segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Lava Jato, balanços e China agitam os negócios

Bom dia investidor.


Europa opera em alta, com a volta dos negócios em Atenas (queda de 21,51%). Futuros norte-americanos em leve queda. Petróleo recua 2,20% em Londres e 1,55% em Nova York. Cobre trabalha em baixa de 1,31% na Comex. O preço do minério de ferro iniciou agosto com alta de 4,5% em relação à última sexta-feira, para US$ 55,3 a tonelada seca, de acordo com dados do The Steel Index (TSI). O valor segue a referência do insumo do teor de concentração de 62%, negociado no Porto de Tianjin, na China.

Na Ásia tivemos fechamento em queda generalizada. Japão: -0,18%. China: -1,11%.

O índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) oficial do setor de serviços da China avançou levemente em julho, de acordo com dados oficiais divulgados na sexta-feira. O PMI de serviços subiu de 53,8 em junho para 53,9 em julho. Uma leitura acima de 50 indica expansão, enquanto o contrário aponta para contração.

Na pesquisa, a leitura de construção caiu de 62,1 em junho para 60,1 em julho. Já a de novas encomendas recuou de 51,3 para 50,1. O PMI de serviços inclui o varejo, a aviação e o setor de software, bem como os setores de construção e imobiliário.

O índice dos gerentes de compra (PMI, na sigla em inglês) oficial da indústria da China recuou para 50,0 pontos em julho, de 50,2 em junho, informou a Federação de Logística e Compras da China, que divulga o dado junto com o Escritório Nacional de Estatísticas do país, em comunicado nesta sexta-feira (hora local).
Analistas ouvidos pelo Wall Street Journal previam alta para 50,1. Uma leitura acima de 50 indica uma expansão na atividade industrial, enquanto uma leitura abaixo disso aponta para contração. A leitura de novas encomendas caiu, de 50,1 em junho para 49,9 em julho, enquanto a leitura de produção recuou para 52,4, de 52,9, segundo o comunicado.

O índice de atividade dos gerentes de compras do setor industrial da China recuou a 47,8 na leitura final de julho, ante 49,4 em junho, em medição feita pela Caixin Media (antes HSBC) e divulgada pela Markit Economics neste domingo. Este é o menor nível em dois anos e o quinto mês seguido abaixo da marca de 50,0, que indica contração da atividade.

---

Estrangeiros iniciam o mês de agosto comprados em 49.948 contratos de índice futuro.

No cenário interno, destaque para a prisão de José Dirceu, para a volta das atividades no Congresso e para o relatório Focus, que apontou IPCA de 9,23% para 9,25% em 2015 e retração do PIB de 1,76% para 1,80% em 2015.

Além disso a temporada de balanços corporativos vai continuar a agitar os negócios. Para hoje teremos: Banco Pan, BR Malls, BR Properties, Marcopolo, Multiplus e Valid.

A compra do HSBC pelo Bradesco também deverá impactar o mercado doméstico, pois o setor financeiro tem peso relevante no Ibovespa.

O gráfico diário do benchmark mostra inclinação altista de curtíssimo prazo.

clique para ampliar

O desafio será romper uma tripla resistência entre 51.020 (retração de 50% de Fibonacci, 51.130 (fundo anterior marcado em julho) e a média móvel exponencial de 21 períodos (linha vermelha no gráfico).

Um recuo até 50.450 ou mesmo até a média móvel exponencial de 5 períodos seria natural antes 
da retomada da pressão compradora, mesmo que seja no intraday.

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

Nenhum comentário:

Postar um comentário