sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Dia de correção para o Ibovespa

Bom dia investidor!

Estrangeiros reduziram levemente a posição comprada no pregão de ontem, de 77.935 para 77.856 contratos.

Com exceção de Hong Kong, tivemos fechamento em campo positivo na ÁsiaChina +4,82% e Japão +3,03%.

Petróleo, velho continente e futuros norte-americanos operam em baixa moderada, corrigindo os excessos da semana. Cobre tem baixa de 0,49% na Comex.

O preço do minério de ferro subiu 4,1% no mercado à vista chinês indo a US$ 55,5 a tonelada seca, de acordo com dados do The Steel Index. Esse valor segue a referência do insumo com teor de concentração de 62% negociado no Porto de Tianjin, na China.

O lucro das maiores empresas do setor industrial da China teve queda de 2,9% em julho ante igual mês do ano passado, após recuar em ritmo bem mais comedido em junho, de 0,3%, informou a agência de notícias chinesa Xinhua, citando dados do Escritório Nacional de Estatísticas do país.

Os ganhos de companhias da indústria chinesa com receita anual superior a 20 milhões de yuans totalizaram 471,6 bilhões de yuans em julho, segundo a Xinhua. 
O resultado de julho foi atribuído à fraca demanda doméstica e à continuidade da queda nos preços ao produtor, que estão em declínio há 41 meses consecutivos, disse a agência.

Entre janeiro e julho, o lucro do setor industrial chinês caiu 1,0% ante o mesmo período de 2014, após diminuir 0,7% no primeiro semestre, de acordo com a Xinhua.

A agência de classificação de risco Moody's alterou a perspectiva de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) das economias do G20 para 2,8% em 2016, de 3,1% previsto anteriormente.
Segundo a agência, a medida reflete o impacto de uma desaceleração mais acentuada na economia da China e efeitos negativos mais prolongados da queda nos preços das commodities nos produtores do grupo mais cedo do que o esperado.

A Moody's também alterou sua perspectiva de crescimento do PIB da China em 2016 para 6,3%, de 6,5% previsto anteriormente. "A desaceleração da economia na China faz um aumento significativo nos preços das commodities a curto prazo tornar-se improvável. Um período prolongado de baixos preços das commodities levará a baixas receitas de exportação e investimento nas economias exportadoras de commodities do G20", informou Marie Diron, vice-presidente sênior da agência.

A Moody's também informou que espera crescimento negativo do PIB no Brasil e na Rússia, estendendo a recessão em 2015. "A recente queda nos preços das commodities e a maior depreciação das moedas exacerbam a já desfavorável situação econômica nos dois países", divulgou a agência.

A contração do PIB no Brasil de 2,6% no 2ºTRI na comparação anual e a possível volta da CPMF serão os drivers para uma correção no pregão de hoje.

O gráfico diário do Ibovespa mostra que ontem tivemos teste da média móvel exponencial de 21 períodos, sendo natural um retorno para correção após esse movimento.



O alvo inicialmente é 46.480.

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

Nenhum comentário:

Postar um comentário