quarta-feira, 7 de outubro de 2015

TSE, TCU e vetos no radar


Bom dia investidor!


Estrangeiros iniciam o pregão comprados em 109.732 contratos de índice futuro.

Na Ásia, ainda com feriado na China, tivemos alta generalizada, com algumas praças de menor expressão, como Taiwan e Austrália, fechando na máxima da sessão. Japão +0,75%. Na Europa, tudo verde. Londres +0,52%; Frankfurt +1,07%; Paris +0,74%.

O minério de ferro subiu 0,7% na China, cotado a US$ 54,4 a tonelada.

Os futuros de cobre operam em alta em Londres e Nova York, beneficiados por uma série de cortes na oferta e interrupções na produção ao redor do mundo.

Por volta das 8h35 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) subia 0,3%, a US$ 5.202,50 por tonelada, após atingir mais cedo na sessão a máxima em duas semanas de US$ 5.234,00 por tonelada. Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para dezembro tinha alta de 1,23%, a US$ 2,3840 por libra-peso, às 8h58 (de Brasília).

Após a recente onda vendedora que atingiu o setor de commodities e alguns sinais de estabilização da atividade na China, analistas do banco Morgan Stanley acreditam que é hora de voltar a comprar papéis desse segmento. Os analistas da casa apostam que o preço das commodities deve acumular alta de 19% até 2017 e, diante dessa tendência, melhorou a recomendação para o setor minerador e de metais de "em linha" com o mercado para "atrativo".

Petróleo avança 1,69% na Ice e sobe 2,04% na Nymex.

A tensão política está de volta, em várias frentes de risco para o governo Dilma.

No TSE, foi aberta a ação que investigará a campanha da reeleição e pede a cassação do mandato da presidente

No TCU, as pedaladas fiscais, que precipitariam um pedido de impeachment na Câmara, podem ser julgadas às 17h, se o STF não der liminar suspendendo a sessão. 

Já no Congresso, o Planalto tenta mais uma vez votar os vetos à pauta-bomba.

O gráfico diário do Ibovespa mostra um rompimento arrastado da LTB destacada em azul.

Clique para ampliar.

Para mostrar força, o benchmark precisa fechar acima de 48.100, de preferência com um volume acima da média, o que mostraria convicção no movimento.

Detalhe do IBOVESPA. Clique para ampliar.


Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

Nenhum comentário:

Postar um comentário