segunda-feira, 4 de maio de 2015

Sell in may and go away?

Bom dia investidor!

Estrangeiros iniciam o mês de maio comprados em 90.363 contratos de índice futuro.

O índice abriu em forte alta e o o dólar seguiu o mesmo caminho, abrindo com gap superior a 2%.

Europa, futuros norte-americanos, petróleo e metais operam em valorização.

Relatório Focus divulgado mais cedo apontou IPCA para 2015 de 8,25% para 8,26% e retração do PIB para 2015 de 1,10%para 1,18%.

Quinta-feira, após o encerramento das negociações, a agência de risco S&P rebaixou o rating da Vale para BBB, de BBB+, com perspectiva negativa.

Na agenda do dia, termos encomendas à indústria nos EUA às 11h.

Na China, o PMI industrial (HSBC) final caiu para 48,9 em abril, de 49,6 em março, preliminar 49,2.

Os dados são alarmantes, porém o efeito tem sido contrário, pois os investidores apostam em mais estímulos chineses e vão às compras.

Existe a teoria do "seel in may and go away", ou seja, "venda em maio e caia fora", que prega que após uma forte escalada do mercado, geralmente descolada dos fundamentos e irracional, forma-se um topo nesse mês.

Vamos acompanhar, pois a segunda parte da teoria é fato.

gráfico do Ibovespa está entre dois caminhos muito claros: se houver rompimento de 57.000 teremos novo pivot de alta capaz de romper a resistência em 57.360 (topo de novembro) e buscar 58.850; porém a região de 57.000 é forte resistência e poderemos ter a formação de um topo duplo, pois temos uma pinça de topo formada entre os dias 24 e 27 de abril.





Bons negócios!
Wagner Caetano
Top Trader

Nenhum comentário:

Postar um comentário