sexta-feira, 13 de março de 2015

Manifestações previstas para o final de semana e possível adiamento do balanço da Petrobras devem imprimir clima de cautela

O empresário Lírio Parisotto encaminhou à Usiminas, na terça-feira, pedido de convocação de Assembleia Geral Extraordinária (AGE) para recompor o conselho de administração da siderúrgica.

Tem início nesta sexta-feira, o fim de semana de manifestações com o ato da CUT e do MST marcado para às 16h na avenida Paulista.

Bolsas na Europa operam sem direção única, após marcarem máximas históricas ao longo da semana, tendo como driver as medidas de estímulos que injetam dinheiro nas economias, o alívio quantitativo (QE) do Banco Central Europeu (BCE), que começou na segunda-feira e um cenário mais ameno com a Grécia.

Petróleo para abril cai 1,04%, a US$ 46,56 por barril, na Nymex e recua 0,84%, a US$ 56,60 por barril, na Ice.

Saiu há pouco que a Petrobras negocia com credores o adiamento do balanço auditado por seis meses, sem que ocorra a cobrança antecipada de dívidas.

Cerca de 15 instituições foram procuradas pela estatal nas últimas semanas.

Ontem o ministro Joaquim Levy já havia decidido não autorizar emissão de títulos lastreados no crédito de cerca de R$9 bilhões que a estatal tem junto à União e Eletobras.

gráfico diário do Ibovespa mostra uma tentativa de reação intraday no pregão de ontem, porém frustrada com entrada vendedora ao longo do dia, deixando longa sombra superior.

A perda, mesmo que intradiária, de 48.722 seria uma espécie de luz amarela para os comprados, sendo que se houver penetração de 48.290 abre espaço para testar 47.840 ao longo da próxima semana, podendo bater em 47.500 ou mesmo 47.350ao longo do período.



Wagner Caetano
Top Trader

Nenhum comentário:

Postar um comentário