quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Tentativa de drible na meta fiscal

Investidores estrangeiros comprados em 113.758 contratos de índice futuro.
Na agenda do dia teremos o aguardado fluxo cambial no Brasil às 12h30 e nos EUA as vendas e os estoques do setor atacadista às 13h00.

Balanços corporativos previstos para hoje: Anima, B2W, Banco Indusval, Banrisul, Bioseve, Brazil Pharma, CR2, Helbor, JBS, Jsl, Log-in, MRV, QGEP, SLC Agrícola e Tegma.

Mudanças na lei para cumprir a meta fiscal frustrou o mercado doméstico ontem.
Aumentou-se o risco do governo fechar as contas no vermelho pela primeira vez desde 1997.

Caso o projeto seja aprovado, o governo terá carta branca para descontar da meta todos os gastos com investimentos do PAC e as renúncias de receitas com as desonerações tributárias até o fim do ano.

Mercado trabalha com os nomes de Henrique Meirelles e Nelson Barbosa para o cargo de Ministro da Fazenda como mais prováveis, uma vez que o presidente Lula indicou um nome mais pró-mercado e pediu pressa na divulgação.

Porém ontem o nome de Tombini, que viajou às pressas para encontrar a presidenta Dilma na reunião do G-20 foi ventilado.

Ibovespa tentou penetrar a primeira retração de Fibonacci entre o fundo pós-eleições e o mais recente topo, respeitou e fechou acima.

Caso trabalhe firme acima de 52.710 terá as médias móveis como resistências imediatas, grande desafio para os comprados no curto prazo.


Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

Nenhum comentário:

Postar um comentário