terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Mercado doméstico entre novidades internas e exterior no último pregão do ano

Petróleo para fevereiro cai na Ice e Nymex.

Metais em alta.

Europa e futuros norte-americanos operam em queda.

Problemas na Grécia e a o próprio petróleo são os market movers.

No Brasil, o mercado vai precificar ao longo do dia a nomeação dos ministros divulgada ontem, assim como novas medidas econômicas que visam sanear as contas públicas e atingem especialmente acesso a programas sociais e trabalhistas.

Vale destacar que a Petrobras prometeu para janeiro o balanço não auditado do 3T e bloqueou a contratação de empresas citadas na operação Lavo Jato, na tentativa de tranquilizar o mercado no último pregão do ano.

Na agenda do dia, teremos o índice de preços de moradias às 12h e o índice de confiança do consumidor às 13h nos Estados Unidos.

Ontem os investidores estrangeiros atuaram na compra, elevando a posição comprada no índice futuro de 100.727 para105.227 contratos.

IBOV segurou no média móvel exponencial de 5 períodos no diário e não ameaçou o suporte 49.890, mostrando força na sessão de ontem.

Nos últimos três pregões percebemos uma congestão entre o ponto citado e a região compreendida entre 50.900 e 51.000, que precisa ser rompida para jugar o benchmark no importante 51.240.



Wagner Caetano
Top Trader

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Petróleo e metais em alta, Europa e EUA em baixa

Investidores estrangeiros iniciam a semana comprados em 100.727 contratos de índice futuro.

Relatório Focus aponta um crescimento maior do PIB e menor do IPCA.

Investidores aguardam medidas de estímulos na China, após o governo local cortar a meta de crescimento para 6%, de 7,5% em2015.

Petróleo sobe na Nymex e Ice, com conflitos na Líbia.

Bolsas na Europa e futuros norte-americanos operam em baixa e metais majoritariamente em alta.

Na agenda do dia, teremos o índice de atividade do FED de Dallas às 11h30 nos Estados Unidos.

gráfico diário do IBOV mostra que tivemos um pregão de correção na sexta-feira, sendo importante que o nível de 49.890seja respeitado como suporte para não mudar a configuração de alta de curto prazo.




Wagner Caetano
Top Trader

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Pregão pós-Natal

Bom dia investidor!

Esperamos que seu Natal tenha sido o melhor possível.

O pregão de hoje tem todos os sintomas da ressaca: lento, pouco objetivo, sem definição nem pegada.
A liquidez será reduzida no Brasil.

Nos Estados Unidos as bolsas funcionam normalmente (futuros operam em alta nessa manhã) e no velho continente estarão fechadas.

Metais trabalham de forma lateral e petróleo em alta moderada.

Desdobramentos em relação à Petrobras deverão guiar o pregão, pois a agência de risco Moody's colocou o rating da empresa em revisão para um possível rebaixamento.

O minério de ferro fechou na China com queda acumulada de 4% na semana, cotado a US$ 66,7 a tonelada.
Interpretamos essa sexta-feira como oportunidade para entradas pontuais em alguns ativos.

IBOV rompeu em fechamento a média móvel exponencial de 21 períodos e mira agora 51.240, fundo marcado na virada de maio para junho de 2014.

Suporte imediato na própria média de 21.




Wagner Caetano
Top Trader

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Bolsas tem touros no comando no exterior

Bom dia investidor.

Bolsas no velho continente operam majoritariamente em alta.

Na China ontem houve aprovação de US$ 4,1 bilhões em projetos de infraestrutura.

Petróleo, metais e futuros norte-americanos em valorização.

Na agenda do dia teremos PIB do terceiro trimestre e dados de renda e consumo nos EUA às 11h30.

No Brasil, a presidenta Dilma sinalizou que não vai trocar o comando da Petrobras.

Curiosamente as ações reagiram com forte alta.

Nesses últimos pregões do ano, quando não existe um market mover que traga grande aversão ao risco, é comum institucionais irem às compras para melhorar a performance de suas carteiras.

Ontem o IBOV mostrou força, fazendo uma mínima bem mais alta que na sexta-feira.

Além disso segurou na média móvel exponencial de 5 períodos no diário e rompeu 49.890, que agora é suporte pelo princípio de inversão de polaridade da análise técnica.

O desafio é o teste da média móvel exponencial de 21 períodos como resistência, a primiera prova de fogo desse repique atual.




Wagner Caetano
Top Trader

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Segunda-feira deverá ser de menor liquidez e compra dominante

Bom dia investidor!

Bolsas na Europa e futuros norte-americanos operam em alta.
Petróleo segue em recuperação no curtíssimo prazo tanto em Londres quanto em Nova York.

Metais trabalham com liquidez reduzida e viés de compra.

Nos EUA o FED Chicago divulgará o índice de atividade nacional às 11h30.

Esperamos uma sessão com menor número de negócios no Brasil, com a compra dominante e oportunidade de montar algumas posições para 2015.

Vale destacar que os investidores estrangeiros estavam comprados no dia 16/12 em 49.755 contratos de índice futuro e iniciam essa semana com 102.354, corroborando com a força dos touros que vimos nas últimas sessões.

Podemos notar no gráfico do IBOV que a próxima resistência fica em 49.890, portanto essa será a barreira a ser rompida para o decisivo teste da média móvel exponencial de 21 períodos, onde começaremos a saber se estamos vivenciando um repique dentro de uma perna de baixa ou uma possível reversão.




Wagner Caetano
Top Trader

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Efeito FED ainda repercute nas bolsas mundo afora

Bom dia Investidor!

Na rolagem do índice futuro na quarta-feira, os investidores estrangeiros aumentaram o saldo comprado de 49.755 para 108.925 e ontem diminuíram de leve para 106.734.

Isso mostra apetite comprador e visão de oportunidade no momento atual do mercado doméstico, descolado das bolsas internacionais que trabalham em tendência de alta firme.

A baixa do dólar nas últimas duas sessões também reflete menor aversão ao risco e entrada de fluxo no Brasil.

Está no radar dos investidores nomes para substituir Graça Foster no comando da Petrobras.

Nildemar Secches e Rodolfo Landim são os nomes do momento.
Na Alemanha, o índice GFK de confiança dos consumidores subiu para 9,0 em dezembro, previsão de 8,8.

Petróleo opera em alta na ICE e NYMEX e anima o índice futuro na abertura dos negócios por aqui.

gráfico do IBOV mostra dois fatos importantes: no dia da sinalização do possível fundo (16/12) e na quarta-feira, quando tivemos vencimento do índice futuro e forte alta, confirmando o sinal para um repique de curto prazo, o volume foi maior do que a correção de ontem, mostrando mais força da compra no momento, além disso percebemos que a região de 48.722 é forte barreira, portanto se rompida em fechamento, vai atuar como suporte e sustentar um teste de 48.890 e depois da média móvel exponencial de 21 períodos, onde o benchmark terá prova de fogo e saberemos se o movimento é apenas uma correção da tendência de baixa ou um repique consistente, com possível reversão.



Bons Negócios
Wagner Caetano
Top Trader

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Ibovespa sinaliza fundo no gráfico diário

Europa subiu ontem no fechamento e hoje devolve parte dos ganhos.

Nos EUA futuros trabalham em valorização às 8h50 dessa quarta-feira.

Mercado vai precificar na abertura palavras de Levy sobre a austeridade econômica e expectativa por fluxo cambial que será divulgada às 12h30 em seguida.

Teremos a decisão do FED sobre a política monetária às 17h00.

O índice de sentimento das empresas na China subiu para 56,2 em dezembro, de 51,7 no mês anterior, siderurgia e mineração devem subir na esteira do indicador.

IBOV soltou um martelo e sinalizou fundo, cuja confirmação se dará se houver fechamento acima de 47.600.


Bons negócios!
Wagner Caetano
Cartezyan

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Europa e futuros americanos operam em alta com indicadores na Alemanha

O PMI industrial (HSBC) caiu a 49,5 em dezembro, de 50,0 em novembro na China, enquanto o investimento estrangeiro direto (IED) subiu 22,2% em novembro, para US$ 10,36 Bilhões.

Na Alemanha, o índice ZEW de expectativas econômicas subiu para 34,9 em dezembro, previsão 18,0, enquanto o índice ZEW de condições atuais subiu para 10,00 em dezembro, o que fez com que as bolsas do velho continente virassem para alta.

Nos Estados Unidos, teremos construções de moradias iniciadas às 11h30 e o PMI industrial às 12h45, futuros norte americanos em valorização.

No Brasil, mercado aguarda sinalizações de Tombini no Senado às 11h00 e desdobramentos sobre a Petrobras.

Ventila-se que haveria uma troca de comando na estatal, o que poderia animar os investidores, caso contrário a aversão ao risco tende a prevalecer.

Ibovespa fechou logo acima de 47.000 e não sinaliza fundo por enquanto.

O que percebemos é que os últimos fundos e topos importantes não foram feitos sobre suportes ou resistências anteriores.



Wagner Caetano
Top Trader

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Petróleo reage no exterior

Investidores estrangeiros atuaram na compra na sexta-feira, aumentando de 56.708 para 59.689 o saldo comprando no índice futuro.

Bolsas na Europa e futuros norte-americanos operam com alta generalizada.

Petróleo reage com boa valorização na ICE quanto na NYMEX.

Mercado doméstico com viés bastante comprador.

Veremos com a Petrobras vai operar durante o pregão, reagindo ao farto noticiário e balanço novamente adiado, uma vez que a estatal tem forte peso no benchmark.

Credit Suisse mantém recomendação neutra para a empresa, o que pode ser visto com bons olhos num cenário onde se espera um rebaixamento da petrolífera.

Esperamos uma dia de repique, com prova de fogo (resistência) nos 48.722.

Hoje temos vencimento dos contratos de opções sobre ações, que costuma marcar dias de virada na bolsa.



Wagner Caetano
Top Trade

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Expectativa pela balanço da Petrobras e indicadores chineses no radar

Ontem o IBOV teve boa recuperação no período da tarde e fechou com valorização, acima da LTA apontada na figura.

Notem que esse ponto impulsionou o benchmark em março e outubro.

O balanço da Petrobras será divulgado hoje, investidores aguardam com grande expectativa, pois mesmo não sendo auditado, será uma referência.

Vale citar que teremos vencimento dos contratos de opções na segunda-feira (15/12) e do índice futuro na quarta-feira (17/12), o que trará uma dose extra de volatilidade para essa sexta-feira.

Na agenda do dia, teremos nos EUA o PPI às 11h30 e Michigan Sentiment às 12h55 (horário de Brasília).

Na China, principal market mover externo do Brasil atualmente, a produção industrial subiu 7,2% em novembro ante novembro de 2013, as vendas no varejo subiram 11,3% em novembro ante novembro de 2013 e os investimentos em ativos fixos não rurais subiram 15,8% entre janeiro de novembro.

Europa e futuros norte-americanos em baixa, refletindo queda do petróleo na ICE e NYMEX.

Hoje teremos uma prova de fogo para o mercado doméstico e poderemos avaliar o quanto está trabalhando na esteira da China.

Se for mesmo uma sessão de alta como indicam os gráficos mostrará a relação direta percebida recentemente.



Wagner Caetano
Top Trader

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Fluxo cambial vai definir se IBOV monta fundo ou derrete

Bom dia investidor!

Nessa quarta-feira temos os futuros norte americanos trabalhando em leve alta, enquanto na Europa as bolsas operam em alta firme.

Mercado doméstico precificando os índices de preços ao produtor e consumidor divulgados na China, lembrando que o principal market mover externo para o Brasil atualmente é o gigante asiático.

menor inflação em cinco anos na China reforça a necessidade de mais medidas de estímulos, o que seria benéfico para as commodities.

Nos EUA olho vivo nos dados semanais sobre estoques de petróleo às 13h30, porque o óleo negro é a bola da vez.

Teremos hoje o fluxo cambial às 12h30 no Brasil, indicador essencial para um mercado amplamente dominado por capital especulativo vindo do exterior.

IBOV respeitou suporte em 49.890, região por onde também passa uma LTA de médio prazo, também respeitada.

Ontem tivemos a formação de um doji dragonfly com sombra inferior, que mostra entrada de força compradora durante o pregão.

Se hoje houver fechamento acima da máxima de ontem (50.260), teremos o doji acionado e fundo no diário, liberando compras com convicção.


Bons negócios!

Wagner Caetano
Top Trader

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Mercado doméstico terá pregão decisivo para o curto prazo

Nas últimas semanas, houve uma farra de liquidez e força compradora nas bolsas internacionais.

Ásia, Europa e Estados Unidos bateram altas sucessivas, com testes de máximas históricas em algumas praças.

No Brasil, o fluxo cambial foi negativo, uma relação inversa.

Os market movers negativos foram os problemas que envolvem a Petrobras, a falta de sinais mais concretos da nova equipe econômica, indicadores chineses abaixo do esperado e commodities numa onda de baixa sem precedentes nos últimos anos.

Para que exista uma reversão, lembrando que nossos ativos estão extremamente baratos se analisados a relação preço/lucro, valor de negociação/valor patrimonial ou mesmo comparando com pares internacionais de cada segmento, os itens citados no parágrafo acima têm de convergir, pelo menos em maioria.

Na China, o governo pretende reduzir impostos cobrados de exploradores de minério de ferro.

Na Alemanha, o saldo ajustado da balança comercial subiu para 20,6 bilhões de euros em outubro.

Nos Estados Unidos, teremos o otimismo das pequenas empresas às 10h30 e os estoques de atacado às 13h.

Petróleo esboça reação no exterior.

gráfico diário do IBOV mostra que ontem o benchmark buscou suporte na zona que marcou fundo em abril de 2014, quando tivemos uma alta de 49.890 até 62.300.

Se não segurar nessa região entre 49.890 e 50.000, a tendência de baixa vai se acentuar.

Porém se montar um candle de reversão no dia de hoje, poderemos ter um fundo concreto, com ativos descontados e tudo de pior precificado, abrindo espaço para um rali de final de ano.


Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Mercados precificando dados chineses e expectativa com BCE

Bolsas na Europafuturos norte-americanos e índice futuro operam em leve baixa às 9h15 dessa segunda-feira.

China registrou superávit comercial de US$ 54,47 bilhões em novembro, previsão de + US$ 45,1 BI.

No mês, as exportações avançaram 4,7% em relação a novembro do ano passado e as exportações caíram 6,7% na mesma comparação.

Na Alemanha, a produção industrial (ajustada) subiu 0,2% em outubro ante setembro, previsão + 0,3%.

Na agenda do dia, teremos nos EUA o índice de tendência de emprego às 13h e os dados da balança comercial no Brasil às15h.

Expectativa por medidas de estímulos na Zona do Euro seguem no radar dos investidores.

No relatório Focus divulgado no Brasil há pouco, a expensão do PIB caiu de 0,19 para 0,18%.

A nossa visão especialmente sobre os dados chineses é que eles já estão embutidos no preços deprimidos dos ativos brasileiros que mantém uma relação direta com o gigante asiático e que eles reforçam a possibilidade de estímulos no país, o que seria benéfico para o mercado doméstico.


Wagner Caetano
Top Trader

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Bolsas no exterior decolam antes do relatório de emprego norte-americano

Encomendas às fábricas na Alemanha subiram 2,5% em outubro/setembro, previsão + 0,6%.

PIB da Zona do Euro cresceu 0,8% no 3°TRI ante 3° TRI/2013.

Bolsas no velho continente com alta expressiva às 8h dessa sexta-feira, Frankfurt sobe 1,34%.

Nos Estados Unidos os futuros americanos trabalham com leve alta à espera do PAYROLL, que será divulgado às 11h30.

No Brasil, após uma semana de forte desvalorização, a expectativa é por um pregão de alta, com ativos altamente depreciados que já embutem o pior cenário possível.

O grande temor do mercado é a perda do grau de investimento, portanto qualquer sinal no sentido oposto poderá ser um catalisador de compras.

Ontem o IBOV buscou suporte na região de 51.240, ponto que gerou um bom repique em novembro.




Wagner Caetano
Top Trader

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Copom aumenta em 0,5% a taxa Selic

Bolsas mundiais operam em alta generalizada.

Petróleo e metais negociam com valorização.

Na agenda do dia teremos pedidos de auxílio desemprego às 11h30 nos Estados Unidos.

No Brasil o BC aumentou os juros em 0,5%, sendo que ficou uma boa impressão sobre o comunicado, sinais de aperto mais brando e confiança em ajuste fiscal.

índice futuro trabalha em alta próxima de 1% refletindo a decisão.

Expectativa pela entrevista coletiva do presidente do Banco Central Europeu Mario Draghi.

IBOV fechou ontem com uma alta interessante esse hoje penetrar e fechar dentro do canal de alta apontado no gráfico, poderá retomar o viés altista de curto prazo.
Uma vez acima de 52.710, se houver consolidação acima desse patamar ele funcionará como suporte e vai impulsionar o mercado doméstico.




Wagner Caetano
Top Trader

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

PMI de serviços sobe na China

Velho continente com viés de alta.

Na China o PMI de serviços oficial subiu para 53,9 em novembro de 53,8 em outubro.

Já o PMI de serviços medido pelo HSBC subiu para 53,0 em novembro de 52,9 em outubro.

Na agenda do dia teremos a pesquisa ADP com a posição do emprego privado às 11h15 nos EUA e o livro bege às 17h00.

Petróleo sobe tanto na NYMEX quanto na ICE.

No Brasil teremos o aguardado fluxo cambial de novembro às 12h30 e o anúncio e um provável aumento de juros pelo COPOM após o fechamento do pregão.

gráfico diário do míni-índice futuro contrato WINZ14 buscou suporte na forte LTA apontada na imagem.

A tendência é que monte fundo na região e desenvolva alguns dias de alta.



Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Mercado doméstico em ponto decisivo

IBOV teve na véspera forte sessão vendedora.

Números fracos do PMI da China e possibilidade que dividendos sejam taxados e os juros sobre capital próprio sejam extintos pesaram sobre as cotações.

Europa e futuros norte-americanos trabalham em alta às 7h.

Com um tom mais amenos no exterior, o mercado doméstico vai mirar os desdobramentos sobre as medidas econômicas internas.

gráfico diário do IBOV mostra o benchmark sobre a linha inferior de um canal de alta.

Se o ponto for respeitado e houver um candle de reversão no dia de hoje, abre uma oportunidade de ouro na compra.

Se a sessão for negativa, a perspectiva de alta enfraquece de forma expressiva.




Wagner Caetano
Top Trader

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Petróleo é a bola da vez

Bolsas em baixa mundo afora.

Dezembro começou vermelho, talvez uma homenagem às cores de Natal.

Na China, PMI oficial caiu para 50,3 em novembro, ante 50,8 em outubro, previsão 50,6.

O PMI medido pelo HSBC indicou queda para 50,0 em novembro, de 50,4 em outubro.

Os dados podem fazer com que Pequim conceda mais relaxamento monetário.

Metais básicos reagiram com queda, sendo que o cobre buscou suas mínimas em quatro anos e meio.

petróleo para janeiro cai 1,03%, a US$ 65,48 por barril na NYMEX e o Brent para janeiro cai 0,93%, a US$ 69,48 por barril na ICE.

Nos EUA as bolsas voltar]ao ao ritmo normal após o feriado de Ações de Graça e Black Friday, eventos tão importantes quanto o Natal no país.

Por lá teremos PMI industrial às 12h45 e ISM às 13h00.

No Brasil, segundo o relatório IPCA, a expansão do PIB para 2014 caiu de 0,2 para 0,19% e o PMI industrial de novembro caiu para 48,7 de 49,1 em outubro.

Ativos locais reagem em baixa, o que significa oportunidade de compra dentro de uma correção.



Wagner Caetano
Top Trader