quarta-feira, 18 de março de 2015

Minério de ferro fecha em baixa de 5,4% na China

Ontem o mercado doméstico viveu uma sessão de euforia.

Os market movers foram o discurso do Ministro Nelson Barbosa reafirmando o compromisso com o ajuste fiscal e também ativos considerados baratos para os estrangeiros, por causa da valorização do dólar.

O Ministro Joaquim Levy terá reunião com a Agência Fitch hoje às 9h30.

Estímulos chineses, que têm tido pouco efeito nas commodities, também elevaram cotações de empresas de celulose, siderurgia e petróleo.

Foi uma festa, um convite aos compradores.

Na China,o preço médio das novas moradias caiu 5,75% em fevereiro ante fevereiro de 2014.

O efeito imediato foi um fechamento do minério de ferro com desvalorização de 5,4%.

Na Zona do Euro, mesmo o superávit comercial de 7,9 bilhões de euros em janeiro é capaz de manter as bolsas em alta, com exceção de Londres e Madri o velho continente trabalha em baixa, com destaque para a Grécia que cai 6,3%.

Nos Estados Unidos teremos a decisão do FED sobre a política monetária hoje às 15h.

Futuros norte-americanos em queda, assim como o cobre e o petróleo.

O Ibovespa fechou numa região de resistência e deverá abrir em baixa. 

A perda de 49.800 seria um sinal de realização de lucros, rumo a 49.630

Forte suporte em 49.890, que protege os 49.800 dos vendidos. 

Se houver fechamento abaixo dos 49.630, frustra a expectativa compradora e desarma a alta de curto prazo.

Imagem inline 1

Wagner Caetano
Top Trader

Nenhum comentário:

Postar um comentário