sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Heavy Metal



Bom dia investidor!

Estrangeiros iniciam o pregão comprados em 126.478 contratos de índice futuro.
Na Ásia tivemos uma sessão de valorização

Japão +1,64% (fechamento na máxima) e China +1,27%.

Europa trabalha em alta, com os touros no comando.

Londres +1,18%; Frankfurt +1,21%; Paris +1,19%.

Sinais de que os juros podem continuar estáveis por mais tempo nos Estados Unidos aceleram o apetite por risco e os mercados na Europa mantêm firme trajetória de alta. Mantida a tendência vista até agora, as bolsas da região podem encerrar o dia com a sexta sessão consecutiva de valorização. Além da política monetária dos EUA, as commodities sobem e voltam a ajudar com o ambiente positivo.

Nasdaq futuro cai 0,07%; Dow Jones sobe 0,08%; S&P 500 ganha 0,04%.

Petróleo sobe 1,46% na Nymex e avança 0,90% na Ice.

Os metais básicos operam em forte alta nesta manhã, incluindo o cobre negociado em Londres e Nova York, após a mineradora anglo-suíça Glencore anunciar um significativo corte em sua produção de zinco.

A Glencore, que tem sede na Suíça, informou hoje que promoverá reduções na produção equivalentes a 4% do mercado global de zinco. Em reação, o zinco avançou para o maior nível em um mês na London Metal Exchange (LME) e impulsionou os demais metais.
Por volta das 8h05 (de Londres), o cobre para três meses na LME subia 3,8%, a US$ 5.329,00 por tonelada, enquanto o zinco saltava 9,1%, a US$ 1.818,50 por tonelada. Entre outros metais no mercado inglês, o alumínio tinha alta de 3,8%, a US$ 1.619,50 por tonelada, o níquel aumentava 3,5%, a US$ 10.535,00 por tonelada, o chumbo ganhava 5,4%, a US$ 1.761,50 por tonelada, e o pouco negociado estanho garantia acréscimo mais modesto, de 0,7%, a US$ 16.010,00 por tonelada.


Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para dezembro tinha robusto ganho de 3,05%, a US$ 2,4145 por libra-peso, às 8h33 (de Brasília).
O minério de ferro avançou 1,3% no mercado à vista chinês indo a US$ 55,5 a tonelada nesta sexta-feira, de acordo com dados do The Steel Index. No acumulado da semana a alta foi de 2,8%. Esse valor segue a referência do insumo com teor de concentração de 62% negociado no porto de Tianjin, na China. 

O gráfico diário do Ibovespa está bem perto de uma importante resistência: 49.395.


Uma vez acima desse ponto, pela inversão de polaridade da análise técnica, ele vai atuar como suporte, projetando o benchmark em 50.900, com enrosco em 49.908 e 50.280.

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

Nenhum comentário:

Postar um comentário