 por tonelada.
Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para dezembro recua 0,41%, a US$ 2,1640 por libra-peso.
Mesmo com a nova saraivada de críticas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao ministro da Fazenda, Joaquim Levy, a presidente Dilma Rousseff se mantém firme no propósito de não entregar a cabeça do seu titular da equipe econômica.
Também resiste a qualquer proposta ou ilação de que o nome para o lugar de Levy seria o do ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles.
Mas, a presidente Dilma sabe que não poderá entrar 2016 sem uma perspectiva de melhora da economia. Terá ao menos de vender esperança, coisa que Levy não tem conseguido fazer.
Nas conversas com Dilma, o ex-presidente Lula já perguntou explicitamente se ela gosta de Meirelles. A resposta foi um categórico "não". Lula então, insistiu perguntando sobre Levy. A resposta foi "também não", embora ressalvasse que o caso de Levy é diferente do de Meirelles. Lula, então, teria insistido: se não gosta de nenhum dos dois, por que não trocar? Por que não tentar? A resposta tem sido, de novo, não. Mas a presidente não sabe até quando resistirá.
Na verdade, a presidente Dilma "se cansou" de Levy, revelam interlocutores. "Ele não se ajuda", lembram assessores palacianos, ao comentar a mais nova trapalhada cometida por ele, com a nota distribuída ontem, na qual agradecia o encontro com senadores na casa do líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira. O texto foi considerado uma defesa do arrocho, sem apresentar luz no fim do túnel. Governo e PT defendem que pelo menos um fio de esperança precisa ser apresentado à população, aos empresários e ao mercado.
O bombardeio a Levy vem de todos os lados e não se resume ao PT. Auxiliares da presidente reconhecem que quem eventualmente entrar em seu lugar terá de dar seguimento ao que está fazendo Levy. Mas argumentam que não seria trocar seis por meia dúzia, no caso de Meirelles. A troca seria de seis por sete, já que o ex-presidente do Banco Central tem mais disposição política para lidar com a economia.
O gráfico diário mostra o Ibovespa dentro do movimento de contração que vem ditando o ritmo dos negócios no curtíssimo prazo.
Fechou entre as médias móveis, que estão justapostas.
Suporte imediato em 46.480.
Se houver rompimento da máxima de ontem em 47.459, mostra força e mira 47.900.
Bons negócios!

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Ministério da Fazenda em destaque



Bom dia investidor!

Estrangeiros comprados em 106.113 contratos de índice futuro. Ásia fechou em direções mistas.
Japão: +0,03% e China -0,48%.

Europa opera em baixa generalizada. Londres: -0,62%; Frankfurt -0,31%; Paris -0,96%.

Futuros norte-americanos em leve queda.

O cobre para dezembro tem baixa de 1,22% na Comex.

Os futuros de petróleo operam com volatilidade, enquanto os investidores aguardam novos dados sobre os estoques dos EUA. Na sessão de ontem, os preços da commodity atingiram o menor nível em dois meses e meio, diante de novos sinais de que a situação de oferta excessiva persiste.
Na terça-feira, o American Petroleum Institute (API) estimou que o volume de petróleo bruto estocado nos EUA saltou 6,3 milhões de barris na semana passada, número que veio bem acima da previsão dos analistas.
Mais tarde, às 14h (de Brasília), será divulgada a pesquisa oficial sobre estoques, do Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) norte-americano, um dia depois do normal porque ontem foi feriado nos EUA. Analistas preveem que o levantamento do DoE mostrará aumento de 1,1 milhão de barris nos estoques dos EUA.

No cenário interno, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revisou a taxa de vendas do varejo de julho ante junho, que passou de -1,6% para -1,5%.

No varejo ampliado, que inclui as atividades de veículos e material de construção, houve revisão no desempenho de agosto ante julho, que passou de -2,0% para -2,2%. A taxa de julho ante junho também foi revista, de 0,5% para 0,4%.

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, cancelou participação que faria agora pela manhã do seminário "Iniciativa Empresarial em Clima". Desde ontem à tarde já se cogitava a possibilidade de o ministro não comparecer ao evento e, talvez, gravar um vídeo para ser enviado para ser exibido aos participantes.

A justificativa dos que acreditavam que o ministro pudesse cancelar sua ida ao seminário era um constrangimento causado pela boataria dos últimos dias dando conta de que o ex-presidente Lula e o PT estariam pressionando a presidente Dilma Rousseff para substituir Levy pelo ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles no comando da Fazenda.

Balanços de empresas importantes como Gol, Banco do Brasil, Suzano e Kroton devem agitar o pregão dessa quinta-feira.


Ontem tivemos uma movimentação importante no Ibovespa: confirmação do candle de fundo marcado na véspera, com fechamento acima de 46.480 e das médias móveis, agora suportes imediatos.

O alvo agora é a região compreendida entre 47.900 e 48.060.

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan