quarta-feira, 1 de julho de 2015

China e Grécia guiam as bolsas mundo afora

Bom dia investidor!


Estrangeiros iniciam o pregão comprados em 57.154 contratos de índice futuro.

Na Ásia tivemos alta generalizada, com exceção da China, que caiu 5,23%.

Na Europa, a bolsa de Atenas continua fechada.

Demais praças sobem de maneira eufórica.

Ventila-se uma possibilidade de acordo entre a Grécia e seus credores, porém a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, reagiu hoje com frieza à última tentativa de chegar a um acordo de resgate com seus credores, enfatizando que Berlim não teme uma batalha e que só apoiará um compromisso com Atenas se as vantagens forem maiores que as desvantagens.

Dax: + 2,39% e Pcac + 2,82%.

Na China, o PMI da indústria medido pelo HSBC subiu a 49,4 em junho, de 49,2 em maio.

O PMI oficial de serviços subiu a 53,8 em junho, de 53,2 em maio.

O PMI oficial da indústria seguiu em 50,2 em junho, previsão 50,4.

Cobre em leve baixa e petróleo recuando em Nova York e Londres.

O minério de ferro voltou a cair na China (-0,7%), fechando cotado a US$ 58,9 a tonelada seca.

Futuros norte-americanos em alta de cerca de 1%.

Segundo a ADP, o setor privado criou 237 mil empregos em junho, previsão 220 mil, maior nível desde dezembro de 2014.

No cenário interno, o Senado aprovou reajuste de até 78% dos servidores do judiciário, o que significa uma nova derrota do governo no ajuste fiscal.

O gráfico diário do Ibovespa mostra as médias inclinadas para a venda.

Temos forte suporte na região de 52.650, pois foi mínima de segunda-feira e também dos dias 01/06 (52.665) e 09/06 (52.687).

Se houver perda dessa região, em fechamento, o teste decisivo será entre 52.550 (mínima da congestão) e 52.460, topo de fevereiro de 2015.


Bons negócios!
Wagner Caetano
Top Trader

Nenhum comentário:

Postar um comentário