terça-feira, 18 de agosto de 2015

Mar vermelho

Bom dia investidor!

Estrangeiros iniciam a terça-feira comprados em 61.276 contratos de índice futuro.

Temos baixa generalizada mundo afora.

Na China houve forte queda de 6,15% e no Japão a bolsa caiu 0,32%.

Velho continente em terreno negativo, com queda moderada, porém longe das máximas.

Nos EUA, Dow Jones Futuro cai 0,36%; S&P 500 recua 0,31%; Nasdaq perde 0,35%.

O preço do minério de ferro no mercado à vista chinês ficou estável hoje em US$ 56,00 a tonelada seca, de acordo com dados do The Steel Index. O valor segue a referência do insumo com teor de concentração de 62%, negociado no Porto de Tianjin, na China.

Os preços do petróleo estavam sob pressão nesta terça-feira, diante das preocupações sobre a economia chinesa, em meio à tendência geral de baixa nesse mercado. Com o cenário de excesso de oferta derrubando os preços desde o ano passado, a mais recente onda de vendas ocorre após a desvalorização do yuan na semana passada e em meio às preocupações sobre o crescimento econômico da China.

Ainda no gigante asiático, o preço médio das novas moradias registrou queda de 4,4% em julho ante julho de 2014, conforme levantamento em 70 cidades chinesas realizado pelo The Wall Street Journal e publicado nesta segunda-feira.

O resultado sinaliza que os preços de novas residências no país caíram de forma menos acentuada, depois de terem registrado recuo de 5,4% em junho e 6,0% em maio, ambos na comparação anualizada.

Em julho, os preços apresentaram queda em 29 das 70 cidades pesquisadas, ante 34 junho.
Os preços avançaram 0,15% em julho ante junho, que registrou aumento de 0,16%.


Os futuros de cobre e alumínio renovaram mínimas em seis anos em Londres.

No cenário doméstico, enquanto Eduardo Cunha coloca hoje em votação na Câmara mais uma pauta-bomba, o projeto que propõe a remuneração das contas do FGTS pelo rendimento da poupança, no Senado, Renan tenta garantir a medida mais importante do ajuste fiscal, que muda as desonerações da folha. Essa receita para o superávit fiscal já era dada como perdida, em função da crise com o Congresso.

O gráfico diário do Ibovespa mostra o benchmark colado na linha inferior do canal de baixa que vem guiando os negócios desde maio.

Um candle de reversão com volume acima da média nessa região seria um sinal concreto de repique para o curto prazo, porém temos aversão ao risco mundo afora, tornando a busca do suporte em 46.480 o caminho mais provável para o curtíssimo prazo.




Bons negócios!
Wagner Caetano
Top Trader

Nenhum comentário:

Postar um comentário